Thursday, July 12, 2007

12.07.1990 - 17.10.2004

Como nós eras altivo

fiel mas como nós

desobediente.

Gostavas de estar a sós

mas não cativo

e sempre presente-ausente

como nós.

Cão que não querias

ser cão

e não lambias

a mão

e não respondias

à voz.

Cão

Como nós.

"Sei que andas por aí, oiço o teus passos em certas noites, quando me esqueço e fecho as portas começas a raspar devagarinho, ás vezes rosnas, posso mesmo jurar que já te ouvi a uivar, cá em casa dizem que é o vento, eu sei que és tu, os cães também regressam, sei muito bem que andas por aí..."

[Cão Como Nós, Manuel Alegre ]

As saudades são muitas, muitas, muitas....Jimmy.

28 comments:

A said...

Porque será que nunca deixamos partir totalmente aqueles que mais amamos?

pn said...

velinhas

empresto-te o argos ou o joyce (os dois, até)
sei que não são o jimmy, mas...

brisa de palavras said...

è sempre dificil ver partir quem amamos...quem gosatmos...porque têm de partir?

um abraço
brisa de palavras

Tiago said...

As marcas dos que realmente passam em nós...

um bjinho velita

Klatuu o embuçado said...

AVISO!!!!


Este texto - http://dente-de-marfim.blogspot.com/2007/07/inveja.html - é PLAGIADO do «Abrupto» de Pacheco Pereira!

A menina Kanoff - CUJO BLOG É TODO PLAGIADO - fingiu apagar o anterior blog - e transferiu tudo!

Dorian Gray said...

Um sol!

Lya said...

Sabes... é por isto que não tenho animais em casa. Adoro-os, e já passei pela tua situação... doi muito!

Beijosss :)

amazing said...

Das bolinhas de pêlo mais giras que tive a oportunidade de ver ao vivo.
Fica a lembrança.

Nuno West said...

Mas a memória fica e pode dar boas sensações.

kinha said...

Tão fofinho!
Tenho uma surpresa no meu blog.
Beijinhos.

PintoRibeiro said...

Prefiro gatos, mas seja.
Bom dia e bjinho.

crispipe said...

Tão kiko. As saudades nunca passam. Tens no entanto belas recordações.

Jokas

Sea said...

:)
ficam sempre as imagens, na memória.
beijo

VICIO said...

por vezes os animais merecem mais que as pessoas!

PS- já meti o nome da musica pra ti ;)

Carracinha linda! said...

Sempre sentimos saudade de quem gostamos e que já partiu. Mesmo que de um cão se trate. É que existem elos de ligação que se criam, para mais quando houve assim um grande período de convivência.

O Jimmy era lindo, sim...um peluche animado! E que podes recordar sempre que as saudades apertam...

Bjs

Ana said...

[]*

Tenho um Alex muito parecido com o Jimmy.

=)

impulsos said...

Compreendo bem a tua dor... os animais são os nossos verdadeiros amigos!
Também tenho um gato, que convive comigo há quase 12 anos e sempre esteve do meu lado, sempre!
Um dia, quando morrer, decerto que o "ouvirei" muitas vezes a miar...

Um beijinho meu

poetaeusou said...

*
mas não cativo ...

*

Memórias de Um Sorriso Luso said...

Olá Velinhas!
Não comento o teu post.É duro e nem saberia bem o que dizer.Espreita-me.Tenho lá algo para ti.

Beijinho (GRANDE!)

Teresa Duraes said...

quando li este livro quase chorei (não sou muito dada a lágrimas, mais a nó de garganta que não desata)

14 anos num cão é uma vida imensa. fique a memória dentro de nós e assim nunca morre

beijos linda

Mateso said...

A Bonnie, deixou-me assim... depois o Thor... e agora o Lug, que me dá cabo da paciência. Também eles são diferentes... mas são sempre amigos....
Bj.

vida de vidro said...

Sentimos a falta deles, tanto... Entendo-te bem. **

Isabel said...

Custa muito a ausência de alguém que, mesmo não falando a nossa linguagem, consegue, por vezes, ser o nosso melhor amigo, o mais fiel.
Tenho um que nem quero pensar que isso vai acontecer...
Coragem.

Bjt

Bia said...

Tão querido.. deve ter-te custado muito essa perda...

PAH, nã sei! said...

Doi só de reler as palavras de manuel Alegre...
Doi pela dor que já passei...
Doi pelas "quatro" cá de casa...
Doi pela tua dor....

0.02 said...

Rio, 13 de agosto de 1946

Clarice querida,
Muito obrigado pelo seu cartão-postal de Berna. Espero que vocês se tenham dado bem aí: que não lhes aconteça o mesmo que ao Ribeiro Couto, de quem acabo de receber uma carta melancólica
... Escreva-me Clarice. Escreva carta. Um cartãozinho seu já é uma delícia. Mas eu quero a delícia maior das cartas. E fale de você. Fale muito de você. Nunca tenha medo de falar de você para mim. Receba um abraço e as saudades de

Manuel [Bandeira]

Zélia said...

A vida é mesmo assim, perdemos uns, ganhamos outros....! Não fiques tristinha!

Beijinhos

A estranha said...

Tão bonito... Também tenho muitas saudades de alguns bons amigos e amigas de quatro patas...

Beijinhos