Monday, December 17, 2007

veludo

veludo,
ventre escavado por soluçoes e engulhos.

rituais de ternura,
boca com boca

ou quem sabe apenas flores abertas.

contrições e contrastes,

gritos anis,

e decidir
perder o infinito.

mergulho no mundo

mistura fria e

o calor da tua mão.

tiro de mim o possível
com uma peça esquecida
durante as mudanças da vida.

fico me no tempo...que tempo...

no tempo a ser inscrito pelo meu corpo.

e preparo meus dias para o meu sempre
mesmo sabendo o teu nunca.

23 comments:

Mãos de Veludo said...

com mãos de veludo... negras como a noite...

Mateso said...

Veludo é sempre que o corpovibra no toque doce do Amor.
Lindo. Gostei tanto.
Beijo.


.................................
Ando sem tempo. Desculpa a ausência.
Mas vou passando.
bj.

veritas said...

A arte está nos exercícios de contorcionismo que fazemos para retirar de nós o impossível...

Bjs. Boa semana. Já estava com saudades.

melgadoporto said...

O veludo é dos tecidos mais “ingratos” de trabalhar.
Deve-o à sua singela e delicada textura.
Falo obviamente da mãe dos veludos - o liso.
Qualquer erro no seu cuidar e esculpir, pode ser “fatal”.
Assim é o nosso sentir.
Suave, sedoso e brilhante.
Mas também frágil e delicado.

Santo Natal e um 2008 o mais aveludado possível…

FERNANDA & POEMAS said...

Olá, passei, gostei e deixo um beijinho.
Fernandinha

Lu.a said...

Lindo, como sempre! :)

Beijo grande e boa semana!

Bandida said...

ficar no tempo que somos nós. pedaços dele. ensaiando a vida. nunca é a mistura do tudo e do nada. de como não sabemos.


beijo V.

B.

mariazinha said...

muito bonito
o toque aveludado
das tuas palavras.

:)*

Memórias de Um Sorriso Luso ® said...

Simplesmente gostei.

Kiss

Vieira Calado said...

Um belo poema, no tempo a ser inscrito
pelo (teu) corpo.
Um abraço

pn said...

"tiro de mim o possível
com uma peça esquecida
durante as mudanças da vida."

*****************************
mes hommages, demoiselle, mes hommages!!

Rain Sister said...

Muito lindo.
Muito lindo mesmo.
Adorei.
Beijocas

Dias said...

Sim senhora, bom post.

Excelente ilustração, excelente verbar, belo narrar de duvidas milenares.

Gostei.

Beijo

Zélia said...

Beijinhos grandes :)

Paula Raposo said...

Um poema de extrema sensualidade...gostei muito. Agradeço-te o sorriso que me deixaste. Um beijo.

Vício said...

e que o teu sempre seja teu sempre...

PintoRibeiro said...

Gritos anis, gostei. Muito.
Veludo, só azul.
Eu?, vai-se.
Bjinho grande,

Maçã de Junho said...

..."e preparo meus dias para o meu sempre
mesmo sabendo o teu nunca."

Fico a pensar.... se o meu nunca será o seu sempre....

Beijo
M

poetaeusou . . . said...

*
no tempo a ser inscrito pelo meu corpo,
,
de veludo, mergulhado,
*
bji
*

maria josé quintela said...

muito bonito velinhas!

um beijo.

little_blue_sheep said...

***

ps-comentarios para quê?

Su said...

gostei....

fico no meu .....sempre....sem ser..


jocas maradas

nuvem said...

Adorei.

Um beijo e Feliz Natal