Friday, December 19, 2008

O Natal e as famílias_Isabel Leal

O Natal acaba por ser um tempo de confrontação. Confrontação com a falta de família, com os conflitos de família, com os assuntos pendentes na família, com os limites da família...
Com a aproximação do Natal aumenta o bulício das ruas e as preocupações das gentes.
Independentemente de tudo o que o Natal já foi, e ainda é para grupos restritos de pessoas, temos que, hoje em dia, o Natal é, de facto, a festa da família. Uma festa em que é suposto a família reunir-se, comer guloseimas e trocar prendas.
A primeira e grande questão é mesmo a que resulta do facto das famílias que temos se afastarem bastante das famílias idealizadas que o marketing todo-poderoso não se cansa de promover. Como a distância entre as famílias reais e essas outras que vamos interiorizando que deviam ser é enorme, o Natal acaba por ser um tempo de confrontação. Confrontação com a falta de família, com os conflitos de família, com os assuntos pendentes na família, com os limites da família e também com famílias de que não gostamos ou que não gostam de nós.
Vivemos num tempo de famílias muito pequenas. São muitos os filhos únicos e as famílias à beira da extinção pela não reprodução. São poucas as crianças em fase de fazer do Natal o tempo mágico que se gostaria que fosse. São mais os idosos que os jovens e são muitas as separações e divórcios em todas as gerações.
O simples facto de um casal jovem de filhos únicos, por exemplo, ter que rodar por casa dos respectivos pais, já implica que cada família de origem fique com a sensação de que tem um Natal coarctado. Se este mesmo casal jovem tiver um dos pais em segundas núpcias, a complicação agudiza-se, porque fica logo com dois dias para estar com três famílias. Se, por acaso, um deles tiver um filho de uma anterior relação, o drama instala-se, porque a separação das pessoas mais significativas é incontornável.
Acresce a esta realidade complexa a obrigação de trocar prendas. E as prendas são, como se sabe, uma demonstração, não só do próprio estatuto, mas da importância que se concede aos outros, do cuidado que se colocou na escolha, da atenção que se prestou ao gosto ou às necessidades de quem vai receber.
Por tudo isto, o tempo de Natal é um tempo de teste às famílias. A que normalmente se sobrevive sem grandes recordações nem decepções.

17 comments:

Maria P. said...

É mesmo um tempo para sobreviver...

Beijinho*

mfc said...

Importante esta visão sobre o outro Natal, que cada vez existe mais.

Cruztáceo said...

tens de ir ler o meu blog para te animares

Lu.a said...

A foto está BRUTAL! E o texto uma uma realidade!!

Black Angel said...

nem mais...
bom natal para quem puder..

Femme Fatale said...

Sinceramente estou ansiosa que esta época passe!!!

Martinha said...

gostei muito deste texto =)
beijinhos

pn said...

o "palácio dos pobres", Agustina scripit...

poca said...

e pronto.
mais uma vez, está tudo dito!

Luis Eme said...

nunca tinha pensado do natal desta forma...

bjs Velas e boas festas

Apenas eu said...

O meu pensamento acerca do natal anda muito perto do teu, diria taé que andam de mãos dadas! valha-nos isso um carinho!

é sem dúvida uma "azafama", sogros/pais em luta, tipo este natal e comigo porque o outro foi com a tua sogra, a miuda, filha única, até quer estar nos dois lados, eu por mim até ficava em casa pertinho da minha lareira!

Não querendo ofender ninguém acho o Natal uma hiporisia, mais uma entre tantas outras que temos pelo ano fora...

já para não falar na canseira das prendas...

Eu só penso é mais uma noite e um dia.
Mas... lá vou sobrevivendo á família...

Um Bom Natal para Ti
Gosto muito do teu jeito de pensar.
Beijo Grande e já agora Um Bom Natal.

Sandrine said...

Natal de época de tudo.. Sentimentos bons e muita tristeza tambem.. Espero que para ti, sejam só coisas boas! Um santo Natal!**

Dias said...

Interessantissimo, e factual!

Faltou no entanto abordar a excelente oportunidade que o Natal nos oferece de re-renegarmos laços familiares que nos tenham sido impostos no sangue, e a neo familia de Amigos...

Bom Post, mais um...

Beijo

Mãos de Veludo said...

concordo contigo, por isso é que tento, por tudo, que a minha família viva o Natal juntinha... Gosto do calor delas...

Rain Sister said...

Um Natal muito feliz. Beijocas natalícias ;-)

Roderick said...

Desejos de um óptimo Natal cheio de prendinhas na Peuga

Ana said...

Eu já vi isto! Se não estou em erro está para os lados do Coliseu. É de facto uma optima frase e que reflecte bem esta época! Parabéns pelo blog. e já agora... Feliz Natal! ;)