Tuesday, July 28, 2009

- Escrever não é falar.
- Não? Qual é a diferença?
- É exactamente o oposto. Escrever é usar as palavras que se guardaram: se tu falares de mais, já não escreves, porque não te resta nada para dizer.
No teu deserto_Miguel Sousa Tavares

23 comments:

croqui said...

será que quem escreve muito fala pouco?!

nunca tinha pensado dessa forma...!

;-)

Teresa Durães said...

plenamente de acordo!

vício said...

também há quem faça tudo e quem não faça nada...

o MST é um grande teórico!

g said...

lol sou obrigada a concordar com ele!

Qel said...

esse é um dos livros que tenho à minha espera na lista de livros a ler. Perco-me no meio de tantas leituras!

Lídia said...

... mas a escrita transforma-nos e penso que nunca se fala de mais. Tenho um amigo que costuma dizer: "a escrita previne a neurose obsessiva". Bj :)

Apenas eu said...

Sim escrever não é falar.
embora últimamente tenha a sensação que não me resta nada para dizer...

beijos Vela

Teresa Queiroz said...

não concordo . :)
escrever é falar ... é dizer tudo !

Mαğΐα said...

Já comprei, vou começar a ler... muito embora não concorde com as palavras que acabo de ler.

Falar estimula, inspira.
Enquanto se fala nem tudo se diz, mesmo que se fale demais. Existem sempre os olhos que se olham e deixam muito por dizer.
É isso que inspira a escrita: tudo o que não se disse quando já se disse tudo...(digo eu)

:)

JonyFingers said...

Então e aqueles que ficam mais calados durante uma qualquer conversa?

Não serão também bons ouvintes!?

Bem, pelo menos ainda tem a escrita para dizer tudo o que tem a dizer a quem querem dizer aquilo que gostariam de dizer.

Mas, não fiquem é por dizer aquilo que gostariam de dizer, para que não restem dúvidas no ar sobre aquilo que não dissemos e gostaríamos de ter dito!!

Complexo, hem...!? É a vida...

Aquele Abraço
:-)

Mãos de Veludo said...

Desde que se faça uma das duas... o importante, acho, é usar a nossa linguagem para existir a comunicação...

beijinho!

Noiva Judia said...

Excelente excerto.

entremares said...

Plenamente em desacordo.

Escrever é falar. Que o digam todos os contos infantis, todas as fábulas, onde as palavras conseguem falar melhor que as palavras, conseguem construir realidades.

" Se tu falares de mais, já não escreves".
Essa agora...
E o que é isso de falar demais ou escrever de menos?

Daqui a pouco, estaremos a pesar as palavras...

Não, não e não.
Felizmente... há espaço para tudo.

Fica bem...

Bruxinha said...

Concordo plenamente com esta afirmação:)

Eu Mesma! said...

Frase muito bem dita no meu ponto de vista....

TERESA SANTOS said...

Apenas um conselho de amiga para os companheiros da blogosfera: leiam o livro e, depois, digam de vossa justiça.
Penso que vão ter uma bela surpresa!

Abraço para todos, especialmente para ti, Velinha.

A.S. said...

Não concordo nada com o ponto de vista do MST!...

Um beijo meu...

Verdinha said...

ainda n li o livro, mas gostei da frase.

se quiseres passa pelo meu blog e inscreve te no passatempo que por la acontece:

http://pensando-e-falando.blogspot.com/2009/07/sorteio-lily-essence-boticario.html

Fire Wife said...

Passei para te deixar uma grande beijoca.

Mar Arável said...

Há quem escreve livros em branco

e quem fale por gestos

e quem fale e escreva

sem dizer coisa alguma

O Miguel fala muito

Dias said...

Gosto do tempo que o escrever tem, mas falta-lhe, sempre, o sentir do dizer!

Beijo escrito

Dead Porcelain Doll said...

O Miguel, o Miguel... filho da Sofia, pois, pois bem se vê... palavras belas, lindissimas!! Mas com frequência, tão vazias...

Quero falar, falar muito, falar ajuda-me a escrever!! :D

As ideias não se esgotam... falar, como escrever, podem ser actividades criativas, assim sintamos cada momento da nossa vida como especial!! ;)

Beijosss!!!

Santo&Pecador said...

Por vezes por muito que tentamos expressar tudo o que sentimos, não o conseguimos através da fala, ou por seremos tímidos, ou por não nos deixarem falar e interromperem-nos a meio do raciocínio, ou por não termos coragem, ou por termos medo, ou pelos mais diversos obstáculos que possamos arranjar, simplesmente não o conseguimos. Nessas alturas é através da escrita que conseguimos nos exprimir.

Penso também que quando falas, quem te escutou, por vezes ouve de outra maneira e por vezes volta a contar ainda de outra forma, desviando assim a mensagem inicial, na escrita isso é impossível.
È inalterável!

Penso que depois de lermos o livro e entendermos o porquê e o motivo que o levou a escrever “No teu deserto”, percebemos que se ele tivesse falado, não tinha escrito o livro.

Bjs

Santo&Pecador