Saturday, December 26, 2009

partilhar arrepios

hoje vou discutir a solidão.dificil, muito dificil.ainda mais para quem tão pequeno como eu.1m53cm.50kg.e o peso brutal da solidão todos os dias nos bolsos das calças de ganga ou do casaco...que me torna os pés pesados...como se os meus all stars tivessem cheios de pedras.
começo,com uma garrafa de vinho tinto,um Poeira 2004.e um bom livro. Florbela Espanca. tem que ser ela. ou Fernando Pessoa. pode ser ele.por momentos. não sei. usufruir....
o vinho é fundamental. não pode ser qualquer um. gosto de degusta lo com prazer. é a minha companhia esta noite.uma noite em que estou novamente só. como todas as outras,afinal.
sou só. entre muros, medos, toques e formas. a partir de hoje,digo o em voz alta...sou um ser sozinho. não deixei de ter cor ou nome mas sou só.
a minha delicada relação corpo e alma, tenta, desesperadamente, acordar com vontade de gritar descobertas com quem me cruzo. no meu caminho. sentir a delicia de ter os olhos a brilhar. brincar com o fogo.dançar uma espécie de dança...que não se ensaiei.
andar sem saber onde vou parar. e não querer saber. sentir força e delicadeza: mas sem me ferir mais.
sabem que mais... tenho deveres. mesmo sendo só. devo a mim própria encontrar me em alguém...sempre. chamem lhe amor se quiserem! construir rumos e tempos. eu chamo lhe partilha de arrepios!
pele.
andar nua.
nudez de mim.
sonhar ser
apenas eu
em ti.


O medo é uma força que não me deixa andar. Tenho medo de exigir. Tenho medo de deixar. O medo é uma sombra que o temor não desvia. O medo é uma chave que apagou a vida. Medo circulando nas veias. Medo de pedir arrego. O medo é a medida da indecisão. Medo de se arrepender. Medo que dá medo do medo que dá.[Lenine]

17 comments:

S* said...

Medo de ter medo... sei, sinto.

BlueAngel said...

São Os Medos que nos consomem a alma e definham o corpo..que nos aprisionam o corpo e nos encerram a alma...
Beijos

Maria said...

Quantos de nós por vezes vivendo tão acompanhados nos sentimos muito mais sozinhos do que tu... prefiro dizer-te solitária do que em solidão, Vela. Porque sabes que não estás sozinha.

Beijos

a said...

O medo que nos tolhe o pensamento é o mesmo que nos reprime os sentimentos. Há que lutar que para vence-lo.

mfc said...

O medo nunca nos larga, mesmo naqueles momentos em que afirmamos que o renegamos.

Que tenhas um grande grande 2010...
Um beijo grande para ti.

cegonhagarajau said...

"Partilhar arrepios!"
Nunca o tinha pensado nesse prisma...
De facto alguém que partilhe o de mais profundo em nós, sem se assustar, sem fugir.
Brindo a ti, não com um Poeira 2004 (bastante bom), desejando-te um 2010 em que te "encontres em alguém".
Abraço

Teresa Durães said...

o medo tolhe mas por vezes uma certa impulsividade ajuda

Abobrinha said...

Não estás sozinha se estiveres contigo mesma. Não estás inteiramente sozinha enquanto estivermos nós deste lado. Não tens que te partilhar com ninguém: simplesmente se acontecer aconteceu e será bom se for mútuo e verdadeiro. Tudo o resto não passa de ruído.

NOTA: curiosidades da verificação de palavras, a palavra que me saiu foi "trair".

Henrique Dória said...

És uma inteligente MULHER EM CHAMAS

poetaeusou . . . said...

*
esvoaça o Natal,
o 2010, está a chegar,
,
se eu fosse o futuro
pincelava o 2010
de um modo desigual,
invertia os grandes mestres
estimulava os absurdos
convertendo o obscuro,
o branco seria carinho
a tolerância o preto
no rosado da saúde,
e o azul da amizade
feita ternura esmeraldina
na meiguice amarelada,
eu quero a Paz anilada
no lilás da paixão
em violeta de amor,
e de forma desejada
ofereço, como gratidão,
o perfume de uma flor.
,
que venha o 2010 !!!
,
conchinhas
,
*

Eu Mesma! said...

Concordo com a Abobrinha...
a melhor companhia de nós proprios somos nos proprios...

demorei anos a perceber e aceitar esta frase...
um ex meu que eu hoje odeio... sempre me disse... no final da vida estamos mesmo é sozinhos... e ele tinha de facto razao...

temos que aprender a estarmos conosco proprios... so assim seremos de facto felizes...

:)

Pjsoueu said...

Procuremos desenvolver entre nós o amor fraternal e estimulemo-nos a fazer o bem...animemo-nos uns aos outros...”

Feliz Ano Novo!

Beijinhos

Pj

pn said...

"Partilhar arrepios..."

É curioso pensar que em fr. arrepio é "frisson", que vem de "frictio/onis", derivando de "frictus", part.passado de "frigere", em sentido figurado "tremer", ligado a "frigere", ter frio...

(Xiii! uma quase aula de filologia!)

Vês, Velinhas, as palavras explicam tudo e um bom "edredon " (eder+duun, holand.);(dantes chamava-se "cobertor de Papa") resolve o resto. Será? E ainda temos o vinho. Eu sou abstémio, mas posso aconselhar? Aí vai: espumante Terras do Demo, reserva, rosé bruto, para a meia noute; antes, ao jantar, um monocasta Trincadeira, Quinta da Alorna... Tchin!

Mar Arável said...

Por vezes

merecidamente só

mas nunca isolado

A.S. said...

As tuas palavras vibram num coro de vozes em fogo!
São palavras exactas, apontando na direcção de afectos partilhados com autenticidade e paixão!

Belo o teu texto Vela!

Beijos...
AL

Maariah said...

Querida Velas, há tanto tempo qua não te deixava um olá. Espero que o teu Natal tenha sido bom e desejo-te um feliz 2010.

impulsos said...

Velas
Li o teu texto e senti-o como um grito da alma, que, enfrenta a sua própria angústia da solidão, com coragem e determinação!
... ainda que com a sombra de todos os medos a pairar sobre si...

Gosto de ti, sabias?

Um beijinho de afecto e que o Novo Ano te traga aquilo que mais desejas!