Tuesday, June 12, 2007

sozinha

Estou triste
E triste fico.
É estranho estar triste e triste ficar
Sem me compreender
Ficar assim queda sem nada fazer
Querer justificar
O insustentável
Que é pedir que me mudem de sitio
Sem querer um só lugar para ficar.
Poderei algum dia sem asas voar
Rir-me da minha paixão
Que é de mim ter vontade de me enamorar
Amar-me, beijar-me
Sem vergonha na cara por lavar
Aí poderão roer as unhas de inveja
Roer os dedos até ao antebraço
Chamar-me palhaça
Que eu narcisa
Sorrirei de orelha a orelha até se ver o ciso.
E num passo de dança mais desabrido
Correrei o salão valsando sozinha
Não serei uma, nem dois
Só eu serei um par.
Até lá
Estou triste e triste fico.







47 comments:

Dawa said...

Vim dar um beijo enorme, um abraço do tamanho do mundo e um bocadinho daquela força. Pode ser que alegre o dia...
Beijinho!

Twlwyth said...

Ouço ao longe o som da música de valsa. A tristeza não permanecerá muito tempo.

arrepiodaalma said...

força, reinventa os teus prazeres, reinventa os teus momentos e afinal, para quê lamentar... as lágrimas que limpam a alma, as dores que fazem sentir, os arrepios da alma.

Reinventa, reinventa-te, acrescenta em ti o que não conheces, dá-te a esse direito, a essa aventura.

Tem muita gente como tu, que te aguarda ansiosamente.

amazing said...

narcisismo não é comigo.
mas infelizmente acompanho-te na infelicidade.

Jotabê said...
This comment has been removed by the author.
Jaime said...

Fantástico exercicio de palavras. Orgulho de sentir e dizer. Bravo.

Beijos

Jotabê said...

de tudo o que li acerca da solidão, talvez o mais esclarecido tenha sido dito por Quincey, concretamente:

"Ninguém desenvolverá alguma vez as faculdades da sua inteligência, se, pelo menos, não intercalar alguns momentos de solidão na sua vida"

Porém, cabe a nós, exclusivamente a nós não nos tornarmos demasiado inteligentes, e preencher a nossa vida de momentos.

Hás-de encontrar o fim do teu momento intercalar, não tenho dúvidas.

:)

beijocas

little_blue_sheep said...

:*

Isabel said...

Curiosa a forma como abordas a tua solidão.
Tão diferente da forma como abordei a minha no meu ultimo texto.
De facto "Não há dois tempos iguais de solidão porque nunca se está só da mesma maneira.”(Henri Bosco), assim começa o meu post e o teu texto lindissimo e tocante prova-o.

Um grande, grande abraço amigo.

Isabel

borrowing me said...

junta-te a mim
não estou assim por uma razão aparente, apenas estou... menos bem

aproveita o feriado e lambe as feridas
há muitas que saram apenas ao ar...
bjs e até já

saudosista do futuro said...

VAI UMA DANÇA?


sigo esses salões da valsa
e tropeço no chumbo dos meus
próprios pés.


...e fico sentado a olhar-te,
a recuperar dos tombos.




danço porque cair é uma
questão de hábito.




caIU....





beijo na tristeza...

poca said...

ai amiga.. tão triste quando pomos a nossa felicidade onde não estamos..

força

beijinhos

Sea said...

ser narcisista, é necessário, por vezes.
ainda que alguém queira o nosso sorriso estampado, ninguém mais do que nós sabemos se queremos ou temos vontade para ele lá estar.
um beijo

PintoRibeiro said...

E sem muito tempo, eu, a passar para deixar um bjinho,


( estamos sempre sózinhos... )

Dark-me said...

E quem não tem os seus momentos de tristeza!!? Não me canso de dizer que até a tristeza tem a sua beleza!! Há que saber encará-la de forma positi~va e verás q se torna ainda mais passageira...

Dark kiss

Pedro Branco said...

A tristeza dos olhos de quem ama nunca se deixa ficar. Fica. E por isso é que floresce em cores. Em brilho de encontrar sempre no outro mais um regaço para descansar. E ficar. Fica.

veritas said...

Mas às vezes é no meio da tristeza que vem o renascimento, às vezes é necessário sofrer para cortar as amarras, para voltar a acreditar...

Bjs. Boa semana.

nothing said...

hoje sinto-me assim...

Beijinhos...

pn said...

assim a modos que hermes e afrodite?

Giorgia said...

na na na na... quando esta música entra ao barulho já prevejo que te vou ver assim... no away, volta para trás, estás a ouvir-me???

beijinhos grandes

A estranha said...

Gostei da contradição entre o que escreves (lindamente, como te é habitual) e a música que aqui pões...

"Meu é o meu foi o meu lado esquerdo
Que me levou até ti
Quando eu ja pensava
Que nao existias para mim no mundo"

Adoro esta música e adoro lados esquerdos... sinistros, diriam os italianos... :)

Beijos

Utzi said...

Vive a tristeza, mas vive-a toda, por completo. Afinal ela faz parte da vida. Só não deixes que a tristeza tome conta de ti, porque a vida é só uma e seria um desperdício gastá-la com lágrimas quando sabes que és capaz de sorrir de orelha a orelha :)

Mil beijos

achama / Sonia R. said...

Venho deixar-te um grande bjinho.

Brain said...

No fundo de nós,
Bem lá no nosso íntimo,
No âmago do nosso ser...
Estamos SEMPRE sozinhos!

Mas a partir daí "para cima",
Nunca o estamos.

Por vezes,
Não vemos as companhias que temos.

Por vezes,
Não valorizamos as companhias que temos.

Por vezes,
Desvalorizamos as companhias que temos.

Mas o que é facto,
É que elas existem,
E fazem TODA a diferença.

Tenhamos nós sempre,
A capacidade,
E a vontade,
De as VER!

Beijo.

un dress said...

talvez apenas ciclos...




beijO

impulsos said...

Curiosa forma de descrever a solidão!

A foto é bem gira e o texto encaixa nela na perfeição.

Gostei mesmo!

Beijinho

joaninha said...

não fiques nem sejas...

*beijinho*

:)

Zélia said...

Então linda?!
Anima-te, está a chegar o verão, calor, praia, férias :)

Não gosto de te "ver" assim...!

Beijinhos

crispipe said...

um carinho...

Jokas grandes

Belzebu said...

A forma como gerimos as nossas solidões é de facto fascinante. Leva uns ao narcisismo e outros à falta de auto-estima! Mas leva-te também à inspiração poética, que te permite transmitir brilhantemente os sentimentos!

Um abraço infernal!

Carracinha linda! said...

Neste dia cinzento, em que o sol não nos sorri, vim deixar-te um beijo carinhoso.

Disseste que não estás muito bem. Mas não te sintas só. Eu e estes teus amigos estamos aqui para te apoiar. Já viste que tens tanta gente que te vem visitar e te escreve? Já pensaste porquê? Porque gostam da tua companhia!!!!!

E o Simão? Não te faz companhia também? Aposto que fica radiante e contente sempre que te vê chegar a casa!!!!

Se precisares de alguma coisa...sabes como me encontrar!

Beijocas

Teresa Durães said...

hum... só esperar mais um bocadinho que ficas como queres!

beijos

Teresa Durães said...

p.s. gostei do poema!!

Vladimir said...

a solidão....há que saber dar-lhe a volta e passar do cinzento ao azul...lindo....

Maariah said...

Faço minhas as tuas palavras, perto (será mesmo?) ou longe que tal começarmos por aqui (msn):

maariah_r@hotmail.com

Miss Alcor said...

Mas não estejas triste!
Tristezas nunca fizeram bem a ninguém! É preciso passar por cima e seguir em frente!
Força aí!

Sea said...

nunca peças desculpa, por te sair o que vai na alma e no coração.
beijo grande

Baudolino said...

É da tristeza que saem, muitas vezes, palavras como estas. Não é assim tão negativa a tristeza.
Um abraço

borrowing me said...

estou apaixonada, mas há anos...
este texto remota a quase sete anos atrás...

mas na altura não havia blog...

bjs e até já

estás melhor? ainda triste?
era só por um dia certo?

brisa de palavras said...

A tristeza às vezes persegue-nos...não conseguimos livrar-nos dela...por mais tentaiva que agente faça....
Mas agarra-te a ti...aprecia a tua companhia...
um abraço
brisa de palvras

chipichipi said...

Olá! :)
Tenho um miminho para ti lá no meu cantinho!
Beijinhos

Afonso said...

Gostei muito do poema pois também estou triste. E triste ficarei por muito tempo.

Até breve . . .

Francieli Rebelatto said...

E essa tristeza é a mais triste de todas, a mais doída, justamente por não ser compreendida, e muito menos ser medida...

também fico triste e estou triste, mas enfim, espero que as poucos tudo se abrande...

Beijos e cuide-se!!! Bom, voltar a te ler!!!

Nuno Carvalho said...

Às vezes acho que temos uma dimensão de tristeza que nasce em nós no preciso instante em que nos sabemos sós... quando deixamos de ser de outro corpo...

Existe quem acredite ser possível ser feliz caminhando com as mãos livres para tactear tudo o que a vida apresenta... e representa...

Não acredito nisso.

Porque não acredito nisso... não baixo braços... não desisto de procurar essa felicidade, mesmo que seja doloroso, mesmo que me equivoque mil e uma vezes...

Tudo é todo porque passa pelo nosso crivo... porque recebemos e magnificamos... porque sentimos e fazemos disso um mundo...

E o mundo... deveria ser essencialmente encontro... ou procura de encontro...

Contacto... de irmãos, de amigos, de amantes... mas sempre contacto...

E para isso... temos de invariavelmente... esticar os braços... e procurar...

Beijo... minha mana de sol e de horizonte

particula-RG said...

Também ando triste...
Melhores dias virão! **

Oriana said...

Não estás sozinha quando estiveres sempre muito bem contigo...
O que é mais fácil escrever que conseguir viver!

gostei da frase
"Não serei uma, nem dois
Só eu serei um par."

talvez plagie, pode ser?

Um beijo na Alma

Pardosa said...

Acho que todos sentimos isso quando estamos sozinhos...
Sozinhos somos um par. Essa é a parte mais bela...e quiçá, mais verdadeira.