Sunday, August 05, 2007

ver



"O meu olhar tornou se liso como um vidro.Sirvo para que as coisas se vejam."
Sophia de Mello Breyner Andresen

17 comments:

mariazinha said...

oh, e como er (é) belo o que se via (vê)pelos seus olhos!
:)*

Jotabê said...

assim de repente pareciam-me preservativos, só depois reparei que a citação era de SMBA, pensei, não pode ser, esta moça passou-se :), será do calor ou da preguiça, ampliei aimagem, e então cheguei à conclusão que a minha mente vagueia por estradas diferentes daquelas pelas quais quero ir. e no entanto continuo a achar que se fossem preservativos até não era despropositado de todo, eheheh

:)

beijocas

Miss Alcor said...

Que lindo... a citação é simplesmente genial!!!!

PintoRibeiro said...

Soberbo, este.
Bjinho,

Memórias de Um Sorriso Luso ® said...

Descobrir a alma na transparência do olhar.Prefiro esta ideia à simples ausência do "ver", só para ser reflectido o que olhamos.

Beijinho e boas férias

Carracinha linda! said...

Saber ser transparente...deixar-se ver...tem tanto de bom como de mau. Gostei desta cita�o.

Beijinhos e boa semana!

RC said...

E o teu sorriso tornou-se quê? Seixo? Água? Concha?

laura said...

fantástica imagem.

poetaeusou said...

*
o mar de sophia
sophia do mar
*
xi
*

crispipe said...

Lindo!!!
No entanto muito pouco confortavél e muito pouco comum também.

Jokinhas

Nuno West said...

É bom que tenha algumas tonalidades, que filtrem o que por lá passa.

pn said...

o meu, rugoso e duro como o granito da serra fugindo à frágil transparência do vidro, tão adredemente estilhaçável...

veritas said...

É isso que procuro em olhares que me rodeiam, é isso que por vezes não consigo ver e é isso que me angustia...tantas vezes...

Bjs. Boa semana.

maria josé quintela said...

mesmo liso, nenhum olhar reflecte o que se vê por dentro.

José Manuel Dias said...

...cada um de nós tem os seus óculos...Abraço

Rainha das cores said...

que bonito que se veja assim...

Roderick said...

Os vidros que aqui colocaste são vidros para fusing.