Tuesday, March 16, 2010

Não sei se volteio
Se rodopio
Se quebro
Se tombo nesta queda
em que passeio
Não sei se a vertigem
em que me afundo
é este precipício em que me enleio
Não sei se cair assim me quebra...
Me esmago ou sobrevivo
em busca deste anseio.
[Maria Teresa Horta]

6 comments:

amor said...

O poema: Não sei...

Mas eu sei que gosto do teu bom gosto em cda escolha de poesia...

beijos

Valéria Gomes said...

O seu bom gosto é inquestionável. Prefiro que se mantenha a imaginar apenas, e jamais pule para saber o que há depois. Fique a imaginar somente, está lindo assim!!!

B-jos!!!

diabinho said...

olha, eu em pequenino tinha um sonho... que caía de cima de um convento, quando cheguei ao chão, olhei para todos os lados, levantei-me e continuei a andar...

Também, não podia acontecer nada diferente a um diabrete como eu....

Beijokas endiabradas...

Maria said...

:))

Beijo, Vela.

Carracinha Linda! said...

Gostei deste exerto... muito bonito mesmo!

Como estás Velinha? Espero que bem.

Olha... vem com o Simão ao meu blog conhecer a Goldie! :

Beijoca grande!

Apenas eu said...

o poema é bonito.
e também não podemos saber de tudo... :)

beijos meus