Sunday, March 21, 2010

Viva a Poesia!Viva os Poetas!

a suavidade do tempo
ou mesmo do contratempo.
mãos que dedilham,
em busca de sonoridade.
acordes da vida,
harmonia.
música...
claves muitas,
mas quantas notas se perdem,
ao toque mais suave,
fazendo descobrir e sentir
tons que arrepiam.
oiço,
sons
sempre em consonância com o tempo...
certo.
compassos, bemóis...
vibratos e sustenidos.
por vezes,
pausas
na dissonância
em que perco o tom.
versos em fios submersos
na ascensão
das notas dadas em tantas noites.
na partitura da saudade
o meu alento
é o ritmo que me embala.
busca diária
da
melodia distante
presente nos sonhos,
na musicalidade de novamente
me encontrar no tom!

6 comments:

Pedro Branco said...

Roubo-te uma palavra debaixo do vento
Que o meu sangue embriagado chora
A minha alma adormece, empobrece e demora
Em cada segundo do teu passo ainda lento
Corres em mim como rio e tempestade
Um trilho secreto, sem tempo nem idade
Com que me consomes todos os dias
Entre as dores e as correrias...

Canto-te outra palavra dentro do olhar
Profundamente em brasa como uma onda que fica
Tatuada na areia para sempre, pobre e rica
Na lágrima brilhante que reflecte todo o mar
Marcas o teu beijo, íris do abraço
Um verso mais que descubro e desfaço
Que me cobre o corpo e invento
Dentro do olhar, debaixo do vento...

pink poison said...

Como diria Fernando Pessoa, "A literatura é a prova que a vida não é suficiente..."
A escrita, a fria distância das palavras... Permite-nos outra dimensão...

Eu Mesma! said...

adoro ler os teus textos e quase sempre fico sem palavras para descrever o que senti

Valéria Gomes said...

Viva!!! Que lindo, Vela!

Bjok!!!

Mar Arável said...

As palavras são mais belas

quando se ateiam

metaforica mente

Bj

D. R. said...

VIVA! :)