Friday, April 21, 2006

Eu não sou de ninguém!...

Eu não sou de ninguém!... Quem me quiser
Há-de ser luz do Sol em tardes quentes;
Nos olhos de água clara há-de trazer
As fúlgidas pupilas dos videntes!

Há-de ser seiva no botão repleto,
Voz no murmúrio do pequeno insecto,
Vento que enfurna as velas sobre os mastros!...

Há-de ser Outro e Outro num momento!
Força viva, brutal, em movimento,
Astro arrastando catadupas de astros!

FLORBELA ESPANCA

7 comments:

Ana P. said...

Olá

Vim retribuir a visita..
E deparo-me com um blog assim...

Vou ficar...

Beijo

inBluesY said...

adoro este sim.

jinhos

sa.ra said...

ser poeta e ser mais alto... ou escravo de um amor sem norte...
ou ser de ninguém...
ou ser assim, desassossegado...

também à espera do derrareiro resgate...
da última redenção
ao amor Todo!

beijinhos
tem um óptimo fim-de-semana, feliz!

Era uma vez um Girassol said...

Minha querida, ninguém é de ninguém...lá dizia a canção!
A Florbela é a minha preferida, gostei muito da tua escolha, um grito de liberdade!!!!
Beijinhos

copa-rota said...

Obrigado pla visita, "onde as velas ardem até ao fim"...

Tambem gostei muito do seu blog ...Parabens!

Volte sempre!

Um grande bem-haja ;-)

raskólnikov said...

Deixa-te mas é de plágios e tontices culturais e põe-te mas é a decobrir como se põe musica nisto da blogosfera.

By the way ... astros arrastando astros, ás cataduplas...é o que me acontece a mim!!!!!!!

inBluesY said...

oi

em breve sei como se coloca a musica, mas é dificil tem de se ter n sei o q mas n sei q mais... qualquer das maneiras assim q souber, envio uma mensagem as velas :(

nem uma visitinha :(