Sunday, November 18, 2007

confusão

não sei o que dizer.a sério que não sei ... parece que tenho dupla personalidade( dsc mano) e dou cabo da cabeça dos outros e da minha, já fraquinha!detesto esta sensação, logo pela manhã, da cabeça a latejar....eu que ando bem, acho que sim sei lá... mas de repente dou por mim a gritar com a minha mãe e o meu pai sem saber porquê e com os olhos cheios de lagrimas.também é verdade que descarregamos nas pessoas de quem gostamos porque às outras nem damos essa confiança. mas estou a descarregar o quê??sei que este bloggue pode não ter muito interesse para os demais mas serve me de desabafo de mim própria...nem sempre é fácil caminhar o dia a dia.
tenho saudades de ter saudades...já sei que todos os portugueses tem saudades que é uma palavra só portuguesa,tralalalalalal...mas eu não tenho saudades de nada.mas apetecia me ter saudades ...de qualquer coisa, de alguem, de !!!!tenho saudades de mim, muitas mesmo, mas a vida é para a frente e eu sempre tive dificuldade de fazer aquilo que é mais fácil para os outros.mas também não vou dar um tiro na saudade ou tentar abafá-la!prometo a mim própria que a vou procurar e matar saudades.
lembrei me tenho saudades de aeroportos.parece estranho este tema de conversa mas realmente apetecia me estar no aeroporto de Lisboa ou de qualquer outra parte do mundo. os aeroportos sao sitios lindos- e olhem que eu conheço vários-são sitios de mudança. mesmo que nao estivesse de partida ou chegada era lá que queria estar!!!!comove me sempre o reencontro das pessoas nestes sitios, parece me sempre sentido, percebem???????''queria mesmo estar contigo''é o que as caras me dizem quando se abraçam nas CHEGADAS.pronto já disse apetecia me estar num aeroporto em qualquer parte do mundo!
às vezes é preciso.estar connosco próprios, para nos entendermos, para ver se gostamos um bocadinho de nós, pensar se é bom estar sozinho, se somos capazes para andar para a frente quando alguns nos empurram para baixo.se gostamos de estar acompanhados.se gostamos de gosta. fazer balanços....afinal...tenho saudades, sim saudades daquilo que fui mas do que também irei ser.
(raios partam esta cabeça tão confusa!)

25 comments:

melgadoporto said...

Não vou dizer que te compreendo.
Não vou dizer que te entendo.
Não vou dizer que sei o que sentes.
Não vou dizer que tudo passa..
Não vou dizer que amanhã é outro dia.
Vou tão só dizer-te com tuas palavras:
“sítios de mudança... mesmo que não estivesse de partida
ou chegada era lá que queria estar!!!!”
Também eu! E acredito que lá chegarei...
:)

Luis Eme said...

Eu gosto de estações de comboios...

E confusões, quem não as tem?

Lu@r said...

Até eu senti saudades...

:)

Bernardo Kolbl said...

http://suckandsmile.blogspot.com/2007/11/no-solidariedade-com-os-trabalhadores.html

Pepe Luigi said...

Não. Não se trata de confusão!
É apenas e muito simplesmente um teu pedido de chamada de atenção para contigo, o que é perfeitamente normal.
Às vezes não sabemos é identificar os nossos estados de alma.
Deves reflectir e interrogar-te e procurar saber responder às tuas perguntas. Se não fores capaz, desabafa com uma pessoa que te seja muito próxima mas muito amiga.

Beijinhos
Pepe

inBluesY said...

é que não estás só.

impulsos said...

As saudades que eu tinha de ler algo assim... louco!!!
Nem sempre somos o que parecemos e tantas são as vezes que nos apetece gritar ao invés de sorrir...

Essa do aeroporto até que nem está mal... tem muita movimentação de saudades!

Beijo

João Silva said...

A grande confusão convida uma arrumação radical...parar um momento e fazer um "re-start". ás vezes saímos do buraco mais forte do que quando lá caímos! ;=)

Um louvor para a boa escolha dos "Interpol" gosto muito desta musica.
E é só por isso que perdoo o facto de le começar a tocar sem eu ter "mandado" e de ter o volume das colunas quase no máx sem saber...
xiça que cagaço que eu apanhei!


ps: Podes continuar a pedir...mas isto ultimamente só me vêm disparates à cabeça, qualquer dia o blog tem "Bolinha" vermelha ao canto!

Zélia said...

Ai que me deixaste confusa...:S

Lu.a said...

Eu ía dizer que isto chama-se "síndrome de 2ª feira", mas depois vi que escreveste este post no domingo...

O post está excelente!E confusões...quem não as tem? :)

Boa semana!

poetaeusou . . . said...

*
disciplinada
confusão,
,
a tua,
*
velinhas de iodo, deixo,
*

anitah said...

adorei o texto. identifiquei-me. acho que toda agente deve passar por momentos assim.

Mateso said...

Ter saudades do que se foi é razoável
,mas melhor ,ainda, é ,daquilo que se será... um salto ao presente na linha de Chegada.
Um beijo.

Teresa Durães said...

a minha também anda (de novo)


beijos

A estranha said...

Adorei este texto... Não foi editado e saiu como saiu... Saiu como se sente entrecortado de pensamentos mais ou menos racionais... Nunca tive coragem de escrever assim, mas acho que ia sair assim uma... confusão!

Beijos Vela!

Pearl said...

Aeroportos... "O Amor acontece!" Bom filme!
:o)))***

pn said...

lembraste-me um poema (talvez de Jacques Prévert) "Dimanche à Orly", cantado não sei por quem, nos anos 60 (talvez Gilbert Bécaud).

aquele que ia para o aeroporto ver partir e chegar os aviões, em todos eles vindo e em todos partindo...
quase como Ariane, de Miguel Torga, aquela nesga de escuna, entrevista no Tejo pelas grades do Limoeiro...

...Ju... said...

provavelmente e so cansaco... :)

*bjinho*

pin gente said...

fico sempre nervosa com as partidas. acho que gosto mais de regressar. mas, na hora, também tenho pena de partir (regressar)... talvez com medo de não voltar!
abraço
luísa

mariazinha said...

Eu também adoro aeroportos.
E desabafos.
E saudades.
(E)beijos**

brisa de palavras said...

Há sempre saudade de algo...
Saudade do do que possa vir...nunca desistas

um abraço

brisa de palavras

david santos said...

Por favor!
Ajuda a que se faça Justiça a Flávia. Se és um ser com sentimentos, ajuda!
Eu jamais invadirei teu blogue, garanto! Mas ajuda.
Repara bem: eu, tu, seja quem for, tem nosso pai, nossa mãe, nosso irmão ou irmã, ao longo de 10 anos em coma, que vida será a nossa?
Se não tivermos a solidariedade de alguém com sentimentos, que será de nós?

TEMPO SEM VENTO

Ah, maldito! Tempo,
Que me vais matando,
Com o tempo.
A mim, que não me vendi.
Se fosses como o vento,
Que vai passando,
Mas vendo,
Mostrava-te o que já vi.

Mas tu não queres ver,
Eu sei!
Contudo, vais ferindo
E remoendo,
Como quem sabe morder,
Mas ainda não acabei
Nem de ti estou fugindo,
Atrás dos que vão correndo.

Se é isso que tu queres,
Ir matando,
Escondendo e abafando,
Não fazendo como o vento:
Poder fazer e não veres
Aqueles que vais levando,
Mas a mim? Nem com o tempo!

David Santos

Rain said...

Não, não estás sozinha. definitivamente. E ao mesmo estás só... Estamos todos infinitamente sozinhos... a sofrer, a sentir... a viver...porque só nós podemos saber o que sentimos!E às vezes amargamente.

E a saudade?... Que frio, que vazio de alma...



"Vivemos como sonhamos. Sozinhos." (já não sei onde li, mas lembrei-me...)
Um beijinho grande para ti
e
Parabéns por te conseguires expressar de forma tão sincera e sentida..

Just an ordinary girl said...

Penso que nao estaras assim tao confusa, pq te expressaste mt bem e deu para compreender o teu estado de espirito.
Momentos para se ficar sozinho, fazer balanços e colocar questões, saõ absolutamente necessarios, mas convem que sejam breves...

Mil beijos para ti!

Su said...

por momentos achei que tinha escrito tudo isso....."raios partam esta cabeça tão confusa"....sempre

jocas maradas de saudades