Monday, June 16, 2008

talvez poucos me conheçam


talvez poucos me conheçam.mas muitos não me percebem.só me conto e só me mostro a muito poucos. não escolho o momento de me mostrar. não controlo muitas coisas. explicam se assim as mudanças de humor. mas não sou acida. o sorriso e o choro. um cansaço que quase sempre me estafa muito. e uma ansiedade que me mata... não sei o porque. entrego me muito menos ao mundo.


sentimentos abafados. vejo os padrões repetirem se. sei que nunca terei todas as respostas e também nem quero. sei que existem motivos para as minhas neuras. sou atenta mas não calada. nem o mundo todo tem interesse por mim.o meu interesse é selectivo como uma protecção. estou mais eu do que quero e menos eu do que era antes.preciso de mudança. entendo que preciso de ter paciência.


às vezes parece que o meu cerebro pára. existem momentos em que uma espécie de paralisia toma conta de mim e não sei como sair dela. a resposta sou eu que a tenho que encontrar. o processo de mudança é lento mas sei que existe. preciso de respeitar o meu tempo. de aprender a não deixa lo passar em vão.preciso de respeitar os meus limites e ultrapassar outros. entendo que o que preciso na vida é de simplicidade.

27 comments:

Teresa Durães said...

a simplicidade mostra-nos a vida mas é difícil de alcançar

isabel mendes ferreira said...

e....

simplesmente aqui.

para te agradecer.


a constância.


.


beijo. grato.

pn said...

remeto ao outro post:
Mas tu és, assim, a meus olhos!

Eric Blair said...

a resposta está nos canabinóides :)

poetaeusou . . . said...

*
sê tu,
e
darás todas as respostas,
,
conchinhas
,
*

brisa de palavras said...

Conhecer o outro ou nós próprios às vezes não é nada fácil....e ultrapassamos os limites de uma vida....
um abraço e nunca deixes apagar a chama que existe em ti.

um abraço
brisa de palavras

Maria said...

A simplicidade é o caminho...
Gostei especialmente de te ler hoje.

Um beijo

Zélia said...

E nao precisamos todos?

Belo texto :)

era uma vez... said...

Depois de ler este post queria dizer-te muita coisa.
Viaja por aqui http://estouteaver.blogspot.com/

um beijo

Trio Colher de Pau said...

(Do que conheço)


compreendo...é muito difícil trabalhar com 2...simplicidade é a palavra chave...o (caminho) como diz Maria...e quanto ás neuras não passam de grandes manifestações de falta de amor e carinho,acho que estás a precisar de ser bem tratada.
Um abráço SIMPLES e carinhoso.

Mouralinda

Maria said...

A simplicidade nos passos de quem muito pensa, muito sabe de si por isso se sabe descrever como poucos.
neuras?
Quem não as tem?
Gostei de te conhecer.
bjo

Su said...

temos sempre todos os motivos....para ser/estar e deixar de ser/estar

jocas maradas de tempo.......

maria josé quintela said...

a simplicidade também é aceitar o que se é.


beijinhos.

rjl said...

:)

gostei do post!
***

Mateso said...

Embora de outras décadas compreendo-te perfeitamente.
Não deixes de ser assim... por vezes é duro mas quando toca o bom, então é óptimo.
Bj.

natA said...

olá!

Hoje ao ler o teu post... senti que estava a ler a descrição da minha alma e de tudo o que me tem passado pela cabeça...

interessante ver que pessoas diferentes sentem coisas parecidas...

Gosto muito de passar por aqui...

Velinha, não deixes que a tua chama apague...

Beijinho

Luis Eme said...

gosto de ti, porque não te conheço...

a simplicidade, acredita, é, provavelmente o melhor dos caminhos...

Beijinho Velas

João o Protestante said...

Eu tenho uma teoria em relação ás pessoas nos conhecerem bem ou não....
QUE SE LIXE! desde que aceitam o conheçam por pouco que seja e valorizem essa parte... e dêm um pouco de si também, já é uma relação saudável!

A utupia de ter quem nos conheça por dentro e por fora...bla bla bla para mim só tira valor ás pequenas coisas que conquistamos diariamente!

Dias said...

Parabéns, és humana, em todos os confortos e desconfortos.

Com esta capacidade de te descreveres imos e futuros, mais que simplicidade precisas de actos, actos que neste Mundo de humanos rareiam.

Abraço muito forte

borrowingme said...

olá velinha
já tinha saudades
precisei de um tempo afastada, para me "curar"...

bjs

fatima pb said...

se eu soubesse falar bonito, dizia-te da Esperança.
Mas, enquanto tentava escolher palavras que combinassem bem, lembrei que Esperança obriga a uma espera e sabes? nao sei se temos tempo para isso...
Uma coisa de que eu estou certa é: do que conheço de ti eu gosto muito e a minha amizade e a minha pessoa eu oferto a ti. Sou uma rapariga simplória, talvez te dê jeito, isso :)
Estou a brincar e a falar sério, ao mesmo tempo.
Quem dera ter mais respostas para te dar, velinhas. So conheço esta:vai até a rua, apanha uma flor bonita e enfeita o cabelo, dá um sorriso aberto a todos por quem passares, "ajuda a velhotinha na passadeira",...
Porque tens razão, é a simplicidade que pode nos curar.

Um beijo e um xi-coraçao mt apertado!

Lu.a said...

Velinhas, escreves magnificamente bem!:)

Carlos Ramos said...

É uma boa reflexão. A simplicidade, os 3 acordes da vida. Não é facil trabalhar contra um inimigo tão poderoso como o tempo.
Gostei muito do teu blogue.

Vício said...

ainda bem que sabes que não tens todas as respostas!
quem acha que as tem talvez não tenha quem lhe faça perguntas!

Brain said...

Não importa quantos te conhecem.
O verdadeiramente importante,
É que TU própria te conheças!

Isso sim!
Isso sim.

Um Beijo meu.

pin gente said...

viver com o coração nas mãos.

beijos

amazing said...

(engulo em seco)
beijinho