Wednesday, April 22, 2009

Caos Calmo

Caos Calmo é um belo filme italiano, baseado no livro homonimo de Sandro Veronesi, e do elenco faz parte Nanni Moretti (Quarto do Filho). O Quarto do Filho foi dos mais belos filmes italianos que vi, mostra a perda, a dor da morte de um filho, mas também a luz ao fundo do túnel. O filme demonstra que uma dor assim só pode ser suportável se conseguirmos construir a partir dela e não destruir ou autodestruir. Parece contraditório, mas faz sentido.
Quanto ao Caos Calmo é de um filme terno de loucura.O enredo é simples: após a morte da mulher, o empresário Pietro Paladini (vivido por Nanni Moretti) decide passar seus dias na praça em frente à escola infantil da sua filha e faz sua vida acontecer em um banco de madeira do jardim frente à mesma.Frequentemente, Pietro é acometido de uma estranha mistura de caos e calma. Desde a morte da sua mulher que não tem paz. Lara morreu, inesperadamente, num dia de Verão. Pietro não estava em casa, na altura. Estava na praia com o irmão, a salvar a vida de uma outra mulher, uma desconhecida. Um dia, quando está a levar a filha à escola primária, Pietro decide esperar por ela no carro. E continua a fazer o mesmo nos dias que se seguem. É como se estivesse a refugiar-se no carro, ali sentado, à espera da dor da solidão. Escondido no seu automóvel, começa a observar o ambiente e descobre os refúgios dos outros. Os seus patrões, colegas e familiares aparecem para reconfortá-lo. Mas a única coisa que conseguem fazer é falar-lhe da sua própria dor sem limites e fugirem da sua incompreensível calma. No entanto, Pietro começa lentamente a recuperar.

Ficha técnica do filme-Realização: Antonello Grimaldi. Elenco: Nanni Moretti, Valeria Golino, Isabella Ferrari, Alessandro Gassman, Hippolyte Girardot, Blu Yoshimi, Kasia Smutniak, Denis Podalydès, Charles Berling, Silvio Orlando. Nacionalidade: Itália 2008.
E depois tem uma banda sonora fantastica... Radiohead, Rufus Wainwright,além das canções originais assinadas por Paolo Buonvino e outros não tão conhecidos como a banda do canadá Stars e o cantor Ivano Fossati.

“Io non sto fermo: io me muovo!”

(Pietro-NANNI MORETTI )


o título - Caos Calmo - evoca uma possível contradição. como pode um caos ser calmo? de que maneira estabelecer serenidade numa situação de desordem? mas quantos de nós face a uma situação caótica não reagimos já com uma estranha calma...continuo a achar que não somos seres racionais ou pelo menos não inteiramente e por isso tentamos administrar tantas vezes internamente o máximo de controlo que conseguimos. tentamos conter o caos e manter a calma. às vezes a nossa calma( e neste caso a dele) está de acordo com o nosso próprio caos que temos que saber gerir para todos os dias nos levantarmos da cama e seguir caminho.mesmo que de olhos molhados e peito apertado, como se o que sentimos, o que andamos para dizer faz tempo e o servisse assim: igual para todos, diferente para cada um.

A primavera é quando ninguém mais espera.

A primavera é quando não.

A primavera é quando do escuro da terra

ascende a música da paixão.

A primavera é quando ninguém mais espera

e desespera tudo em flor.

A primavera é quando ninguém acredita

e ressuscita por amor.

(poema lido por aí..mas não sei o autor)

11 comments:

Eu Mesma! said...

Os filmes deeste senhor são sempre tão chatos que eu não os consigo ver ate ao fim....

:)

Big Girls Don't Cry said...

Adoro Nanni Moretti...
Beijo

Quarto do Filho é uma lição de vida...

Roderick said...

Nunca vi este.

Teresa Durães said...

Não o vi. Se o universo, no início era o caos, só vejo de uma forma calma

Sea star_ Hannanur said...

Ó Velinha, tu andas a ver muitos dramas.Ficas como a pic do teu post anterior.
Precisas animar-te!

Olha, eu "desliguei-me" de tristezas.Bloqueio tudo que nada acrescenta felicidade a esta passagem por cá.Afinal,é um desperdicio da nossa vida.

NO próximo Domingo quero-te de sorriso ENORME no rosto.

Vá,FORÇA!

Beijinho

ah! li tudo que escreveste para trás.Já estou em dia.

Tem um Bom dia ;)

ainda outra coisa....o Rufus é um dos meus preferidosjá faz tempo.

mateo said...

Ao ler-te, assaltaram-me duas ideias: o luto e a luta.
Como se gere um luto?
Como se gere uma luta?
O luto é visível.
A luta existe na aparente dualidade emoção/razão...
Estou quase convencido que queremos ser comandados somente pela emoção.
Beijos.

Lua said...

Olá Vela,

O filme parece-me interessante! Acho que só pela Banda Sonora Radiohead e Rufus Wainwright....já diz tudo:)

No teu Post falas que numa situação de caos muitas vezes não somos seres racionais, concordo contigo, agora não sei se essa irracionalidade está relacionada com o "Choque" da situação ou se é alguma força inexplicavel que o ser humano encontra dentro de si próprio para enfrentar com tranquilidade.

PS: Grande testamento para 1ª visita :)
Pelo que andei a cuscar, Adorei o teu espaço!
Já tens mais uma cusca por cá.
Beijinhos
Sonia

Black Angel said...

muito muito bom este filme
como se gere um luto?

digamos, que se gere como desespero em flor, e desperta-se um dia não acreditando que já não doi.

a recordação, essa, permanece

e seremos os mesmos á mesa, enquanto um de nós existir (li por aí)

beijinhos

impulsos said...

Velas
Conseguiste abrir-me o apetite para ir ver o filme.

Vou ver se o vício me leva...

E sim, a nossa capacidade de autocontrole é fantástica!
é uma espécie de antídoto contra o mal que eventualmente poderíamos fazer a nós próprios...

Gostei da tua apreciação e do poema sem autor, também.

Beijo
Beijo

Mar Arável said...

25 de Abril

de novo

Porcelain Doll said...

Gosto de contradições... no fundo são todas meramente aparentes... e de contrários, e de opostos... vejo-os como faces da mesma moeda pedindo para serem unidos, harmonizados, conjugados. Talvez por isso conheça tão bem a calma no meio do caos, já que é um fenómeno que costuma suceder-me... daí por vezes gostar do caos, sentir necessidade dele... para enfrentá-lo, preciso apenas sentir que mantenho o meu centro, o meu eixo interior imutável...

Construir a partir da dor é o que de mais inteligente podemos fazer... é a única maneira de superá-la definitivamente...

Fiquei interessada no filme... :-)) A sério que fiquei, deve ser delicioso!!

Beijos!!