Tuesday, April 07, 2009

JOSÉ SÓCRATES, O Cristo da Politica Portuguesa_João Miguel Tavares

Ver José Sócrates apelar à moral na política é tão convincente quanto a defesa da monogamia por parte de Cicciolina. A intervenção do secretário-geral do PS na abertura do congresso do passado fim-de-semana, onde se auto-investiu de grande paladino da "decência na nossa vida democrática", ultrapassa todos os limites da cara de pau. A sua licenciatura manhosa, os projectos duvidosos de engenharia na Guarda, o caso Freeport, o apartamento de luxo comprado a metade do preço e o também cada vez mais estranho caso Cova da Beira não fazem necessariamente do primeiro-ministro um homem culpado aos olhos da justiça. Mas convidam a um mínimo de decoro e recato em matérias de moral.
José Sócrates, no entanto, preferiu a fuga para a frente, lançando-se numa diatribe contra directores de jornais e televisões, com o argumento de que "quem escolhe é o povo porque em democracia o povo é quem mais ordena". Detenhamo- -nos um pouco na maravilha deste raciocínio: reparem como nele os planos do exercício do poder e do escrutínio desse exercício são intencionalmente confundidos pelo primeiro-ministro, como se a eleição de um governante servisse para aferir inocências e o voto fornecesse uma inabalável imunidade contra todas as suspeitas. É a tese Fátima Felgueiras e Valentim Loureiro - se o povo vota em mim, que autoridade tem a justiça e a comunicação social para andarem para aí a apontar o dedo? Sócrates escolheu bem os seus amigos.
Partindo invariavelmente da premissa de que todas as notícias negativas que são escritas sobre a sua excelentíssima pessoa não passam de uma campanha negra - feitas as contas, já vamos em cinco: licenciatura, projectos, Freeport, apartamento e Cova da Beira -, José Sócrates foi mais longe: "Não podemos consentir que a democracia se torne o terreno propício para as campanhas negras." Reparem bem: não podemos "consentir". O que pretende então ele fazer para corrigir esse terrível defeito da nossa democracia? Pôr a justiça sob a sua nobre protecção? Acomodar o procurador-geral da República nos aposentos de São Bento? Devolver Pedro Silva Pereira à redacção da TVI?
À medida que se sente mais e mais acossado, José Sócrates está a ultrapassar todos os limites. Numa coisa estamos de acordo: ele tem vergonha da democracia portuguesa por ser "terreno propício para as campanhas negras"; eu tenho vergonha da democracia portuguesa por ter à frente dos seus destinos um homem sem o menor respeito por aquilo que são os pilares essenciais de um regime democrático. Como político e como primeiro-ministro, não faltarão qualidades a José Sócrates. Como democrata, percebe-se agora porque gosta tanto de Hugo Chávez.

Resultado: uma queixa-crime contra o colunista do DN por aquela e outras referências no texto. Sócrates tinha ameaçado com processos os jornalistas que escreveram sobre o Freeport.
João Miguel Tavares foi ouvido no DIAP de Lisboa. Contactado pelo DN, o colunista declarou: "Agradeço a atenção que o senhor primeiro-ministro me dedicou de que não me acho merecedor."

Digo eu:

Ainda bem que temos um PM democrata...se ele não o dissesse eu ia apostar que era DITADOR!

Quanto a ti, João Miguel Tavares, estiveste muito bem!E melhor ainda é a frase pós DIAP!

13 comments:

Eu mesma! said...

Ai credo....
esta hora da manhã é ainda muita informação!

pensamentosametro said...

Ditador? é preciso ter descaramento, coitado do senhor um perseguido, acossado pelas más vontades e calúnias...

Yes we can, correr com este piolho sarnento, resta saber se o povão percebe bem a coisa, se deixa de ser preguiçoso e começa a somar 2+2

Bjos


Tita

vício said...

espero que essa queixa crime tenha o mesmo fim que a que ele fez ao autor do blog Do Partugal Profundo

Pedrasnuas said...

Bem,míúda Parabéns!!!!

Tudo isto é vergonhoso!!! espero honestamante que seja tudo esclarecido,porque estou farta de ouvir os ditos senhores se fazerem de vítimas. Quem faz tem de assumir e ser punido,seja lá quem for!!! Onde há fumo,há fogo!
Os escândalos rebentam e a culpa é dos jornalistas,naturalmente!!!
Mas falar é perigoso...
e cravo já murchou há muito tempo!
Não existe Justiça neste país,anda tudo à deriva!!!

Beijos

Teresa Durães said...

faz-me confusão esta ditadura disfarçada

pn said...

VARA DE CÍNICOS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

poetaeusou . . . said...

*
Espera já comento,
estou a ler Aleixo,
,
Quantas sedas aí vão,
quantos brancos colarinhos,
são pedacinhos de pão
roubados aos pobrezinhos,
,
in-António Aleixo,
,
conchinhas,
,
*

poca said...

O que acho mais graça é que apesar de tudo ainda há quem diga que como não há oposição ele vai ganhar as próximas eleições!!

Seremos assim tão poucos os que vêm?!

Quanto a mim que sou apenas uma das milhares de professoras maltratadas com este governo, gostei particularmente da graçinha dele ter ido ler um estudo que elogiava o novo estatuto da carreira docente, dizendo que tinha sido escrito pela OCDE.

É preciso ter muita lata..

Maria P. said...

Passo "por cima" do teu post, para agradecer as tuas palavras, como por vezes palavras de quem tb não conheço, nos podem fazer sorrir, e pensar, apesar de tudo isto, apesar deste mundo, assim, ainda vale a pena, ainda exitem pessoas fantásticas...obrigada.

Beijinho com todas as cores de Maio para a tua vida:)

Maria said...

És linda, sabias?

Beijo

Porcelain Doll said...

Sabes que eu gosto imenso do Sócrates eheheh :-D Ele, como o Cavaco, no seu tempo, perceberam muuuiiitttoo bem que o belo do tuga gosta do belo do chicote!!! :-|

Vais ver se eles de lá saem...

:-(

Buá.

Beijos.

Beatriz Cró said...

Foi a melhor coisa que me podias ter dito! :') (não por teres chorado mas por saber que toquei.)

A Verdade apanha-se com enganos... said...

Estou bem Velinha :)

beijinhoo*