Tuesday, March 27, 2007



Engulo palavras
pelo mundo.

Na língua diluem-se
pedaços de dúvidas.

Perco-me na saliva
das fantasias digeridas.

Leio com os dedos
um poema do avesso.

Trago momentos
eloquentes de ideias possíveis.

Cuspo sonhos sem nexo.
Escondo os versos finais.

Não conto
os meus caminhos
talvez porque não os conheça.

46 comments:

joaninha said...

gostei! parabens!

Verde said...

Nasci do sublime amor de um Deus e o azul do arco-íris, navego em um mar de luz, transformo cor em amor, sou aquele que te dirá onde pára o eco da palavra…

Profético beijo

pn said...

a palavra. com ela. nela

ler e escrever
a vida
nas suas ignotas vias

e desvendar
a dúvida
nos versos dos caminhos
onde ela
sinuosa
se esconde

(velas: para ti, com as tuas palavras, assim reditas)

amazing said...

Num tem nada que enganar!

Não conheces os caminhos?
Centro Cultural?

Segue, segue, segue, recto...
Depois vira à esquerda na rotunda e bai dar uma ganda bolta.... :D

arritmia visceral said...

cuspo os versos
e escondo os sonhos.



às vezes escrevo-os.

versos e sonhos.




às vezes acontece POESIA.

poca said...

lindooo

o texto e a foto.


"Não conto
os meus caminhos
talvez porque não os conheça."... pelo menos não todos.

beijo grande

Nuno West said...

Queres ver quem ganhou?

Teresa Durães said...

mas a menina é uma poeta (já tinha percebido ums post abaixo mas agora confirmo!)

cada vez a gostar mais!!

boa noite

Estranha pessoa esta said...

Que contes o teu sentir.. mas, não contes alto, nem contes baixinho... e nem contes as vezes que choraste com esse contar..
Conta num contar diferente!
Num contar teu!

Conta-te!

+desabafos said...

muito bom! parabéns!

crispipe said...

.........poemas do aveso........

PR said...

Bom dia e um bjinho,
temho de reler.

Utzi said...

Lindíssimo.
Ninguém conhece os seus próprios caminhos, ainda que possa saber o destino que procura... :)
Beijo

sea said...

há caminhos que já percorremos e nunca soubemos como lá chegámos, outros, fizemos por lá chegar e não sabemos como sair deles.
mas, todos eles têm um fim.

um passo de cada vez, será, talvez, o melhor caminho.

um beijo

Cris said...

Os teus caminhos irão revelar-se quando assim for tempo...

Beijinhos, Velinha

Cris

Alê Namastê said...

Seus caminhos são contados por belas palavras.

Beijos*

Desassossego said...

Não contes percorre-os...
Deixo-te um beijo doce e agradeço-te as palavras qie aqui li e que deixaste lá por casa.
Acabo de encerrar um capitulo da minha vida, talvez volte noutro abrigo.

maria josé quintela said...

do avesso ou do direito, as tuas palavras vão desbravando caminhos.

um beijinho.

Cris said...

Estás mesmo triste, não estás? Pelo que que percebo parece que um dos meus ultimos escritos foram feitos pela tua mão.... Não o permitas, não deixes, eu já lá estive e não é um sítio bonito.

Um beijinho muito grande
Cris

Scarlett said...

Gosta da imagem que me proporciona "ler com os dedos um poema do avesso", como se o toque nos fizesse descobrir algo ainda por desvendar...

Confrade said...

mais um poema de qualidade!

bjs

p.s. - obrigado pelo voto de confiança! n te vou desiludir!
mais bjs!

ChiCa said...

"Não conto os meus caminhos, talvez porque não os conheça!"

BOM!!!

kinha said...

Bom dia e um beijinho.

veritas said...

"Cuspo sonhos sem nexo". E não será um dos objectivos mais estimulantes da nossa vida persegui-los, torná-los possíveis? mas aí temo que terminaria o desafio...deixariam de ser sonhos...

Bjs.

Branca said...

Não precisas de contar os teus cantinhos,
são eles que te tornam especial,
só quem te conhece verdadeiramente é que os vê e os encontra...
São só deles os teus cantinhos...
Meus?
Não...
Eu não os vejo...
Mas, vou imaginando-os
no balanceio das tuas palavras...

Beijinhos!

osangue said...

Aparece se quiseres. Bom dia, bjinho.

Cris said...

Velinha, ajudar não custa. Às vezes uma palavrinha na altura certa faz milagres, ajuda a não deixar cair a lágrima que tanto quer molhar OUTRA vez o nosso rosto. Antes de encontrar o meu Mafarrico, passei EXACTAMENTE pelo mesmo. Usada por um rapazito com pretensões a homem, enfadado com a vida que levava... Não deixes que isso se entranhe na pele, não vale a pena ... Todos os dias eu agradeço a esse "rapazote" por ter sido o que foi, pois só assim eu dei valor ao amor tranquilo que teve a paciência e a dignidade de esperar, curar as feridas que ficaram, pegar-me na mão e aconchegar-me ao colo, para eu não voltar a sentir frio.

Não te deixes consumir por um sentir que só te vai envenenar...

Um beijinho
Cris

Brain said...

Podes não conhecer os teus caminhos, mas definitivamente, conheces o teu lugar!

Podes esconder os versos finais,
Mas para bom entendedor...

As ideias, podem ser "apenas" possíveis,
Mas os momentos são definitivamente reais!

E qual a melhor forma de ler o que quer que seja,
Senão em toda a sua plenitude?

Se já foram digeridas,
Bem dito salivar!

Na língua tudo se dilui,
Porque não as dúvidas?

Se o fazes pelo mundo,
Só podes ser magnânime!

Adorei.
Beijo.

olhos cor do lago said...

Por vezes encontramos caminhos contraditórios, perdemos-nos no meio da dor das nossas feridas... e entramos em loop...

Mas não deixes de sonhar, de fazer planos para a vida e continuar a viver.
Não deixes a chama que arde em ti apagar-se.
Não deixes que as mazelas daqueles que te maltrataram te derrubem e extinguam a tua vela...

Beijinhos

MARIA VALADAS said...

As velas alumiam o nosso caminho...mas por vezes apagam-se a meio...
E é na escuridão que temos de encontrar o nosso caminho....

PS: O que escrevi, não tem nada a ver com o teu texto...mas foi um acto irreflectido para o fazer!

Beijo

Maria

Vera Carvalho said...

É a primeira vez que acendo uma vela por cá, mas depois de te ler teria acendido todas! Adorei, amei a tua escrita, a tua ORIGINALIDADE. Seria um prazer abrir um caminho até ti lá no meu pétalas. Posso?
Um abraço

poetaeusou said...

***
um poema do avesso
*
como eu gosto
*
desassossegar o sossego.
*
ate
****

Isabel said...

Eu já estava do avesso hoje.
A estranha pessoa esta está do avesso.
E chego aqui... leio-te e não sei se fico mais do avesso se me endireito.

Eu cuspo palavras pelo mundo
engulo o mundo para cuspir palavras

O mundo é dificil de digerir
engulo-o pelos olhos
pela boca
pelos ouvidos
e toda eu ardo
o mundo são pedaços de vidro pequeninos

valha-nos o mel que escorre do sol
a água do mar a saliva dos beijos sentidos, o suor a seiva e o vinho para nos ajudar a engolir os pedaços de vinho do mundo.

não conheço os versos finais
conheço os sonhos
amarro-os à memória
torno-os parte do caminho
mas não os conto
e se conto
não conto que esses que conto são caminhos meus.

Velas ardes ardes até ao fim e tanto ardeu este poema que creio não me endireitaste e ainda bem... viraste-me mais do avesso.

Muito....é muito este poema

Isabel

Sara MM said...

UAHU!!!!


tu tens mesmo geito, moça! :o)

Bjss

Dark-me said...

Belas e sabias palavras porque haverá quem conheça todos os seus caminhos??...

Dark kiss

Su said...

adorei ler.te....perdi.me ....

jocas maradas

Delfim Peixoto said...

Tenho sentido falta da tua chama...
jnhs

Rebirth said...

Leio as tuas palavras e, sabes, é um pouco assim que entendo a vida, como uma busca incessante de caminhos que não conhecemos, tortuosos, ocultos sempre por detrás de palavras vâs e fantasias desfeitas, ideias perdidas, sonhos improváveis. A arte de viver está muitas vezes no inconformismo do nosso ser, numa vontade que raramente sabemos de onde vem mas que nos impede de cair... e na certeza de que esses caminhos existem de facto, algures... e onde nos podem levar, acredita, depende sobretudo de nós...

Abraços de um viajante ocasional...

IzilGallu said...

Adorei seus verso, seu blog, adoro este estilo de escrever, pois escrevo assim tambem.. parabens...

IzilGallu said...

te inclui em meus favoritos, para poder voltar sempre
abraços

DairHilail said...

gostei do poema...eu estou no meu mundo á parte.
Fica bem!

Giorgia said...

Não contes os teus caminhos... não porque não os conheças, mas porque são mais teus que qualquer outra coisa...

beijo de saudadinhas

Roderick said...

Ninguém conhece os caminhos que percorre. São sempre misteriosos. Mas por isso é que a vida é bela e maravilhosa.
Beijos, amiga.

Bandida said...

só quando os percorremos é que os vamos conhecendo. e é isso que nos faz inventar trilhos. e são esses que valem a pena.



beijo V.


B.
_________________________

Eric Blair said...

é muita chama...

Peter's Thoughts said...

Esconde os versos, não te escondas a ti.
Gostei muito.
Beijo