Sunday, March 25, 2007

eu gostava


Eu gostava de gomas de diversas cores como os lacinhos dos embrulhos.

Eu não tinha medo morte, eu só gostava da vida.
Ela gostava de bonecas vestidas de senhora. Quase azuis, entre as nuvens e o céu, como os sonhos.
Eu não tinha medo morte, eu só gostava da vida.

Eu gostava de contar estrelas, não tinha medo das verrugas nem dos cometas que anunciavam o fim do mundo.
Eu não tinha medo morte, eu só gostava da vida.
Eu gostava de chapinhar nas poças, não tinha medo do pingo ao nariz nem das febres que anunciavam a morte.

Eu não tinha medo morte, eu só gostava da vida.
Eu gostava de fazer barquinhos de jornal, os desenhos na calçada feitos com pedaços de carvão e dos moinhos de vento.
Eu não tinha medo morte, eu só gostava da vida.
Eu gostava da comida dividida, noves fora, nada. E a dor multiplicada. E o tudo somado ao nada, do nada subtraía a vida.

Eu não tinha medo morte, eu só gostava da vida.

Mas, sonhava.
E sonhava nas esquinas, nos muros e nos becos enquanto as mãos enormes dos homens me borravam os sonhos e mancharam a minha alma pequenina como se fossem gomas, de diversas cores, como meus olhos acordados no tempo roubado às brincadeiras, nas brincadeiras de gente grande do outro lado da vida.


06 injoy.mp3

33 comments:

Pedro Branco said...

E agora? Que tens tu?
Um corpo de mulher e a força adulta para (te) construíres um mundo melhor.

É ou não é?

Beijo meu.

joaninha said...

porque é que nao continuas a sonhar e a desejar isso? podes sempre faze lo... eu continuo a sonhar :)

*beijinho*

Teresa Durães said...

ainda sonho (às vezes), gomas sim, e não gosto dessas mão enormes que teimam em estragar a vida

boa noite para ti

amazing said...

Pequenos graúdos somos nós.
Medos... Tenho muitos, receios também.
Gostares... Esses têm que se lhe diga!
Mas vamos sonhando...
Se não o fizermos que fazemos nós cá?

Bandida said...

brincar à vida. é só que fazemos.




beijo V.


B.
____________________________

Branca said...

E continuas a sonhar actualmente,
pode não ser com o mesmo,
ou com a mesma intensidade,
mas todos nós sonhamos...

Também gostei de te conhecer...
Boa semana!
Beijinhos!

crispipe said...

Lindo!!!!!

que dizer.....?????

Jokinhas

sea said...

sempre achei que sonhar é disfarçar a realidade.
e quando se sonha muito, o encontro com a realidade, é aind amais doloroso do que os que vivem sem sonhar.
mas, ainda assim, "enquanto as mãos enormes dos homens me borravam os sonhos e mancharam a minha alma pequenina como se fossem gomas" e quando assim for, olha para o outro lado.

beijo

Carracinha linda! said...

Continua a gostar do que gostas! E continua a sonhar...sonhar traz outras cores à vida.

sonia r. said...

Eu também gostava...bjinho.

Cris said...

Às vezes custa sonhar, já não há forças para tal...

Beijinho
Cris

Delfim Peixoto said...

É bom sonhar,nem que seja só sonhar em sonhar!
jnhs

Miss Alcor said...

Maravilhoso! A poesia da vida no seu expoente máximo! Lindo.
Também não gosto dessas mãos que teimam em borrar os sonhos!!!

Ana Luar said...

Que se mutilem as mãos que mutilam os sonhos. As gomas, apesar de doces, dispenso.:)

MiguelGomes said...

Eu ainda sonho, embora cada vez mais vá acordando... Valerá a pena ainda sonhar?

Fica bem,
Miguel

Utzi said...

Que lindo... adorei. Palavras que desenham, com um traço infantil, sentimentos de mulher...
Um beijinho :) vou voltar certamente.

pn said...

velas
que ficção (?) tão desoladoramente triste triste triste...

Dark-me said...

Uma mulher eternamente menina!!
Dark kiss

Nuno West said...

Eu tinha medo de contar as estrelas...e das verrugas.

Mas sonhava mais...

Luis Eme said...

Velas, sonha sempre, e não desistas de gostar da vida nem de gomas...

E escapa sempre dos homens de mãos enormes...

Estranha pessoa esta said...

.............................

poca said...

hoje.. também.
espero
beijinhos

Brain said...

Eu gostava,
Que apesar de tudo,
Continuasses a gostar da vida,
Tal como antes,
Pois ela,
Eu acredito,
É aquilo que nós fazemos dela.

Beijo.

little_blue_sheep said...

:)

não deixes de sonhar...
mil beijos!

un dress said...

o melhor é mesmo ficar deste lado...?

mesmo pagando O preço...

Jotabê said...

Se insistirmos em manter a forma passada na presente, chamam-nos ridículos, que fazer então?! Dissertamos numa angustiante e melancólica nostálgia?

:|

beijoca

Pierrot said...

Não sei porque mas este teu post fez-me lembrar e regressar à minha infância perdida...
Tanta coisa bonita e inocente que perdemos neste maldito stress.
Bjos daqui e parabéns pelo texto, está fantástico.
Bjos daqui
Eugénio

Lu.a said...

:)
Não deixes de gostar e GOZAR a vida como dantes...

Beijinhos*

Memórias de Um Sorriso Luso said...

Quem sou eu para te dizer que nunca deixes de sonhar.Mas digo-te, porque o sei de experiencia.Sonhar é bom.Mas concretizar os sonhos é muito mais gratificante.Assim que troco um sonho no balcao das realidades, tiro senha para novo desafio.A Vida tem mais cor, mais sabor.

Hoje, sou eu que te dou um enorme abraço.Estou Feliz e apetece-me partilhar!

Dawa said...

Tão forte, tão lindo... Tocou-me!
Beijinhos!

Rebirth said...

Sabes porque é que a Alice conheceu a Rainha de Copas o capitão Nemo viajou pelo fundo dos mares? Porque é que Odisseus só voltou a Ítaca vinte anos depois de ter partido? Porque é que foi a um Hobbit que coube a árdua tarefa de destruir o anel do poder?
Sabes?

Porque Lewis Carroll, Júlio Verne, Homero e Tolkien nunca renunciaram ao maravilhoso dom do sonho... não renuncies tu também...

olhos cor do lago said...

Gostavas, sonhavas?
Ainda sonhas, ainda gostas, a vida continua, só está um pouco mais amarfanhada...

Beijinhos

Nuno Carvalho said...

Gostava de poder ser onda...

Como num livro filho da terra filha do sol e do horizonte de onde somos apenas dois de muitos irmãos...

Se onda fosse, não seria de muitas praias e areia sem findar. Seria a água que rompe e retorna para banhar pés, poemas e todas as conchas que conseguisse inundar... :)

Gostava que tudo fosse simples... Mas se fosse, seria tudo muito menos interessante, não é? Teríamos muito menos por onde aprender… por onde mudar...

Muito menos por onde viver...

Um grande beijo