Thursday, March 15, 2007

um telefonema e algumas certezas...Mais vale só que mal acompanhada!

Estou sozinha faz hoje precisamente 10536 horas e não me sinto só. Hoje sinto me feliz com minha própria companhia. Da janela do meu apartamento observei o sol.Lindo! Um dia li um texto onde o autor fazia a relação, mulher/lua, "Mulheres que minguam quando a lua míngua". Pensei que podia ser verdade. No meu caso, o Sol mingua, e eu também. Mas tal como o sol, que ressurge, eu também, serei uma nova mulher. E desta vez é para valer (o sol: remete a um período a que se dá início a tudo que for novo). Sinto me assim mesmo: nova.


Nas 10536 horas de solidão aprendi a prestar atenção às coisas, ler nas entrelinhas, perceber os detalhes. Parei de atropelar sentimentos e travei alguns pensamentos insistentes e desordenados. Serenei, amoleci...sei lá...ganhei forças e combati.
Com as 10536 horas de solidão aprendi. Aprendi a tomar um chá de menta com açucar amarelo e sentir seu real sabor. Sorver com carinho e delicadeza, sentir o perfume da menta. Quantas vezes já eu tinha tomado este chá sem ao menos sentir. Tomava automaticamente, olhando para os lados, sempre apressada, sempre stressada. Pressa de que? Pressa de ir a lugar nenhum. Talvez pressa para fugir de mim mesma. Hoje não fujo. Quero ir até as profundezas, descobrir a alma, a minha essência.


Sei agora que tenho um lugar definido, e o chá de menta é o sinal de que este lugar existe. Aprendi a ver sem olhar, a sentir sem tocar, a "ouvir a escrita", a ler os sinais. Eu sou uma PESSOA. Volto à rua desejando que a NOVA pessoa fique para sempre.
Na estrada o sol brilha no céu azul, na cidade, o trânsito, o caos e eu ainda tentando ler nas entrelinhas, esforçando-me para manter me NOVA. Apenas 10536 horas comigo mesma e tanta coisa sentida.


O corpo fala, os olhos, principalmente, e coincidências não existem.

45 comments:

Scarlett said...

Minha querida essas 10536 horas não são de solidão, são 10536 simplesmente. Eventualmente poderiamos dizer que passaste essas 10536 horas sozinha mas nem isso é verdade: estavas contigo antes de mais, em plenitude, estavas com o sol, com a lua, com o chá que tomavas, com o que vias sem olhar, com o que sentias sem tocar ...

Minerva McGonagall said...

Ó mulher, andas a contar as horas???

Isso é estranho!

;)

Diabba said...

ora ainda bem que apesar de uma árdua caminhada, agora encontras a paz e caminhas com serenidade!

beijo d'enxofre

Nuno West said...

Fantástico este teu texto. Percebo as palavras como se fossem minhas. Ainda não fiz as contas para er há quantas horas estou sozinho. Mas afinal...não é isso o mais importante.

Bj.

Afonso said...

Fantástico este texto. Gostei mesmo muito.

Até breve . . .

bettips said...

É um penar mas também um grito alegre, de liberdade. Tens tão pouca idade...e o teu olhar sobre as coisas é tão lindo! Bj

Tejina said...

10536 horas, visto assim, parece uma eternidade!! Nunca soube lidar muito bem com o estar sózinha, mas aprendi! Tudo se aprende quando se pretende! O que é certo é que agora, por vezes, me sinto acompanhada demais!! Sinto falta do meu mundo, do meu espaço, do meu tempo, das minhas coisas, do meu silêncio, dos meus pensamentos, dos meus sentimentos.... Sinto falta de MIM!!!

Mas sabes, estar sózinha não significa solidão! Quando se aprende e se consegue estar só, então não estamos na solidão, mas sim connosco mesmos!!! E se precisares de companhia [sim, às vezes também faz falta], posso oferecer a minha amizade!! :)

Um beijinho e um xi-coração!!

TONY, Duque do Mucifal said...

Velinhas, gostei do texto e das ideias que estás a transmitir. quantas vezes os pequenos gestos do quaotidiano não nos passam despercebidos?
Quantos vezes não damos a devida atenção a um pequeno gesto?
No entanto, há momentos, que esse mesmo instante é transposto para uma realidade superior.Com isto, não quero dizer, que não valha a pena apreciar estes pequenos gestos.
Vale bem a pena faze-lo.
Mas Velinhas, porque as horas? E não os minutos?.
É porque custa mais passar as horas do que os minutos?

sea said...

Ainda te digo mais, nada acontece por acaso. Nada. (bom. Mas eu também sou daquelas pessoas que acha que tudo tem um porquê e uma razão de ser :D. Doloroso, muitas vezes, tentar encontrar essas respostas).
Mesmo quando as coisas nos parecem muito duras, tristes, injustas, haverá sempre um dia em que surgimos fortalecidos, engrandecidos e talvez, até consigamos perceber porque é que algo foi ou teve de ser assim.
Falando em bom português: “há males que vêm por bem”, muitas das vezes. Como bem disseste, aprender a ler nas entrelinhas, a observar. Para mim, das melhores formas de se conhecer quem se apresenta do outro lado e a nós próprios.
Nas coisas mais difíceis é que consegui perceber quem sou e do que sou capaz, julgo que isso também está a acontecer contigo, por isso, só tens de ter orgulho. Muito. Em ti.
Quanto ao sol, começo a perceber que és como eu. Parece que a alma, o corpo e as forças se renovam, quando ele começa a surgir em força. Dou-me muito mal com o Inverno e a falta do astro rei.
“sol: remete a um período a que se dá início a tudo que for novo”.
E assim será :)

Beijo

ChiCa said...

mmm...gostei muito! é bom ler o teu encontro!

Beijinhos

PS: Chá de menta é que não me convence...

Confrade said...

bonito texto! compreendo-te e fico feliz por estares feliz! po rmuito difícil que seja, o melhor é sempre olhar para o lado positivo das coisas e usá-lo pra ganhar forças para andar para a frente!

bjos

p.s.- seja em prosa ou em verso, gosto da tua escrita!

© Piedade Araújo Sol said...

Gostei de ler-te.

Depois da tempestade vem sempre a bonança...

amazing said...

Com essa agora das coincidências é que me lixaste! É que não a percebi.

A pior solidão é aquela que sentimos quando estamos acompanhados. Provavelmente já passaste pelas duas.
O difícil é saber aceitar a solidão. Custa mais quando não estamos habituados a isso. Mas também há sempre o outro lado da moeda. Aquele que aprendeste finalmente a ver. Viste que não há necessidade de pressas e que a vida por vezes reserva-nos coisas que nem sonhamos ou para as quais não estamos ou pensamos não estar preparados.
O observar, o ler nas entrelinhas, isso é tudo fantástico e faz parte de uma aprendizagem constante.

Sei que o Sol tem muita influência em ti. Há até quem diga que derretes ao Sol, assim estilo uma Velinha a derreter.
Isso já se nota e de que maneira.
Mas não é o Sol que te faz, é a tua personalidade, cabeça e coração.

Tinha tanto para escrever aqui.
Tinha tanto para te dizer...
Mas não vale a pena.
Tu sabes que não é preciso dizer-te nada.

A vida já te o provou, penso eu.

Luis Eme said...

Espero que essas 10 mil e tal horas de solidão, se refiram apenas ao facto de viveres sózinha...

É,s em dúvida, tempo suficiente para te teres tornado uma outra pessoa.

É bom termos tempo e paciência para ligar às pequenas coisas da vida...

Jotabê said...

Ou as 10.536 horas são uma analogia ou ninguém vai acreditar que não te sentes só como afirmas...e anda tudo trocado?! Então ninguém aceita um chá de menta na tua companhia, com a variedade de chás que há por aí, vejo pelo menos 10.536 chás sem nunca repetir, a não ser a companhia claro. :)

Mais um bom texto, apesar de ter variado para o comentário ‘light’...

:)

Beijoca

Bruno said...

Isso dá mesmo muitos dias.

Memórias de Um Sorriso Luso said...

O SOL é um tesouro que devemos venerar.

Todas as tuas horas passadas sem interferências de outros são a tua descoberta.Da tua pessoa.Já reparaste que és muito importante para ti? Ama-te e verás que te podes dar aos outros , no teu melhor.

Um beijito

veritas said...

Continua nas tuas descobertas intrínsecas. Não imaginas o que podemos descobrir ou desfrutar em momentos de solidão, muitas vezes raridades, porque pautadas pela sensibilidade, simplicidade, que morrem atrofiadas no meio de uma multidão, cada vez menos profícua...

Beijos e desejos de um óptimo fim-de-semana.

Eric Blair said...

Pá, ano e tal, nada mal.

Carracinha linda! said...

Olá Velas!

Deixaste-me com curiosidade de provar o famoso chá de menta...nunca experimentei.

Agora deixa-me dizer o seguinte. Gosto muito de vir aqui e ler tudo o que escreves. Gosto de tudo o que leio. Mas gostei principalmente do que hoje aqui li.

Senti-te diferente. Mais feliz e animada. Mais sábia. Senti-te calma e serena. Deu para ver que nestas 10536 horas aprendeste muito. Muito sobre os outros, muito sobre o mundo e, sobretudo, muito acerca de ti. Quando escreveste há uns tempos que a tua vida andava devagar estavas afinal a andar em frente. E é isso que importa. Seguir um caminho, seja a que velocidade for.

Gostei mesmo de ler isto. Parece que renasceste. Estou enganada?

Talvez seja do sol. Também eu fico diferente quando ele brilha mais forte. Parece que o ânimo e a motivação são maiores. Parece que a tristeza se vai, dando mais espaço à alegria.

E é assim que eu espero que te sintas. Alegre, animada, realizada, sem pressa de nada e orgulhosa de teres aprendido a seres assim.

Afinal, valeu a pena todo este tempo de aprendizagem e de introspecção.

Um grande beijo!!!!

Ah...também sabes onde estou... Tem um óptimo fim-de-semana!

João Silva said...

e a partir das quantas horas é que conseguiste passar a retirar o que de bom tem a solidão? Qual o segredo para dar o passo em frente???
Ainda não tenho as 10536...:)

Lu.a said...

10536 horas parece realmente muito tempo, mas se te ajudaram a descobrir em ti uma nova mulher, se te devolveram paz e serenidade e se (re)descobriste prazeres simples e deliciosos da vida como tomar um chá, então,valeram a pena!:)

Bom fim de semana! :)

pn said...

bom dia solitário sol

isso não são horas a mais?

aqui estou eu a beber um chá contigo!

brisa de palavras said...

Não te sinto em solidao quanto muito sem companhia...aprendeste a viver contigo.
As vezes e bom ter alguem para saborear um chá conosco...mas outras sabe bem aprender a engolir cada golo e olhar a lua...
um abraço
brisa de palavras

Fernando M. Dinis said...

gostei do texto. gostei do tom.

poca said...

não entendo esta sociedade que nos faz sentir sós.. só pelo facto de não termos alguém...
deixa de contar.. não tás só.. tu és tu!
beijo grande grande

Zélia said...

Boa linda :)

Adorei ler-te!
Espero mesmo que seja para valer... que ultrapasses tudo e acima de tudo que sejas feliz, aliás, que sejas FELIZ :)

Mil e um beijinhos e um bom fim de semana :)

Maçã de Junho said...

Fico a pensar nas tuas palavras... porque nem sempre as palavras são apenas palavras, assim como muitas vezes as palavras não são mais do que isso, meras palavras...

Estas, são as TUAS palavras, que me deixam a pensar...

Bom fim de semana Velitas

bjossss

Maçã de Junho

JuvePP said...

Há sempre a hipóteses para um novo Ser e eu acredito que o conseguirás. Beijos

maria josé quintela said...

não são importantes as horas que gastaste a descobrir-te.
importante é teres-te encontrado.
foi um tempo bem investido.

um beijinho grande.

Vladimir said...

O que é para si o destino?

O JACARÉ 007 said...

10536 horas
439 dias
632160 minutos
37929600 segundos

é muito tempo, muitas horas a pensar!

Escorpiana Explosiva said...

NÃO FIQUE SÓ VAI EMBUSCA DE UMA COMPANHIA DIGO DE AMIGOS SE NÃO QUERE NADA SERIO BOM FDS,ABRAÇO

Maria Do Mar said...

Gostei das fotos e da sinceridade profunda da escrita. Vou voltar.

Tb. adoro Mário de Sá Carneiro.
Maria do Mar

Su said...

não são tantos dias assim para se encontrar...................

como sempre é um prazer ler.te


jocas maradas de tempo.............

MARIA VALADAS said...

Narrativa muito profunda, em que contas as 10 536 horas como estando sózinha!

Sim...Estavas sózinha no teu EU... em que não não deixas lá entrar lá ninguém!
Mas não estávas sózinha... o teu estado de espírito é que não deixava que conseguisses ver mais nada que a tua própria solidão!

Ainda bem que acordaste...até para saboreares esse chá de pimenta... que deve ter outro " sabor"!!

Adorei ler-te...não estive só neste post... como li outros!

Voltarei mais vezes...pois és uma delícia para os sentidos....

Bom fim de semana

Beijo da

Maria

Teresa Durães said...

acasos não existem. É bom aprender a saber estar só. Tão poucos sabem! É o maior passo na maturidade, diria. Mas talvez apenas eu o diga, sei lá.

beijo para ti. o equinócio está a chegar

della-porther said...

coincidências existem sim...sei bem ...senão eu não estaria aqui lendo-te e como gosto de ler-te.


beijos

della

vida de vidro said...

Por vezes só nos entendemos e ao mundo à nossa volta quando estamos sós. É bom aprendermos a estar connosco próprios.
Também gosto de chá de menta! :)**

non said...

Nem sei há quantos minutos estou sozinha mas serão muitos muitos mais e simnto muita paz no que respeita a isso.
Gostei de voltar aqui. Bj e bom domingo. :)

Bandida said...

inquietante o som se de mel. melodia. mel o dia.




tu gostas de Ferré... percebes.



beijo V.


B.
____________________________

Kalinka said...

Li-te com atenção, li-te de rajada, ansiosa por saber o que se passou nessas tantas horas sózinha, e gostei do que li.
Como eu te entendo: Tomava automaticamente o chá, olhando para os lados, sempre apressada, sempre stressada. Pressa de que? Pressa de ir a lugar nenhum. Talvez pressa para fugir de mim mesma. Hoje não fujo. Quero ir até as profundezas, descobrir a alma, a minha essência.
Parabéns pela determinação, pela coragem, continua, serás Feliz à tua maneira.
Beijos e abraços.

PR said...

Bom domingo, abraço,

Francieli Rebelatto said...

As horas, e quanto aprendeste com essa solidão, creio que aprendenste a ver o mundo de uma forma mais sensível e menos humana, enfim, espero que reconte agora as horas em que te torna uma nova pessoa, mas a solidão tb é importante, tão importante quanto estar envolta por milhares de horas em singelas companias...

Beijos, te cuida e um ótimo restinho de domingo...

Dawa said...

Adorei! Gostei muito de ver a forma como vives esse "estar só", que nunca é um estar só real, porque estás contigo mesma e deves estar rodeada de pessoas que te querem bem. ;)
Beijinho grande!