Friday, November 14, 2008

Somos feitos de carne, mas temos de viver como se fôssemos de ferro[Freud]



26 comments:

**aldabra** said...

E ñ é que ele tinha razão?

viver é uma forma de arte

Pearl said...

tem mesmo razão...

:O)))***

Teresa Durães said...

e por vezes é tão difícl viver...

Boop said...

Mas não te esqueças que o ferro é moldavel... a carne não!

Andreia Ferreira said...

acho que é só quando nos convencemos que isto não é assim tão inevitável que começamos a ser felizes.

(rouba à vontade :) )

beijinhos

Lídia said...

... somos fortes. Bjs de ferro :)

Lu.a said...

Passei para deixa um beijinho e votos de bom fim de semana! :)

melgadoporto said...

Sabes que “usam” muito o Freud.
Eu não me convenço, assim tanto, das suas “dicas”.
Não temos mesmo que agir como sendo de ferro.
Acho mesmo que não devemos!
Deixamos de ser o que somos, seres com sentimentos.
Concordo, no extremo, que é mais fácil assim agir.
Mas não sei se realmente “ganhamos” com isso.
Nada é fácil e muito menos nós, connosco.
É bem melhor sermos “carne”.
Somos mais honestos!
Tudo tem um preço que no meu caso pago, para não ser de ferro.
Quando “não tenho que chegue”, peço “emprestado”.
A quem?
A outros “seres feitos de carne”, como eu.
Não vás em frases feitas… ajudam, por vezes… mas não resolvem
Força nessa tua jornada, seja qual ela for…
Verás que ao venceres, sentir-te-ás melhor.
Melhor do que ter ficado parada e sujeita à “ferrugem”.
:-)

Maria said...

...
:))

Um beijo grande, Vela

Apenas eu said...

eu concordo plenamente com Freud. Aliás esta é uma das situações que temos pela frente diáriamente em todos os aspectos, da nossa vida.

Por isso muitas vezes não nos entendemos... talvez no dia que o coração der as mãos á razão talvez nesse dia deixaremos de ser Humanos....

Eu entendo-Te.

Beijinhos Vela
(linda a tua foto)

Mi said...

Parece-me que tentamos mais viver como se fôssemos de ferro do que aquilo que é efectivamente inevitável...

Mas quem sou eu?

Maria P. said...

mas é muito complicado...

Beijinho e bom fim-de-semana*

pn said...

Ainda aí estás? Pendurada? À geada?

Porquê, de ferro?
Inox, ao menos?
Oxidados?

Andas pessimista, miúda!
Isso nem pros velhotes (como eu) é art de vivre!!!

mariazinha said...

Venho retribuir o abraço apertadinho.

E nos dias de hoje, viver como se fossemos de ferro já não se usa. Ninguém é de ferro e a carne é fraca... ;)

beijo grande*

Apenas eu said...

tenho lá uma música dos Polo Norte, tens asas? queres voar comigo?

Beijinhos Vela e bom fim de semana.

Nogs said...

E temos energia para nos transformarmos no que quisermos:)

Beijo

Marco Rebelo said...

boa frase :)

Andressa Pacheco said...

pelo menos pode ser fundido...

said...

Há quem viva como se fosse uma folha de papel, ou ar, ou até nada mesmo.

abraço!

PAH, nã sei! said...

Pena a oxidação do tempo que acumula ferrugem onde deveria permanecer o brilho do novo....

Rain said...

Não conhecia a frase, está mesmo muito real e adequada à imagem...

TCHI de Tchivinguiro said...

Somos feitas de humanidade.

O ferro não sente.

Ressente-se.

Ânimo.

O Espírito do Tai Chi said...

A frase consegue reproduzir a forma de estar, e ser, da maioria dos seres humanos.

Uma "luz" para nos alumiar!...

Beijinhos,

António Serra

Su said...

....... e doí............


jocas maradas.sempre

Bijou said...

Espreitei... esta frase ficou a ecoar na minha cabeça (não porque esteja vazia, entenda-se!) Se somos carne, para quê querer ferro ser? Sejamos o que somos, só assim seremos nós próprios, com as nossas virtudes, defeitos, forças e fraquezas...

Dawa said...

Pois. Grande verdade!