Sunday, March 22, 2009

viva a poesia sempre!não é preciso ser dia...


era um poema lateral aos sentidos.
ganhava formato ébrio
ao nem ser escrito.
longe dos pensamentos
imitava uma pedra
[aí as palavras drummondeavam].
longe das lógicas
– com tendência vagabunda –
o poema driblava lados avessos
de noites
e animais
[aqui as sílabas manoelizam, barrentas].
mas uma estrela nunca brilha
tão solitária;
encarece-se também de luuandinar,
miar à couto,
esvair-se para guimarães...
era um poema carente de afectar-se
a ramos gracilianos.
assim alcançava
o estatuto
de raiz.
cheirado, emitia brilhos tímidos
– fosse um pirilampo.

“intimidar o poema a ser raiz”

17 comments:

vida de vidro said...

Gosto desse jeito de celebrar a poesia sem ser no dia oficial. E gos muito de Ondjaji. **

Eu mesma! said...

Feliz dia da poesia Velinha!

Adoro a musica de fundo... :)

Maria said...

A poesia é todos os dias...

Beijo, Velas

Izzie said...

Gostava de ter mais tempo para saber devorar e contemplar a boa poesia que por aí anda...
Um dia, quem sabe

Beijinho

mateo said...

Adourei!
Beijo.

Lu.a said...

Viva! :)

Bruxinha said...

Lindo :)

JInhos

just me, an ordinary girl said...

Viva a poesia mas, principalmente, vivam os dias felizes que é o que eu desejo hoje a ti!

um beijinho

tulipa said...

A poesia vive dentro de cada um para manifestar os momentos tristes alegres...
um abraço
tulipa

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ said...

Sarava.


Hoje vejo-me na poesia.


beijos

nuvem said...

Que giro :)

Beijinhos

Sandrine said...

Todos nos gostamos de a ler. =) beijinho

Sanxeri said...

Que coisas bonitas tu poes no blog... :)


Um beijinho

Chinezzinha said...

não é preciso.ser dia.não.

“apetece-me des-ser-me;
reatribuir-me a átomo.
cuspir castanhos grãos
mas gargantadentro;
isto seja: engolir-me para mim
poucochinho a cada vez.
um por mais um: areios.
assim esculpir-me a barro
e resser chão. muito chão.
apetece-me chãonhe-ser-me.” Ondjaki

a poesia está em cada um de nós.
:)beijos

Porcelain Doll said...

Poesia, sim... em verso também... desde que a forma não subjugue o conteúdo... ou não o esqueça!!

Por isso prefiro a prosa... poética. É mais segura em termos de conteúdo. Ou não, tudo depende do conteúdo de quem escreve. Prosa ou verso, ou o que quer que seja só não gosto de ver o conteúdo menosprezado, a ideia... é bom que as palavras sejam belas e formem um edifício de lindas formas e inspirada arquitectura, porém... a ideia subjacente, o conteúdo é o mais importante, para mim, na verdadeira poesia... a verdadeira poesia tem de me oferecer formas de olhar o mundo que a mim jamais me ocorreriam... é assim que gosto da poesia... :-)

Vieira Calado said...

A poesia é sempre.

E as suas palavras ficam-nos até ao fim a bailar em nós.

Bjs

Manual do Inseguro.com said...

Feliz poesia de cada dia. Feliz momento de criação, como o seu que tem o dom de encantar, homenagear, driblar, aglutinar palavras em favor de um significado. Profícua poesia a ser comemorada todos os dias. Abraços.
oadestradordesentimentos.blogs.sapo.pt