Monday, January 25, 2010

hoje só tenho uma foto do mar



o peito rasga.jorra sangue. eu sinto me sufocar.
nado em mim mesma, preciso de respirar o mar. vou respirar o e no mar.
mas o mar está onde? que eu não consigo ver.
mas o que me traz o mar?paz.
na beira do mar até sol que é lindo consegue ser ainda mais bonito.
na beira do mar o meu mundo sai do balão que o oprime e liberta se.
respirar.preciso de respirar. pisar a areia.molhar a vida.
o mar é uma grande casa .mas não é feita de cimento.
o mar é onde eu respiro.onde me sinto viva.
o mar é onde grito quando não aguento mais os dias.
mas o (a)mar é onde eu não chego.

12 comments:

Maria said...

Somos da mesma família. Da que precisa do mar para respirar, para viver.
Um dia destes levo-te até à ilha. Verás como se chega ao (a)mar...
Mas antes disso talvez o Porto, quem sabe?
:))

Beijinho

Eu Mesma! said...

eu preciso de água para respirar...
mar... lagos... lagoas... o que seja...

:)

Lita said...

Perto do mar é também onde me sinto viva! Beijinhos.

Santo&Pecador said...

Como tu bem sabes, o meu mar é água também, só que congelada, ou antes semi-congelada. A neve! A paz, a magia e o poder que a neve me transmite e me faz Amar tudo o que me rodeia, desde as descidas de Snowbord ao simples floco de neve a cair, eu tudo isso consigo amar. Penso ser essa a sensação que encontras no mar, e também ai sentes a falta de amar… mas para isso, tens de te libertar, de te deixares amar. Por vezes, quando nos sentimos sós, construímos muros á nossa volta em vez de pontes.

Se calhar havias de aproveitar o convite da Maria, abrir novos horizontes…

Da minha parte, não preciso de te dizer nada… estou sempre disponível, para uma amiga!

Beijo!

Mar Arável said...

Sempre disse

por vezes á preciso respirar por guelras para entrar no mar

poetaeusou . . . said...

*
um belo texto
profundo, sublime,
ai, o mar numa foto . . .
,
dou-te,
,
pairo
como pássaro voador,
na voz do silencio
que eu canto
na deserta praia,
onde,
num supor,
eu mergulho
nas pregas do mar,
buscando na maré vazia
a onda que partiu,
não, não fugiu,
caiu . . . no vento
,
conchinhas,
,
*

Baila sem peso said...

Ontem passeei junto ao Sado
ontem foi dia de rio, ser amado...
o meu Tejo me perdoou
e nele também passar me deixou...
com essa foto linda que tens
faz uma magia de maresia
e mergulha no seu ar salgado!

beijo e boa semanita

casa de passe said...

a(mar)
ou mar sómente...


está dentro de nós

à epera

que a porta lhe seja aberta

para

poder sair
e
respirar.





Alice, a Fininha

pink poison said...

Sou peixes, sou algravia de gema, vivi 29 em frente ao mar. Não gosto.
Já não me diz nada.
Mas nunca escrevas, "Só", tudo o que aqui pôes é precioso... Um beijinho, de quem te vai seguindo

Carracinha Linda! said...

O mar acalma... mesmo quando a água se agita com euforia...

O amar está dentro de ti... procura, que encontras!

Beijoca

João o Protestante said...

Embora compreenda a metáfora implicita no teu texto, nao posso deixar de falar literalmente no dele...
Ainda hoje falei nas saudades que tenho do mar... de mergulhar nas águas geladas e sentir o corpo quente a arrefecer até ao osso!

até vir o calor há que (a)mar ao longe, pela vista e pelo cheiro:)

Virgínia do Carmo said...

o eterno mistério das coisas imensas...

Beijinho... soube-me muito bem passar por aqui... (grata)