Thursday, August 17, 2006

Para o Mário da Praia da Vieira




Pois é de gosto de ameijoas e depois!

Duas pedrinhas muito airosas

Não sao mais que a amêijoa bem fechada,

Esperando que se abra

Por mais cerrada a amêijoa ,

Eu fico a ve-la abrir facilmente para depois saboreá-la.

Hoje fui supreendida...eu que achava que não gostava de surpresas..fiquei encantada!

Acredita que nunca me tinham comprado um cd desta forma, que fossem ter comigo...ESTOU MESMO COMOVIDA! Não sei como dizer obrigada ...
Não sei se gostas de poesia mas dedico te esta de nome
ESPUMA
Mais leve que a pluma
que no ar balança,
pela praia dança
a ligeira espuma.
Dançando se afaga
no alado bailar!
Pétalas de vaga, poeiras do mar...

E na dança etérea,
que imparável ronda!
Bafo de matéria,
penugem da onda.
Afonso Lopes Vieira
Nasceu em Leiria a 26.1.187 e faleceu em – Lisboa em 25.1.1946
.

5 comments:

inBluesY said...

Excelente :)

bjs*

A Cor do Mar said...

Que lindo este poema... poeta que estudei na primária :))Gostei muito, assim como do teu blog. Deixo um beiojinho e desejo-te b f semana*

MH said...

Estudei numa escola com o nome deste poeta em Leiria :)

És uma doida do caraças...

Giorgia said...

adorei... o poema e a sensaçao maravilhosa da surpresa que adivinho nas tuas palavras!
Fico feliz quando leio alguem feliz, fico feliz por seres tu a estar feliz... quantas emoçoes se leem na espuma das palavras!!

beijokas enormes

P.S: O cafe ja esta apontado, so falta vermos datas!

beijinhos

amazing said...

Bem, assim sim, eu sabia que a felicidade ia chegar.
Era uma questão de tempo.
Olho pela janela e até há Sol!
E traz lá mas é o CD!
Eh eh.