Friday, August 25, 2006

Para ti Luis


Tu me deste o peito
inauguraste a minha ternura.

Tinha os olhos ressecados por tudo o que fizeste por mim,
mas eterniza-se em mim
como a claridade macia
o teu aconchego no meu coração
para sempre.

Sinto até hoje
cada gesto terno que me concedeste,
e,
seco os lágrimas.


Busco palavras...
Mas é impossível descrever
as saudades que tenho de ti!

Luis, este poema é para ti e para a tua mamã , que infelizmente não está connosco.
Sabes que a minha memória é má, mas desse dia lembro me bem, por muito que viva não esquecerei como te vi sofrer Amigo !
A tua mãe é a mulher que mais te ama!
Quanto a mim resta me deixar-te umgrande bjinho e um abraço apertadinho do tamanho do mundo!

1 comment:

amazing said...

Leio e escrevo enquanto em escorrem lágrimas pelo rosto, confesso.
Sempre lá AMIGA. Em todos os momentos difíceis.





Vida injusta, esta!