Monday, November 06, 2006

Com a cabeça entre os ombros

Saddam Hussein Abd al-Majid al-Tikriti, em árabe صدام حسين, (Tikrit, 28 de Abril de 1937) é um político e ex-estadista iraquiano.
Foi
presidente do Iraque no período 1979-2003, acumulando o cargo de primeiro-ministro nos períodos 1979-1991 e 1994-2003.
.................

Apesar dos grandes genocídos por ele cometidos, ontem dia 5 de Novembro de 2006, recebeu a condenação : sentença de morte por enforcamento em prol dos Direitos Humanos, num julgamento que careceu de neutralidade.


Este bloggue não é nem pretende ser politico, até porque conheço as minha limitações, leio muito sobre tudo e todos, tenho a minha opinião mas não é o que quero fazer deste meu espaço.

No entanto, não posso deixar aqui de mostrar a minha indignação pela decisão de um Tribunal Internacional [ com juízes de várias nacionalidades ] e pelas reacções de ministros de diferentes paises que se congratularam com a decisão de enforcamento de Saddam Hussein.

Não estou aqui como arauta do Saddam Hussein nem de ninguem apenas de mim propria e de alguem que gostava que houvesse direitos humanos... vamos matar quem matou...para depois dizermos que somos melhores?!!Que praticamos o bem??!!! Nada pior que a sensação que nos estamos a americanizar.

Desculpem, eu por mim digo não obrigada!

Nada disto tem a ver com ser de direita ou de esquerda.Por isso não é importante dizer vos para que lado me inclino...Apenas sei que para este que caminhamos em que enforcamos em pleno sec.XXI, criminosos ( sim porque não estou aqui a defende-lo volto a frisa-lo), não me inclino nem quero...

Acima de tudo o que mais me interessa não é aqui dizer que estou certa, é dar a minha opinião, ouvir a vossa porque nada mais importante que falarmos e partilharmos diferentes "sentenças" com a certeza que amanhã, depois ou depois cá estaremos com a cabeça entre os ombros.

(Estou a ler "O poder dos Sonhos" de Luis Sepúlveda que neste preciso momento acho uma mais valia- ler algo essencialmente politico não nos obriga a concordar mas sim a pensar e a formar opiniões....)

10 comments:

Tiago said...

"ler algo essencialmente politico não nos obriga a concordar mas sim a pensar e a formar opiniões" acho que com esta frase que deixas explica tudo.

bjs
Tiago

Giorgia said...

Hoje eu tinha de ser a primeira! Porque não consegui deixar de ficar indignada quando ouvi a noticia, quando vi lideres mundiais congratularem-se com a sentença, quando percebi que a maioria da opinião pública acredita que a solução e a aplicação da Justiça passa pela pena de morte!
Fico desapontada, triste e confusa quando percebo que uma sentença de tribunal que condena alguém a enforcamento é vista com regozijo e aprovação, como se a idade média de repente voltasse aos dias de hoje e toda a gente ache normal como se nunca tivesse deixado de ser aplicada...
longe de mim defender Saddam Hussein ou qq tipo de déspota, mas como reconhecer legitimidade a um sistema que condena o homicidio e depois pune com homicidio?

beijinhos

nuno portmore said...

Enforcam, porque acreditam que se pode apagar o Erro eliminando-o. Enforcam, porque procuram o fim para atribuirem finalidades a acções e julgamentos.
Enforcam, porque são cegos.
Porque a falta de senso... cega. Porque a falta de visão... cega. Porque a falta de humanidade... cega. E mesmo que a referida figura seja mesmo muito muito cega (de alma, sempre de alma)... é uma pena que ainda existam tantos de nós que... simplesmente... não queiram ver.

pintoribeiro said...

Percebo. Respeito. Mas estou com os xiitas. Enforquem-no. Bom dia e bjinho.


p.s. uma redundância: tudo é político.

Trivialidados said...

Realmente percebo o teu lado e não sei até que ponto tens toda a razão, vou pensar.

Teresa Durães said...

sou contra a pena de morte, contra a invsão de países soberanos...

e Portugal hipócrita discute a eliminação de embriões, não autoriza a eutanásia e tais...

boa tarde :)

Salvador said...

Quem semeia ventos

colhe tempestades...

bjs

Anonymous said...

A PEna de Morte não é solução! Até talvez seja menos dura que a prisão perpétua!!!É que morrer, dura pouco temoo!

Mikas said...

É complicado haver imparcialidade, mas tb me parece que asism nao vamos longe.

Cris said...

Lamento, mas não consigo ser completamente racional num caso destes... não tenho o direito de julgar ninguém, mas não posso dizer que ele não mereça a mais desprezível das mortes. É um pau de dois bicos, por um lado estaremos a ser tão selvagens como ele foi, por outro.... a justiça para quem morreu às mãos dele? está onde? ficou onde?