Wednesday, November 15, 2006

Just be....YOU and I be me!

Felizmente tenho a sorte de ser educada, e digo ser porque é uma constante aprendizagem, pelos meus pais.Para mim e para o meu irmão existem palavras que retratam sentimentos ou comportamentos que para nós não fazem sentido.Felizmente! Dou vos um exemplo, poderia dizer que tenho pena das pessoas invejosas, mas nem pena nem inveja a mim me diz nada, lamento.
O coração pode albergar todo o tipo de afectos, de vários tamanhos e consistências diversas consistências . É como se fosse um ficheiro gigantesco ilimitado, não reprimido por X gigas de armazenamento. Cada amor está na sua respectiva pasta, podendo-se fazer copy paste de determinados ficheiros de umas pastas para as outras. Outros ficam incólumes bem guardados ou protegidos. Não pode dizer que fez delete a um afecto ou que o colocou na reciclagem para ser destruido. Os afectos não passam por nós como as nuvens sem se fixarem no céu. O nosso eu é a construção de todas as pessoas que nos influenciaram, de todas as nossas aprendizagens e de todos os afectos que tocaram a nossa mente. Mesmo que um amor tenha deixado grandes mágoas e um certo desespero, houve sempre algo que nos fez florescer em algum momento anterior no nosso jardim.

Também não pode dizer que a nossa vida gira à volta de um só afecto, como se todas as outras pastas pessoais não existissem. Não há nada de mais destructivo para o amor que torná-lo exclusivo, ficar dependente dele e afastar tudo o resto. O amor não pode ser aprisionado. Como podemos saber se o afecto de alguém é real, se está preso? A única forma de saber que alguém gosta de nós verdadeiramente é correr o risco de lhe dar a liberdade de partir para poder regressar.



Agora, deveremos lutar? Não sei. Hoje em dia penso que porque os afectos não se forçam. Não devemos provar nada ao outro nem que somos melhores, nem que somos imprescindíveis, nem que somos a resposta às suas dúvidas. Se o outro não sabe sequer ser quer ser nosso amigo ou se nos ama, não é lutando por ele que vai ter certezas. Se o outro está indeciso entre este ou outro afecto, não é competindo com um terceiro que vai tomar alguma atitude. E, finalmente, se deixou de haver qualquer sentimento, lutar já não adianta porque a amizade ou amor não é nenhuma luz intermitente. Se for, será uma optica de automovel. A lâmpada fundiu e não há forma de se recompor. Das duas uma ou se substitui por outra lâmpada ou então ficará apagado para sempre.Prefiro o primeiro.

O que não gosto em nada na vida são os jogos.Sei que sou mimada mas para mim as coisas são 8 ou 8o.joguinhos fazem-me descrer no outro, fazem-me pensar que afinal me iludi ... simplesmente desligo, desligo-me para não sofrer. Prefiro desligar e seguir a minha vida, desta forma não sofro nem elas, mas não me perco em sentimentos pouco nobres como a inveja, a mesquinhez, o ódio. Os franceses dizem: laisser morfondre, moisir quelqu’un : deixar definhar alguém ou deixar que alguém fique num canto até ganhar bolor…Não gosto destas expressões.

A amizade e o amor são imprescindíveis na nossa vida. E fazem sofrer muito quando se esgotam. Mas fazem-nos renascer quando surgem de novo.Haja abertura para permitir a entrada de afectos presentes e amores futuros…

Está oficialmente aberta
a era do sonho
e da felicidade
neste blogue!

Entra, fica à vontade e
deixa fruir o momento…

11 comments:

** sean paul** said...

Está espectacular a postagem, Adorei o que disseste!!! E de facto a amizade e o amor são o mais importante. Que fazemos nós sem amigos???

Bjx

Estranha pessoa esta said...

Velinhas...
Nem sei o que escrever..

..
Acho que não vou escrever nada.
Apenas, abanar o coração em sentido afirmativo.

..
Tal como dizes, é seguir e acertar as horas.. à vida.

Um abraço muito grande para ti.
***

Sara MM said...

mmmm... complicado.. mas é muito boa ideia! felicidade e sonhos são sempre bem-vindos :o)


Bjss

Estranha pessoa esta said...

Tens um mimo para ti em

http://paraladomiocardio.blogspot.com/

Scarlett said...

Peço desculpa mas disseste "entra, fica à vontade e deixa fruir o momento"
Depois de um texto destes é inevitável que se queira acompanhar / participar nesta era.

Gostei da liberdade de sentimentos

Bandida said...

Já entrei.

vou ficar.



Belíssimo o que escreveste.

É música.





abraço!
_____________________________

Anonymous said...

Sim, acho que tens razão aí nalgumas coisas. Não te digo em tudo.. porque, nesta vida, tudo é tão relativo. E quando não o é, transformam-no. Enfim.. haja pessoas que defendem o que é "bom"! :)

Beijinho grande e obrigada pela presença (não tão constante como a minha).

Miguel V. said...

e as velas ainda ardem até ao fim?
Lool!!!

Ricardo Ramalho said...

Deixo um sorriso! ;)

Tiago said...

somos fruto da nossa vivencia, somos seres do presente, olhemos para o passado, mas so devemos olhar pq para viver é no presente e so o presente.

bjs
Tiago

crispipe said...

Ora nem mais, nem eu diria melhor...
Jokinhas