Sunday, February 18, 2007

apenas uma estória de azul e fantasmas

Na cama, abri o livro.O marcador esse ficou caido no chão.Já li este livro mais de dez vezes e continuo a folheá-lo e a saboreá-lo como que roendo os ossos de cada página ou comendo a carne de cada letra, anos após anos.Era o livro azul.Li até que adormeci. Fazia sempre a mesma rota. Abria o livro e lia cinco, dez ou quinze páginas até que encontrava alguma palavra. Como se diz agora...como se fosse uma espécie... de maçaneta. Era só girar um bocadinho e lá estava eu no avesso do livro. Já estava do outro lado do livro. Pensando em coisas que poderiam ter acontecido há sete dias, sete horas, sete minutos. Ou há muitos, muito anos. Quando não desacreditava tanto em tudo. Quando o azul era muito mais que azul.Quando pensava que não iria engolir a vida sem a digerir.''Os fantasmas dançam numa doce névoa azul...". Foi a última frase que li. Os fantasmas. Foi a maçaneta, girou de leve, desassossegou me, encontrei os meus próprios fantasmas, dançando e rindo, em quatro paredes de dois tons de azul, eu era volúvel e flexível como uma bailarina, movendo os pés com precisão, girando os quadris e observando os quadros pelas paredes...três mulheres de Matisse.Quem vivia ali para além de mim? Qual dos fantasmas? Cansei me de meus segredos. Não sabia o que o fantasma dissimulava. Porque escondia algo. Não quis saber o quê. Não me interessava.Numa das paredes havia uma janela, sem cortinas...Coloquei a cabeça de fora.Olhei o céu, estava coberto por um tom de azul que nunca havia visto antes. As estrelas pregadas no azul. A Via Láctea fixa com elas traçando aquela estradinha que me leva a lugar nenhum, a todos os lugares.


O azul do bem viver
O azul do bem querer
O azul da felicidade
O azul da realidade




30 comments:

pn said...

Pobres os que não têm um livro azul, janela e porta aberta para todas as deambulações.
Leitmotiv para todos os voos.
As estórias que os livros contam, em prosa ou em verso, sugerem-nos mais do que referem todas as ficções, nossas e dos outros.
Abençoado livro azul...

.*.Magia.*. said...

Adoro espreitar a via láctea...a taç estrada que não nos leva a lado nenhum...

Emociono-me sempre que a sós e em silêncio espreito o céu da noite... Fizeste-me lembrar momentos que em pleno Verão ouso parar para me perder no infinito que povoa logo acima das nossas cabeças...
É no campo que mais gosto de o fazer...o céu fica mais próximo dos nossos pés...e nós mais proximos do céu...

Obrigada pelo caminho das tuas letras que me levou lá longe, mui longe, onde as estrelas disfarçam que não nos vêem...

Abraço celeste ;)

maria josé quintela said...

quem disse que os fantasmas não podem ser azuis?!

beijinho.

nothing said...

porque usamos o azul para meditar... porque é a cor do desassossego harmonioso... porque é bela... porque em todo o lado há fantasmas... os nossos próprios fantasmas...

Gostei de ler, mais uma vez!!!

Beijinhos

Jotabê said...

De todos os azuis, apenas o do mar me consome; consome-me tempo para o contemplar, tempo para me equilibrar, espaço para lhe retirar da sua calma revolta uma energia estranha que me afecta.

Num estranho e inexplicável ciclo, o azul do mar é reflexo do azul do céu, ou vice-versa, com a energia passa-se o mesmo, ela estende-se entre o céu e o mar.

O ciclo, essa alternância de acções, jamais se completa, jamais a vamos entender, se é o azul do céu, ou do mar, o céu, ou o mar em si, e a qual dessas acções somos mais vulneráveis.

«…um dia adormeci à beira do mar, embalado com o fresco da água e o calor do sol daquele céu gigante…»

:)

beijoca

José Alberto Mostardinha said...

Olá:

hummmm... eu não acredito em famtasmas... mesmo que sejam azuis.

Bjs,

tattoo angel said...

Fantasmas do presente, do passado ou do futuro. Justos, injustos, esquecidos, relembrados... sempre presentes.

TONY, Duque do Mucifal said...

hoje em dia a Via Láctea está muito em voga. Bom feriado!

Ant said...

Eu tenho alguns guardados na carola. Mas já aprendi a viver com eles.
Mas lá que são chatos... lá isso são.
Beijo

Peter's Thoughts said...

Fantasmas?
Fecha-os lá dentro, do livro, do baú. Os fantasmas não existem, somos nós que os criamos e alimentamos.

Beijos em tons de azul.

Cris said...

Velinhas, todos temos os nossos fantasmas, faz parte. A Via Láctea fixa com elas traçando aquela estradinha que me leva a lugar nenhum, a todos os lugares, é por aí que deves seguir, não para fugir, mas para caminhar para a tua realidade, para a tua felicidade e o teu bem querer, seja azul ou não.

Beijinho
Cris

sa.ra said...

azul de cura!

Há um livro que te recomendo:

"Em defesa da felicidade"

aqui vai um excerto:
http://soukha.blogspot.com/2006/04/soukha.html

beijo!
dia mt feliz

inBluesY said...

gostei em particular deste.

bjinhos

veritas said...

" Encontrei os meus próprios fantasmas"...Tenho-os também e ainda não consegui chegar a um ponto de conciliação comigo mesma no sentido do exorcismo...

Bjs. Boa semana.

sea said...

O azul do mar.
O azul que em mim povoa.
O azul que me preenche e me invade, como refugio do mundo que me rodeia :)

um beijo

Tiago said...

É ou Era, fantasmas, Fantasias
almas, corredores, danças,
colos, esboços pintados,
mulheres, sonhos, os seus amores.
É ou Era o azul, como cor das alvoradas________cor sem cores de palavras...


bjinhos Velita
Tiago

Diabba said...

acreditas em fantasmas?

não serão as sombras dos teus pensamentos?

beijos de enxofre

Scarlett said...

"Ai eu já pensei mandar pintar o céu em tons de azul para ser original. Mas só depois notei que azul já ele é pois houve alguém que teve idéia igual."

"Quando não desacreditava tanto em tudo". Velinhas tu consegues sem dúvida alcançar o original. Gostei desta frase. Foi a minha maçanete...

Scarlett said...

Maçanete???? Olha agora fui eu original.

Maçaneta!!!!

Dark-me said...

Fantasmas??? Há-os de todas as cores!! Olha para mim !!! :)

Adorei!

Dark kiss

Just an ordinary girl said...

Fantasmas não aprecio muito, gosto mesmo é de fadas!!

Beijinhos para ti! Ha uns dias que ando um pouco afastada da net mas hoje fiquei um pouco por aqui a ler-te e sabendo-te triste fico um pouco triste também. Poque na blogosfera não são apenas frases, poemas, fotos, músicas, etc que se partilham....
Mais beijos!!!

Afonso said...

Às vezes isso acontece. Lê-mos um livro e este parece que nos chama para outra leitura. E talvez outra e outra.

Boa semana

afonsobastos.blogspot.com

Mina said...

Também gosto muito do azul... e de ler! Há livros que mexem assim comigo, tenho vontade de os viver! Talvez assim a minha vida fosse mais emocionante...
Bjs :)

PR said...

Azul, qualquer um, sempre. Boa noite, abraço.

Manel do Montado said...

Por detrás do espelho quem está
D’olhos fixados nos meus
Alguém que passou por cá
E seguiu ao Deus dará
Deixando os olhos nos meus

Quem dorme na minha cama
E tenta sonhar meus sonhos
Alguém morreu nesta cama
E lá de longe me chama
Misturado nos meus sonhos

Tudo que faço ou não faço
Outros fizeram assim
Daí este meu cansaço
De sentir que quanto faço
Não é feito só por mim

In Cansaço - Amália Rodrigues

Assim te presto a minha homenagem ao extraordinário texto que publicas e ao que ele me fez sentir.
Bj

Teresa Durães said...

deixa lá os fantasmas, todos temos! aprende a viver com eles. há uns simpáticos, outros menos. mas escreves bem!
vá, acabou este dia idiota!!

beijos

olhos cor do lago said...

Andas a deixar os fantasmas invadirem o teu espaço?
Não te deixes enfeitiçar pelos fantasmas do passado ou por psedo-fantasmas do presente... a felicidade está essencialmente em nós...
Sabes, é carnaval, alguns mascaram-se, outros deixam cair as máscaras e mostram o que são...

Beijinhos

sa.ra said...

:)

espero que estjas bem!

beijinho
dia mt feliz

Klatuu o embuçado said...

Realmente... engolir sem digerir... pode dar flatulência.

Zélia said...

O azul não é felicidade e harmonia?!

Oh lindona anima-te :)

Bjinho kida