Wednesday, May 09, 2007

almas e borboletas

Há certas almas
como borboletas,
cuja fragilidade das asas
não resiste ao mais leve toque,
deixando ficar pedaços
pelos dedos que as tocam.
No seu vôo,
deslumbram os olhos,
atraindo o olhar,
perseguem-nas,
e detêm-nas,
mas, quase sempre,
por saciedade
libertam-nas outra vez.

Mas elas não voltam a voar como dantes,
ficam vazias de si mesmas,
cheias de desalento.
Almas e borboletas,
não fossem os objectivos
as flores,
e o amor,
e seriam iguais.
Ficariam lá do alto
seduzindo,
admirando de longe...



47 comments:

borrowing me said...

ainda este fim de semana falei com uma amiga da nossa infância e de querer tocar nuna borboleta... e quando finalmente conseguiamos era como que algo de mágico e divino
pois foram poucas as vezes que chegamos a sentir a delicadeza de uma...

bjs

ps. estou decidida a fazer uma cura
o sr. nada... nada disse

©õllyß®y said...

é verdade há magia tocando uma borboleta, já me aconteceu...lindissima poesia...bjca doce

Maariah said...

Por isso há que ter sensibilidade no toque (ou um não toque) para que a magia não quebre, para que borboletas e almas continuem seduzindo, mesmo de longe.

tufa tau said...

então a alma não anseia o toque? o beijo?
sedução apenas!
admiração mas de longe!

um beijo com toda a alma

Maariah said...

Ah! Pois é!!!

Não estranhes o nome, segue-me...

Smashing Pumpkins: Alive aí vou eu!!!

Mina said...

Adoro borboletas! E flores! Acho que tudo tem uma alma, até mesmo as coisas menos concretas :)
Bjs!

PS: Ainda bem que gostaste! ;)

maria josé quintela said...

se as borboletas têm alma, tu tens alma de borboleta.
beijo.

João Silva said...

Esta banda sonora....é algo de fenomenal! THANK YOU!

pn said...

já sei o que me aconteceu!!!
fui tocado e em leves dedos levado...
por onde andarei?
em que mãos me perderei?

Roderick said...

Para ti também, amiga

Beijos e... bom fim de semana

Giorgia said...

quisera eu voar como dantes...

mil beijinhos

poca said...

sem refutar a tua bela conjugação de palavras..
acho que todas as almas que se cruzam deixam o rasto da sua passagem.. às vezes imperceptível.. às vezes desejamos que tal não tivesse acontecido.. mas tudo tem um propósito.. e na soma desses cruzamentos.. as nossas almas.. ficam maiores..

e sim.. pode haver um período de vazio.. mas logo logo enche..

beijo grande

Sea said...

as borboletas fazem-se sempre lembrar uma certa sensibilidade carinhosa.

beijo

Branca said...

E mesmo assim tão frágeis as borboletas feridas continuam a voar contra ventos e marés, sobrevivem...
E a alma? Sobrevive às atrocidades da vida?
Acredito que sim,
mas nós seres humanos temos um corpo ainda mais frágil que o das borboletas porque desistimos de voar facilmente,
entristecemos e deixamos o voo para os outros...
Nisto as borboletas são anos-luz melhor do que nós e é por isso que as admiro...

No meu último post também falei de borboletas :)
Beijinhos :)

crispipe said...

....há borboletas e borboletas......

Jokas grandes

amazing said...

You were an innocent child before i laid my hands on you
and all that pain that you held inside
was just waiting to bloom in a darkened room
and you just flew right into the light and came alive
my little butterfly

well you'd never known love and you'd never known pain
but you found out that they were just like wine and champagne
you could drink a little more, then you hurt a little less
and you get that butterfly feeling underneath your dress
and your promises will turn into lies
then you will fly
my little butterfly

now i'm lying here babe on your side of the bed
and i've got unclean thoughts flying through my head
and i'm thinking about love, yes i'm thinking about pain
and i'm thinking about some way that i might feel good again
yes i'm thinking about my little butterfly

(Lloyd Cole - Butterfly)
___________________________________


If the road I travel goes bad
If the life I live becomes the life I had
I close my eyes and I dream
Of my butterfly coming down to rescue me

She's my butterfly
Yeah she's my butterfly

If the wind that guides you pulls you away
If the words that love you ever ask you to stay
I still close my eyes and I dream
Of my butterfly coming back to rescue me

She's my butterfly
Yeah she's my butterfly
Don't you know that
She's my butterfly
I said she's my butterfly

She's my butterfly
Yeah she's my butterfly
She's my butterfly, butterfly

(Donavon Frankenreiter - Butterfly)

sonia r. said...

Bom dia Velas. Vim deixar-te um bjinho.

veritas said...

Acho que todas as almas sensíveis têm algo de uma borboleta. Mas como todas as borboletas, detentoras de beleza e leveza, não é qualquer mão que as pode tocar, é necessário senti-las, desejá-las, mas sabemos que por vezes andam incautas e desprevenidas...
no seu inocente esvoaçar...

Bjs. Boa semana.

Teresa Durães said...

as borboletas podem morrer. o amor (por alguém) também. Mas renova-se. A alma é eterna

bj

nothing said...

muito bonita a poesia... e a musica...
continuo a dizer que é sempre bom passar por cá!

Beijinho!

VICIO said...

a maior diferença é que a beleza das borboletas existe... e são essas almas que ao procurarem beleza exterior que a prejudicam!

Dawa said...

Gostei das palavras e gosto muito da musica escolhida. :D
Beijinho grande!

Su said...

..seduzida eu.....admirando de longe.........

jocas maradas de voos

A.S. said...

O que me fascina nas borboletas é a sua fragilidade e a imprevisibilidade do seu voo...


Não resisto a deixar-te aqui um poema meu...



És um ser alado
Que a nada se prende
Em tudo se move

Na brisa suave
Tu és bailarina
Vacilante e frágil

Nas asas do vento
Tornas-te felina
Imprevista e ágil

No azul do céu
Viras fantasia
Derramas ternura

Nas asas do sonho
Tu és poesia
Tu és aventura

Mas tudo se prende
E nada se move
Num tempo sem fim

No preciso instante
Em que vens serena
Bela e fulgurante
E poisas em mim…

A.S.
In "Gotas de Luz"


Um BeijO!

Tiago said...

nos nós, dedos,
nos dedos, toques,
em toques, sentires,
na subtiliza, leveza, do par,
voar, poisar,
abrir a alma e se desbravar...

um beijinho

un dress said...

falta acrescentar as papoilas...

Afonso said...

Boa sexta-feira. Gostei muito do poema. E da imagem também.

Até breve . . .

Cristina said...

Adoro borboletas, e adorei o teu poema, muito lindo
:)
beijinhu

Carracinha linda! said...

Gostei do poema...da comparação das almas à fragilidade das borboletas. Realmente faz sentido.

Beijocas!

daniel sant'iago said...

Como pegar ao colo uma borboleta?
Com um beijo...

david santos said...

Poesia com asas. Lindíssima. Parabéns e bom fim-de-semana.

Guilherme F. said...

Passo devagar; em cuidados para não perturbar as tuas asas.
Levo algumas palavras.
Gostei muito.
bj

Gui
coisasdagaveta.blogs.sapo.pt

Cris said...

Se me permites, levo uma borboleta, sem a magoar, para a minha Terra. Está lindo, este teu texto. Beijinhos e Bom Wk

Cris

GoMi said...

Bonitas fotos. Parabéns!

B. said...

Fiquei fascinada por este poema sobre as sublimes borboletas... tão cheias de beleza e frágeis... tal como algumas pessoas.

adorei a foto!

obrigada pela tua visita ao meu blog

beijo

voltarei sem duvida

Peter's Thoughts said...

Que belas elas são, as borboletas, eu já "tenho" a minha.... ("tenho" entre "" porque não possuo, apenas contemplo)
Beijos e bom FDS

Memórias de Um Sorriso Luso said...

Existe uma pequena cidade no México onde se junta uma das maiores colónias de borboletas, e cujos habitantes acreditam na lenda de que são almas.

Bom FDS

Beijito

veritas said...

Passei para te desejar um excelente fim-de-semana. Imagina-te nas asas de uma borboleta, que traz consigo uma mensagem de esperança...

Bjs. Bom fim-de-semana.

S. said...

olá!!!
obrigada por teres participado no cadáver. Assim que juntar tudo envio uma versão integral por email.
Bj

A estranha said...

Psiché...

A força imensa daquela que é livre mas que sucumbe ao mais leve aperto das suas asas... Tens razão, não voltam a voar como antes!

Belissimo texto!!!

Beijos

vida de vidro said...

Frágeis, ambas. Mas ao mesmo tempo com reservas de força escondidas. **

Sailing said...

a borboleta é algo sensivel e belo ... ao ver as mesmas, podemos sonhar que voamos livremente, mas se tocarmos podemos destruir as suas asas ... assim somos nós, tem muitos toques que podem destruir os nossos sonhos ...

Parabens pelo blog

Utzi said...

Almas frágeis e delicadas como borboletas, mas lindas...

... como a tua :) Beijinhos

Letras de Babel said...

de vida tão efémera...

White_Fox said...

Gostei muito! Parabéns!
E a imagem está excelente!
;)

Dias... said...

Muito bonito, parabéns.
Beijo

Vera Carvalho said...

Mas que comparação fantástica! Almas e borboletas,fragéis voadoras,cores da leveza.
Apenas uma diferença, a feia lagarta se transforma numa bela borboleta com o passar do tempo, enquanto que a beleza da alma do nascimento mais tarde se poderá transformar num verme feio.
Que as nossas almas sejam sempre como as borboletas!