Tuesday, May 15, 2007

Emoção
palavras
silêncio.

Sou voz
E não me escuto
Uso a palavra
E não me leio.
Em silêncio
Tumultuo-me
Sou uma janela emperrada
Alimento-me de frestas.


39 comments:

inBluesY said...

eu q n sou de tricas, passa no Jeaster :))))

joaninha said...

o silencio pode ser muito bom... mas de preferencia quando se esta um cadinho mais animada :)

*beijinho*

poetaeusou said...

/
velha
casa
nosso
certo
destino
/
xi
/

Teresa Durães said...

que passa...tudo passa...e desempena!

beijos

Desassossego said...

Em silêncio, no silêncio tudo é dito e percebido até a forma de abrir a janela...
beijo doce.

crispipe said...

as janelas emperradas também abrem......com jeitinho....

Jokas

João Silva said...

Aproveita o facto de a janela estar emperrada, para não deixar que o que tens de bom cá entro não saia, e o que anda de mau lá fora não entre! :)

Há sempre um lado positivo...

Utzi said...

Este poema está perfeito. Já li e reli... adorei.

Beijinhos e parabéns.

amazing said...

alimentas-te de quê?
é o que eu digo, tu só comes coisas que te fazem mal.
depois queixas-te...

Pedro Branco said...

Pela janela, só pela janela entrarás. Que a porta é passagem com fechadura. E a janela só se abre para o vento e a luz. Assim te quero cantar, a cada silêncio das palavras que ecoam nos olhares. Nos túmulos de cores que vão pintando o renascer dos amantes. Velho? Novo? Mistério... Um poder apenas ser-se outra vez do lado de cá dos sonhos.

Beijo.

Memórias de Um Sorriso Luso said...

Olá amarelita !

Vim dizer-te que aprecio a simpatia de me nomeares para passar o "meme".Acontece que não gosto de cadeias ou elos que me obriguem a qualquer coisa .Sou solidária sim, sempre. Mesmo para ajudar alguem, prefiro tomar a iniciativa e nunca esperar ser lembrada a fazê-lo.Tenho este mau feitio de ser muito livre e até nestas pequenitas coisas sem qualquer intenção malévola, sou uma chata.Mas....e há sempre um mas...como gosto muito do que aparentas pelo teu cantinho simpatico, deixo-te aqui umas palavritas que segundo a minha mentalidade devia ser passada a todas as mulheres...de qualquer idade.

Usem vestidos, saias, vistam-se bem, sejam femininas e sexys...e sejam genuínas.Usem linguagem delicada .Tudo se pode dizer com classe.Invistam em marcar a diferença.

Beijito, velitas

Memórias de Um Sorriso Luso said...

Ah! passa pelo meu cantinho...vê se gostas...

beijito

E.

mariazinha said...

pelas frestas
entra a luz


*

Afonso said...

Gosto do silêncio. Mas ainda gosto mais de estar sozinho a ouvir uma boa música.

Até breve . . .

Cristina said...

Adoro o silêncio
:)
beijinhu

A estranha said...

Genial! É a minha vez de dizer!:)

Quem é que não se alimenta de frestas?

Beijo silencioso!

Cris said...

Sou voz
E não me escuto
Uso a palavra
E não me leio.

quantas vezes somos para os outros e nos omitimos para nós mesmos..? tantas, tantas...

Beijinho
C.

Maçã de Junho said...

Depois de ler o "proverbio indiano" vou ficar mais vezes calada....


Beijos grande em tons de amarelo
M

Sea said...

No e com silêncio, alimentamo-nos de nós próprios.

beijo

Memórias de Um Sorriso Luso said...

Vim desejar-te um bom dia .

Kiss

Dawa said...

Está tão lindo!
Não te conheço fisicamente, mas a tua alma é linda! :D
Beijinho grande!

Mina said...

Só depende de ti mesma. Afinal, se não te compreenderes, mais dificil será para os outros :)
Bjs!

vinte e dois said...

Do silêncio completo não gosto (por isso comprei uma casa num local com passagem frequente de carros) mas que por vezes algumas pausas fazem e sabem sem, não há dúvidas ;)

Cláudio Nuno said...

se a tentares abrir com muita paciencia e jeitinho, talvez ela se abra e do lado de lá encontres algo maravilhoso(teoricamente)!

sonhadora said...

" ...e crescerei das fecundas terras ou da morte..."...
Beijinhos embrulhados em abraços

Sandokan said...

Como sempre...genial!!!

Deixo-te este meu poema:

A casa está vazia.
Subo as escadas e tu apareces,
às vezes,
com as cores do Outono.
Vejo um vulto, és tu
que me deixas uma marca
sobre a minha palidez.

Já não queres aprender
com o passado e só preferes
gritar, chegar ao fim da vida
para então descobrir
que não viveste.

Já não falas e não te moves,
e no entanto a minha vida estremece,
assaltada pelos teus gemidos profundos.
O pranto cresce nas ruas da amargura
porque abandonas a terra,
olhando para trás.
Então,
agora vislumbras a beleza
e a alegria que nunca tiveste,
porque os medos em que viveste
te impediram de ser feliz.
Os meus dedos continuam a fechar
os olhos...
dos guerreiros mortos.

Quero agradecer, respeitosa e sinceramente, a todos aqueles que fazem do "nosso"

http://lusoprosecontras.blogspot.com

um ponto de encontro onde a Amizade, a Paz e o Bem nos fazem sentir e viver a vida com mais AMOR.

BEM-HAJAM!


Felicito-te, também, por me presenteares com este teu maravilhoso blogue. Gosto muito de aqui "ancorar".

little_blue_sheep said...

:)
***

tufa tau said...

que com o calor há-de desemperrar

SAUDOSISTA_do_FUTURO said...

abre-me essa janela e deixa que
a primavera te estenda as flores
que agora se abrem. abre com elas
e grita-o ao mundo.



:)

Just an ordinary girl said...

Gostei muito!

Mas estas a perder um sol tão bonito!!
Força, tu consegues abrir essa janela!!

Beijinhos!

alguém+ neste mar d gente... said...

uau k giro.. adorei, e a imagem...

veritas said...

As frestas também deixam entrar a luz... e têm a capacidade de filtrar...

Bjs. Boa semana.

borrowing me said...

porque o mais importante fica dito sem palavras
alimentado pelo silêncio

bjs

VICIO said...

sou vício
e não me vicío
uso as ideias
e não me idealizo

PintoRibeiro said...

Tu e eu, cansados.
Bjinho,

Memórias de Um Sorriso Luso said...

BOM DIA!

Ainda de portas fechadas?

beijo

Isabel said...

Uma janela emperrada não deixa de ser janela.

Uma festa não deixa de deixar entrar a luz

O silêncio não deixa de ser música.

E tu és sempre sempre bela...

Isabel

Morrigan said...

Deixa que te desemperrem a tua janela, para que o tumulto passe a paz...não deixes que o silêncio te domine.Ele é corrosivo. Abre a tua janela, mesmo emperrada, para que a luz do Sol possa inundar a tua alma. Um beijo

Miss Alcor said...

A imagem é simplesmente genial!