Tuesday, September 11, 2007

o funeral do nós

"Teremos, em comum, alguns dias de desabituação;ao longo destes últimos meses fomos aprendendo a desamarmo-nos, trilhando o percurso inverso ao que percorrermos no início, regredindo;tentámos reconquistar as nossas individualidades, recuperar os pedaços que cada um cedeu( ou emprestou?) para a construção do nosso amor;pedaços de eu, que formaram um nós. Mas o nós morreu e há que realizar o funeral, enterrar o cadáver bem fundo, para que o cheiro não nos sufoque. É o que começamos a fazer, há pouco: o nosso funeral.E agora, teremos esses dias: para nos habituarmos a estar vivos."

Os mundos separados que partilhamos
Paulo Kellerman
Já não passamos todos por isto?

28 comments:

mariazinha said...

O Paulo (d)escreve muito bem a vida e as relações humanas.
Dedo na ferida.

Sim, já.

Beijos

Pink said...

Quem não passou por tal? Ao menos é sinal q se tem coração e capacidade p amar.
Espero q seja 1 simples compilação casual...
De momento a minha vida está meio branca. Ou seja, sem cor (sem dor, sem mágua, sem saudade, só sem). Decidi dar férias ao coração por uns tempos lonnnngos. Ele bem merecia umas férias prolongadas.
Agora...a partir de agora...logo se vê!
Uma vida bem pink p ti!
Até!

borrowing me said...

nem de porpósito
hoje este texto é para mim
pois uma parte de mim morreu cá dentro
tal e qual como na imagem
só que por msg, mão foi pessoalmente porque nem coragem para isso ele teve
amanhã quando estiveres na rua e vires um rasto de sangue fresco, sabes que sou eu

Pedro Branco said...

Não trocava o meu funeral por nenhum!

little_blue_sheep said...

...excelente post...
:*

pn said...

eu agrego
tu desagregas
nós habituamo-nos
eles vivem

MIMO-TE said...

Há mortes tão lentas.....

Carracinha linda! said...

...sim, já todos passamos por isso.

Beijo meigo para ti

Paula Raposo said...

Eu já. E muitas vezes. Vários funerais...beijos.

pin gente said...

de certa forma sim... pior até.
beijo

Lu.a said...

Este texto está absolutamente genial...!

Jotabê said...
This comment has been removed by the author.
Jotabê said...

Pois é, imagino que toda a gente já tenha passado pelo menos por uma morte dum ‘nós’, e digo pelo menos uma vez, não no sentido miserabilista, se assim se poderá definir a quantidade de ‘nós’ nados, mas porque é usual precisamente não se fazer esse funeral, de forma que dificilmente nascem novos ‘nós’ com o anterior por enterrar.

É imperativo o ‘nós’ morto ser enterrado, e bem fundo, como referes, para que outros ‘nós’ possam nascer, e viver e quem sabe gerar uns ‘nózinhos’ dentro dele, eheh


:)

beijoca

daniel sant'iago said...

Pois já!
Mas eu não me consigo habituar-me a estar vivo...
Só... vivo.
E tu?
Beijo.

∂єυѕ@ & @ѕαѕ said...

Ola
Entrei e gostei de tudo que li...

Desejo te um lindo final de tarde.
deixo te um
beijo doce

Entre linhas... said...

Todos nós temos fases semelhantes...
Bjs Zita

Su said...

passamos a vida em "enterros"........

jocas maradas com cicatrizes

Bia said...

Bem, que passagem poderosa... e a imagem deixou-me a lacrimejar...

Nani said...

Prefiro falar em renascimento... os funerais deprimem-me...
... mas o texto é bonito, lá isso é!

Dias said...

Sim, claro...

Gosto da forma como o Kellerman a diz, boa escolha.

Beijo

PintoRibeiro said...

Passamos, parece.
Bjinho, bom dia.

Utzi said...

A morte do coração. O luto. Doloroso, mas necessário. E o Renascimento do amor... O Amor à própria VIDA.

Um beijo muito grande

inBluesY said...

todos.

e concordo com a Su, andamos sempre nisso.

Cláudia said...

Descreveu perfeitamente o nosso grande defeito, não sabemos amar, e isso é a causa para tudo o que de mal acontece na nossa vida, na nossa civilização, no nosso mundo. "All the things you love, will die.", todos sabemos, mas que fazemos nós por isso?

Beijinho***

veritas said...

Sim, já passei, e sobrevivi...assim se faz uma vida, de etapas.

Bjs. Boa semana.

Roderick said...

Já todoa passámos pelo mesmo.
Beijos

poetaeusou . . . said...

*
acordo total
*
ji
*

Vera Carvalho said...

Quem já não enterrou partes de si mesmo??Claro que sim, minha querida, mas essa morte é apenas uma passagem, um recomeço...
Espero que permaneças VIVA!
Um abraço.