Sunday, February 03, 2008

pff vento!

"E aqui anda a noite à roda, à roda e eu com ela como um papelinho com que o vento brinca, apanha-me, larga-me, empurra-me, corre, mais adiante, a prender-me nos dentes, esquece-se de mim, torna a lembrar-se, poisa-me uma pata em cima, vai-se embora. O vento."[António Lobo Antunes]
deixo a porta entreaberta.não sei se a abro, ou se a fecho depressa,para não desistir de mim.não sei do meu tempo.não quero perguntar por ele.abro?e se ao abri-la novamente e totalmente, volto a perceber que o que vejo são diferenças.algo que nunca bate certo.falho.fecho? e se na atitude de fechar, acabo em desencanto. dói.viro as costas, quem sabe se o vento não se encarrega de resolver por mim,assim pelo menos uma vez, deixo as preocupações para tras.
não quero saber.mais nada.nem vontades.suspeitas de verdades. omissões.mentiras.quero um mundo só meu.sem direcçao, em que me atiro para qualquer lado.sei que caiu sempre.e nem sempre de pe.desencanto.indiferença.por uma vez. pff vento, só uma vez!deixa me viver em linhas curvas, desenhadas por mim, numa folha de papel.se me perder, rasgo me.até quando eu puder.até querer.deixas???

22 comments:

Su said...

deixo.te jocas maradas de ventania

Maria said...

Eu hoje só queria fugir, nem que fosse por uns momentos, com o vento.....

****

Bandida said...

com o vento trazes-me o sakamoto. e eu gosto de ti.


beijo V.

B.

As Sombras de Fim do Dia said...

Acho que pedido assim, o vento deixa...

Excelente texto.

miak said...

Agora já não me apetece que o vento me leve. Só ao pensamento.

tufa tau said...

hoje que sou o vento deixar-te-ei viver nas linhas curvas
como sopro forte não me importo que queiras ficar só
volta se quiseres ou quando as tuas imagens sejam turvas
soprarei de ti e por ti tudo o que seja pó

Luis Eme said...

Com tanto vento, apeteceu-me fazer-te chegar um agasalho...

abraço Velas

Rain said...

Olá, não sei se conheces este autor ou se já leste o livro, eu nunca li nada dele, mas gostei deste muito deste excerto que encontrei e lembrei-me de to deixar. (Vai de encontro a muito do que aqui tens deixado)...
Espero que gostes,
Beijinhos

Tempestade do destino

"Por vezes o destino é como uma pequena tempestade de areia que não pára de mudar de direcção. Tu mudas de rumo, mas a tempestade de areia vai atrás de ti. Voltas a mudar de direcção, mas a tempestade persegue-te, seguindo no teu encalço. Isto acontece uma vez e outra e outra, como uma espécie de dança maldita com a morte ao amanhecer. Porquê? Porque esta tempestade não é uma coisa que tenha surgido do nada, sem nada que ver contigo. Esta tempestade és tu. Algo que está dentro de ti. Por isso, só te resta deixares-te levar, mergulhar na tempestade, fechando os olhos e tapando os ouvidos para não deixar entrar a areia e, passo a passo, atravessá-la de uma ponta a outra. Aqui não há lugar para o sol nem para a lua; a orientação e a noção de tempo são coisas que não fazem sentido. Existe apenas areia branca e fina, como ossos pulverizados, a rodopiar em direcção ao céu. É uma tempestade de areia assim que deves imaginar. (...) E não há maneira de escapar à violência da tempestade, a essa tempestade metafísica, simbólica. Não te iludas: por mais metafísica e simbólica que seja, rasgar-te-á a carne como mil navalhas de barba. O sangue de muita gente correrá, e o teu juntamente com ele. Um sangue vermelho, quente. Ficarás com as mãos cheias de sangue, do teu sangue e do sangue dos outros.
E quando a tempestade tiver passado, mal te lembrarás de ter conseguido atravessá-la, de ter conseguido sobreviver. Nem sequer terás a certeza de a tormenta ter realmente chegado ao fim. Mas uma coisa é certa. Quando saíres da tempestade já não serás a mesma pessoa. Só assim as tempestades fazem sentido."

Haruki Murakami, in 'Kafka à Beira-Mar'

Ana said...

"deixo a porta entreaberta.não sei se a abro, ou se a fecho depressa.."

há sempre vantagens quando a porta fica entreaberta,podemos sempre virar costa ou entrar de novo...mas de certeza que tanto do lado de fora como do lado de dentro há sempre coisas que valem a pena serem vividas ou revividas...

este será mais um porto seguro onde vou concerteza atracar mais vezes...

Fica bem
Ana

canela_e_jasmim said...

Já tinha saudades...

Magoada de muitas lutas, de asas cortadas, receosa e tímida. Eu bem a avisei: "Vê lá miúda... pensa bem... as aparências iludem."

margarida-e-a-palavra.blogspot.com

Beijinho grande e espero que me vás ler
Até breve

Clotilde

vsuzano said...

os dias de vento, são os dias que mais gosto...

rouxinol de Bernardim said...

a magia do vento... soberbo!

pn said...

esse vento do Lobo Antunes, não é um bocado psicocoiso?

poca said...

a dúvida só por si é sinal de porta aberta... se a fechas ou não, será a soma dos ses e mas e de outras histórias que o vento já mostrou.. levou..
beijinho grande
sou tua fã!

PintoRibeiro said...

Deixo, acho.
Passei para deixar um bjinho,

Lídia said...

... o vento que se mistura com o cabelo... é a nossa vida.

Vício said...

fazes bem em deixar o vento decidir!
é como quando tens duvidas sobre o penteado a usar... o vento deixa-te sempre muito original!

Hannanur said...

Hug.

laura said...

às vezes é bom que nos levem... quanto mais não seja o vento.

un dress said...

ir-se de ventos

in.ventos

alada ///////////

david santos said...

Olá.
Bela postagem, Parabéns por este lindo Vento.
Abraços

Joanne said...

António lobo antunes...o senhor das palvras.