Tuesday, May 23, 2006

A sério eu não estou bem..


A sério eu não estou bem.. mas como posso estar bem se não durmo, não é?
A minha cabeça vai estoirar ou pelo menos parece. Nada resulta, nem os medicamentos, nem tentar acalmar me e até já pensei em comprar um maço de tabaco para as horas mortas da noite!Ontem até um filme muito lamexas tentei ver, daqueles que não suporto, e de repente estava com uma lagrima no olho-resumindo esta não sou eu!
Depois o trabalho torna-se complicado, reuniões, mapas de divida que requerem precisão e atenção e eu com a cabeça oca!Ninguém percebe!
Insônia
Não durmo, nem espero dormir.
Nem na morte espero dormir.

Espera-me uma insônia da largura dos astros,
E um bocejo inútil do comprimento do mundo.

Não durmo; não posso ler quando acordo de noite,
Não posso escrever quando acordo de noite,
Meu Deus, nem posso sonhar quando acordo de noite!
Ah, o ópio de ser outra pessoa qualquer!

Não durmo, jazo, cadáver acordado, sentindo,
E o meu sentimento é um pensamento vazio.
Passam por mim, transtornadas, coisas que me sucederam
— Todas aquelas de que me arrependo e me culpo;
Passam por mim, transtornadas, coisas que me não sucederam
— Todas aquelas de que me arrependo e me culpo;
Passam por mim, transtornadas, coisas que não são nada,
E até dessas me arrependo, me culpo, e não durmo.

Não tenho força para ter energia para acender um cigarro.
Fito a parede fronteira do quarto como se fosse o universo.
Lá fora há o silêncio dessa coisa toda.
Um grande silêncio apavorante noutra ocasião qualquer,
Noutra ocasião qualquer em que eu pudesse sentir.

Estou escrevendo versos realmente simpáticos —
Versos a dizer que não tenho nada que dizer,
Versos a teimar em dizer isso,
Versos, versos, versos, versos, versos...
Tantos versos...
E a verdade toda, e a vida toda fora deles e de mim!

Tenho sono, não durmo, sinto e não sei em que sentir.
Sou uma sensação sem pessoa correspondente,
Uma abstração de autoconsciência sem de quê,
Salvo o necessário para sentir consciência,
Salvo — sei lá salvo o quê...

Não durmo. Não durmo. Não durmo.
Que grande sono em toda a cabeça e em cima dos olhos e na alma!
Que grande sono em tudo exceto no poder dormir!
Ó madrugada, tardas tanto... Vem...
Vem, inutilmente,
Trazer-me outro dia igual a este, a ser seguido por outra noite igual a esta...
Vem trazer-me a alegria dessa esperança triste,
Porque sempre és alegre, e sempre trazes esperança,
Segundo a velha literatura das sensações.

Vem, traz a esperança, vem, traz a esperança.
O meu cansaço entra pelo colchão dentro.
Doem-me as costas de não estar deitado de lado.
Se estivesse deitado de lado doíam-me as costas de estar deitado de lado.
Vem, madrugada, chega!

Que horas são? Não sei.
Não tenho energia para estender uma mão para o relógio,
Não tenho energia para nada, para mais nada...
Só para estes versos, escritos no dia seguinte.
Sim, escritos no dia seguinte.
Todos os versos são sempre escritos no dia seguinte.

Noite absoluta, sossego absoluto, lá fora.
Paz em toda a Natureza.
A Humanidade repousa e esquece as suas amarguras.
Exatamente.
A Humanidade esquece as suas alegrias e amarguras.
Costuma dizer-se isto.
A Humanidade esquece, sim, a Humanidade esquece,
Mas mesmo acordada a Humanidade esquece.
Exatamente. Mas não durmo.
Álvaro de Campos
Assim não dá, não aguento.........!!!

16 comments:

jmideias said...

Eu também sei o que isso é de passar noites em claro, só que tenho duas companhias que parece que tu não tens, o cigarro e o computador.
Que tal procurares outro médico nem que seja para ver se a medicação está bem aplicada.

Bjs

Dani said...

Nem sei que te diga...
É mesmo muito difícil quando não conseguimos pregar olho...
Deixo apenas um beijo e um ombro amigo, onde se encostares a cabeça, talvez consigas enfim adormecer em paz.

Beijos

Belzebu said...

Esta vida da gente não nos deixa dormir! Se dormimos somos atropelados pelas circunstancias, se não dormimos perdemos a clarividência para resistir!

Saudações!

Desassossego said...

Ó miúda, desculpa o abuso, isto vai mal... tas a procurar as respostas no sítio certo?! Xi apertadinho e fica bem... pois compreendo a sensação

MiguelGomes said...

Pois... Compreendo-te... Mas que tal procurares um médico? Alguém que te ajude?

Fica bem,
Miguel

Isa Calixto said...

Parei aqui que tempos, para conseguir uma resposta...a sério, queria poder ajudar...mas isto anda tb meio cai que não cai...é do tempo...a velha desculpa :).

Fica aqui um beijinho mto grande e uma canção de embalar...e as tuas melhoras.

Musician said...

As melhoras querida!
Tudo de bom.
Um beijinho

sofyatzi said...

Espero que consigas dormir. Realmente é muito chato não conseguirmos dormir. Isso às vezes acontece-me...e fico piursa!!!
Se não consegues, o melhor mesmo é procurares um médico.

As melhoras. Beijinhos

inBluesY said...

beijinhos

um assunto a tratar :)

Carlos José Teixeira said...

"São quartos de hora extremamente produtivos. São bocadinhos de tempo de ópio e morfina que me emaranham os sentidos, em que erecções casuais e sem sentido aparente acabam por contar uma história que, mais que explicativa, acaba por ser apenas justificativa.É naqueles quartos de hora, a meio da noite, quartos de hora de semi-sono em que, apanhado pelo pensamento, me deixo embalar entre dois mundos que faço grande parte da minha vida.
São labirínticos este quartos de hora e não fazem mais que desculpar o tempo todo, as horas inteiras que vou viver a seguir.
Não sei se me compreendes mas todas aquelas palavras que costumo dizer acordado foram produto de um sono, de um meio-sono, e não são, por si, reais.
Não querem dizer nada a não ser que existe realmente um motivo para tudo isto, para eu falar.
Não fosssem esses quartos de hora, não haveria justificação para ter acordado.
Percebes? Não é verdade. É apenas uma justificação.
Como explicar-te?
Faz de conta que acordas, agora, que olhas em volta, no escuro, te apercebes primeiro das sombras, depois dos contornos e, finalmente acabas por reconhecer os objectos e o corpo preguiçosamente estendido a teu lado. Depois, começas a pensar em coisas como a temperatura dos corpos, o cheiro da carne coberta pelos lençois. E pensas porque pensas isso? E então nasce uma história. E dizes que o meu corpo deitado a teu lado é uma sereia morta de cansaço e que mexe ainda os lábios numa sofreguidão de morte. E assim justificas a temperatura do corpo, o cheiro do corpo coberto pelos lençóis.
E nada disto é verdade, nem sequer é uma história. É uma justificação. E passado um quarto de hora adormeces com a luz acesa.
De manhã, tentas recordar-te do momento em que acendeste a luz e a única coisa que te aparece é uma baleia que ruma ao fundo do mar, uma improvável sereia que adormece no seu dorso e, sem saber que está à morte, se deixa arrastar para as profundezas.
E então escreves. Sem saber porquê."


oferta com um abraço,
ct

legivel said...

Também eu estive assim uns tempos largos; sem dormir. O médico não atinou com a causa nem os medicamentos que me receitou, fizeram qualquer efeito. O mais estranho de tudo isso é que não tinha sono nenhum! À sexta-noite sem dormir, lá me preparava para ir dar uma volta parva (porque de madrugada está tudo fechado) e já ia nas escadas quando se fez luz e descobri o motivo porque não conseguia pregar olho...

... cabeça de vento como sou, nunca me lembrei, nessas noites, de me deitar na cama.

sa.ra said...

amiga...
precisas de ajuda!!!

se puder ajudar em alguma coisa, cá estou!

beijinhos!
noite feliz, de sono, de repouso!

couvinha portuguesa said...

Já experimentaste chá de tília? Ou aquele "noites tranquilas"? Não estou a gozar.Passei uma altura dessas e estes chás deram-me uma ajuda.mas acho que o teu caso é capaz de ser mais complicado. Não te esqueças que hoje em dia já há medicina do sono...beijinho e tenta dormir bem.

Um outro olhar said...

insónias
não é fácil

tratamento... dois caminhos ...1ºo médico encharca-nos em medicamentos que nos põe "zonzas" de todo
2ª olhar a nossa vida e ver o que pudemos mudar e alterar, pequenas coisas alteradas ou mudadas fazem efeitos excelentes.

espero que melhores e durmas

:)

B.A.B.E. said...

hoje expliquei a uma colega, pela milhentésima vez, que o meu problema não era falta de sono. "eu tenho sono, mas não consigo dormir."


e hoje percebi que não sei adormecer. e é esse o problema. vou pra cama e não relaxo, não me acalmo, não sossego.

assim que me deito fico num estado de ansiedade tal que é impossível adormecer.

e depois de horas de tortura, caio redonda no sono e durmo 10h seguidas e não há nada que me acorde!

sempre fui problemática com os sonos, mas desde janeiro tem sido o inferno!

aqui fica um comment solidário! :) às 3h35, a meio de um ataque de insónias...

Delfim Peixoto said...

Dormir...mesmo que queira, nem tempo tenho...mas sonho!
tbm ficaste em mim...
bjnhs doces
tens uma surpresa no meu cantinho!