Friday, July 14, 2006

II Salón Internacional Erótico de Lisboa (CM)

Até que enfim parecemos as cidades ditas europeias sem preconceitos de qualquer espécie!O ano passado foi um sucesso e este ano será concerteza. É preciso arejar a cabeça dos portugueses/as.
Boa visita ao salão e se nos encontrarmos por lá amigos digam um OLÁ !

II Salón Internacional Erótico de Lisboa
del 13 al 16 de Julho del 2006
Quinta, sexta e sábado das 14h00-01h00Domingo das 14h00-22h00no pavilhão 1 da Feira Internacional de Lisboa (FIL)

Ruptura de "stocks" de vibradores, lingerie e lubrificantes
MAIS DE 35 MIL PESSOAS VISITARAM O SALÃO ERÓTICO DE LISBOA
Ao longo de quatro dias, mais de 35 mil pessoas visitaram o primeiro Salão Internacional Erótico de Lisboa. Deste número, destaca-se a venda de 29.853 bilhetes, sendo os restantes profissionais do sector e convidados. Merece ainda realce a cobertura do evento por mais de 300 jornalistas dos mais diversos meios de comunicação social.
Face à adesão registada, o director do SIEL, Juli Simón , afirma que "as nossas melhores expectativas quanto à resposta do público português, que apontavam para cerca de 25 mil visitantes, foram superadas, não só em termos de quantidade, mas também em relação ao perfil, uma vez que cerca de 30 por cento dos visitantes foram mulheres".
"Para além disso - acrescenta o responsável - passaram pelo pavilhão 4 da FIL pessoas de todas as idades e escalões sociais."

Juli Simón entende que o sucesso do Salão Erótico, que tem já uma segunda edição marcada para 2006, se deve a "uma oferta muito diversificada de conteúdos, com cerca de 300 espectáculos por dia, entre sessões de casting e shows eróticos, de strip ou fetiche, espectáculos musicais ou conferências dedicadas a temas relacionados com a sexualidade, iniciativas a que as pessoas aderiram de forma muito espontânea e natural".
O director do Salão adianta ainda que "para os expositores que apostaram nesta primeira edição do Salão Erótico, o evento revelou-se também um enorme sucesso comercial e promocional". Talvez por isso, revela, "tivemos dezenas de contactos de empresas que se mostraram interessadas em participar em próximas edições".
Sucesso de vendas
Numa recolha aleatória de opiniões de algumas das artistas e expositores que participaram no SIEL, é possível estabelecer como nota comum a surpresa face à adesão do público e o enorme volume de vendas registado durante o Salão.
O volume de vendas de artigos eróticos superou largamente as previsões, destacando-se mesmo a ruptura de "stocks" de vibradores, lingerie, óleos para massagens e lubrificantes.
"Nunca imaginei que este primeiro salão corresse tão bem", afirmou António Batista , proprietário da rede de "sex-shops ContraNatura. "Ultrapassámos todas as expectativas em termos de vendas. Os artigos mais procurados foram os óleos de massagens, os afrodisíacos naturais e os vibradores. No caso da lingerie erótica, chegámos a ter ruptura de stocks. Nos filmes, o estilo mais procurado foi o bizarro - sexo com animais ou sadomasoquista, por exemplo."
Maria da Luz, das lojas Casa d'Eros sublinha: "Sempre acreditei que o Salão ia ser um sucesso e, ainda assim, esta feira superou todas as nossas expectativas. Já fui várias vezes à feira de Barcelona e acho que o Salão de Lisboa está bastante melhor, com visitantes mais civilizados."
"Penso que ninguém veio aqui procurar sexo puro e duro", diz Maria da Luz. "As pessoas sentem a necessidade de adquirir objectos e adereços eróticos e sexuais e esta feira deu-lhes essa possibilidade, abrindo muitas portas ao sector. Vendemos bastantes artigos, sobretudo vibradores, lingerie, óleos e lubrificantes."
Cristina Peralta, da Liga Portuguesa contra a SIDA revelou que o stand desta organização foi muito procurado e visitado. "As pessoas estão conscientes da problemática da SIDA e procuraram obter mais informações como, por exemplo, se o preservativo é realmente seguro para evitar o contágio. Ao longo do salão, distribuímos cerca de 10 mil preservativos."
"Em termos de número de visitantes e de impacto promocional - afirma Rui Pedro ( Passerelle e Photu's) - este salão foi excepcional. Penso que muitas das pessoas que visitaram o nosso stand assistiram, pela primeira vez, a um espectáculo de striptease, não só feminino, mas também masculino. Esta feira contribuiu para destruir alguns preconceitos."
"Os portugueses são muito bonitos"
Bibian Norai, porta-voz do Salão Erótico de Lisboa, realizadora de filmes pornográficos e antiga actriz, considera a adesão do público "surpreendente".
"Alterei completamente a imagem que tinha dos portugueses. Pensava que são muito conservadores, mas isso é um mito. Encontrámos em Lisboa um público muito curioso e receptivo. A quantidade de mulheres e de casais, de todas as idades, que visitaram o salão, foi uma surpresa muito agradável.""Todas as pessoas respeitaram o nosso trabalho e revelaram uma fantástica qualidade humana, penso que foi tudo muito civilizado."
"Os portugueses são verdadeiramente latinos, vivem o sexo com muita paixão, pelo que podem dar um contributo importante para a indústria pornográfica. Levo a alma repleta de Portugal e conto vir cá proximamente, como turista, para conhecer melhor o país e para relaxar", disse Bibian Norai.
Claudia Claire, actriz porno, não contava com tanta gente e, sobretudo, com tantas mulheres e casais. "Muitas mulheres vieram conversar com as actrizes, fizeram perguntas e pediram autógrafos, foi fantástico."
"Penso que, além dos espectáculos, devem realçar-se as várias conferências que se realizaram no salão sobre temáticas relacionadas com a sexualidade. Espero que esta feira tenha contribuído para que a sexualidade seja encarada sem tabus e com naturalidade. Os portugueses são muito bonitos, pelo que gostava que o Salão contribuísse para dinamizar a indústria pornográfica portuguesa", conclui Claudia Claire.
A zona fetiche foi uma das mais visitadas pelo público. Paco Campos, produtor do espectáculo da "zona fetiche" (BDSM), afirma: "esta vertente não é muito popular em Portugal, pelo que estávamos algo apreensivos. No entanto, tivemos milhares de visitantes na zona fetiche e houve uma enorme interacção com o público, o que me surpreendeu."
"Os portugueses aderem facilmente. Em Barcelona - explica Paco Campos - só o ano passado, ao fim de sete anos de participação na Feira Erótica, começámos a ter voluntários do público a participar no nosso espectáculo. Em Lisboa, foi logo no primeiro ano. Fantástico. Acho que muitas pessoas também ficaram algo chocadas com o que viram. As artistas adoraram estar aqui, porque as pessoas são muito educadas e respeitam os rituais."

Informações adicionais:DEEP STEP COMUNICAÇÃO

Manuel de Jesus / Sandra Correia-21 8937050

Pois é não tenho nada contra este tipo de eventos mas acho piada a certos gajos que só se sentem Homens nesta altura do ano!

Aqueles muito certinhos que decidem virar leões por causa do evento, mesmo que a vida sexual deles seja uma tristeza há anos, mas que depois tipo machões( no fundo ratinhos de um esgoto por ai perdido) até proibem quem anda com eles de os acompanhar...

Mas eles tem razão...a único dia em que se sentem realmente homens não querem que ninguem os veja.....

8 comments:

boleia said...

:o
toca tudo a ir tirar ideias!

Rivera said...

eu tive lá no ano passado e achei engraçado!

BÓLICE said...

Lolada... eu vou... quer dizer... eu quero ir, vamos lá a ver se o tempo o permite! A chuva bate e quem se lixa é o telhado...lol... de vidro, nÉ?
BJK & intÉ vou tentar ir mesmo...

Ricardo Ramalho said...

Não acho grande piada a este género de eventos, e por isso mesmo não lá irei.

A banalização de algo como o sexo mete-me um pouco de impressão. Fazer sexo não é como beber água.

Mas isto é só uma opinião...

José Manuel Dias said...

parabéns prlo Blogue!
Muito interessante...
Voltarei.
Cumps

OvelhaNegra said...

Parabéns pelo teu post.
Não me sinto uma pessoa «quadrada», nem conservadora, mas este tipo de eventos não me são apelativos.
A dita taxa de sucesso revela muito de um povo.
Parece que os graves problemas sexuais que enfermam a sociedade são sublimados nesses dias. É como um anestésico. «Somos os maiores!». A disfunção erectil, a frigidez, o sexo feito a contra-relógio uma vez por mês... olvida-se.
«Estamos na feira, pah! Não fales em coisas sem importância. Já pareces o Júlio Machado Vaz.!»
(dir-me-iam alguns.)

Um beijo e um sorriso*

Llyrnion said...

Olha, eu estive lá ontem, e n vi gd coisa dos tais portugueses entusiastas e apaixonados e yadda yadda yadda...

A maioria do pessoal pareceu-me mt retraído. Incl. eu próprio, q sou tão português cm qq outro :)

No geral, gostei, mas não achei assim nd de deslumbrante.

O melhor, IMHO, foram os shows de strip das porn stars internacionais, pela desenvoltura e naturalidade q demonstraram. Essas sim, estavam à vontade, apesar de receberem mt pouco apoio do público.

Euzinha said...

Confesso que também não sou fã do tipo de evento (chamem-me retrógrada), mas a avaliar pelo tipo de público rebarbado que pairava pela zona da expo na sexta feira passada, também não me parece sítio para "lavar" as vistas, ou mesmo ver as modas civilizadamente!!!
Juízo minha gente que o mundo não vai acabar tão depressa!

Bjs
J