Wednesday, July 12, 2006

Mau humor


À pois é o mau humor chegou e apoderou se de mim!

Contrariedades


Eu hoje estou cruel, frenético, exigente;
Nem posso tolerar os livros mais bizarros.
Incrível! Já fumei três maços de cigarros
Consecutivamente.
Dói-me a cabeça. Abafo uns desesperos mudos:
Tanta depravação nos usos, nos costumes!
Amo, insensatamente, os ácidos, os gumes
E os ângulos agudos.
Sentei-me à secretária. Ali defronte mora
Uma infeliz, sem peito, os dois pulmões doentes;
Sofre de faltas de ar, morreram-lhe os parentes
E engoma para fora.
Pobre esqueleto branco entre as nevadas roupas!
Tão lívida! O doutor deixou-a. Mortifica.
Lidando sempre! E deve conta à botica!
Mal ganha para sopas...
O obstáculo estimula, torna-nos perversos;
Agora sinto-me eu cheio de raivas frias,
Por causa dum jornal me rejeitar, há dias,
Um folhetim de versos.
Que mau humor! Rasguei uma epopeia morta
No fundo da gaveta. O que produz o estudo?
Mais uma redacção, das que elogiam tudo,
Me tem fechado a porta.
A crítica segundo o método de Taine
Ignoram-na. Juntei numa fogueira imensa
Muitíssimos papéis inéditos. A Imprensa
Vale um desdém solene.
Com raras excepções, merece-me o epigrama.
Deu meia-noite; e a paz pela calçada abaixo,
Um sol-e-dó. Chovisca. O populacho
Diverte-se na lama.
Eu nunca dediquei poemas às fortunas,
Mas sim, por deferência, a amigos ou a artistas.
Independente! Só por isso os jornalistas
Me negam as colunas.
Receiam que o assinante ingénuo os abandone,
Se forem publicar tais coisas, tais autores.
Arte? Não lhes convém, visto que os seus leitores
Deliram por Zaccone.
Um prosador qualquer desfruta fama honrosa,
Obtém dinheiro, arranja a sua "coterie";
Ea mim, não há questão que mais me contrarie
Do que escrever em prosa.
A adulaçãao repugna aos sentimento finos;
Eu raramente falo aos nossos literatos,
E apuro-me em lançar originais e exactos,
Os meus alexandrinos...
E a tísica? Fechada, e com o ferro aceso!
Ignora que a asfixia a combustão das brasas,
Não foge do estendal que lhe humedece as casas,
E fina-se ao desprezo!
Mantém-se a chá e pão! Antes entrar na cova.
Esvai-se; e todavia, à tarde, fracamente,
Oiço-a cantarolar uma canção plangente
Duma opereta nova!
Perfeitamente. Vou findar sem azedume.
Quem sabe se depois, eu rico e noutros climas,
Conseguirei reler essas antigas rimas,
Impressas em volume?
Nas letras eu conheço um campo de manobras;
Emprega-se a "réclame", a intriga, o anúncio, a "blague",
E esta poesia pede um editor que pague
Todas as minhas obras...
E estou melhor; passou-me a cólera. E a vizinha?
A pobre engomadeira ir-se-á deitar sem ceia?
Vejo-lhe a luz no quarto. Inda trabalha. É feia...
Que mundo! Coitadinha!


(Cesário Verde)

Vou tentar voltar mais bem disposta porque este post não vale nada!

14 comments:

crispipe said...

Vale, vale. É por estas e por outras iguais a esta que normalmente estou sempre bem disposta. Ao vermos o sofrimento dos outros relativizamos o nosso e percebemos como a felicidade anda atrás de nós, se abrandarmos ela apanha-nos. E o bom Humor também.

SPECTATOR said...

não sei pk é q o post não vale nada.
o texto é excelente!
jinhos!

amazing said...

Eu sei que o teu íntimo é cheio de bom humor, mas se hoje estás assim, é de certeza passageiro.

Dark-me said...

O post vale mto!!
Quem não tem dias desses??!!!
O que vale é que há dos maus mas tb há dos bons! :)
jinhos

OvelhaNegra said...

Todos nós temos dias assim.
Se os não tivessemos isso faria de nós uns patetas-alegres.
Somos humanos.Logo sujeitos a flutuações de humor.
O texto é soberbo!.
Cesário era um escritor negativista, mas nem por isso menos Grande que os outros.
Um beijo sentido*

o alquimista said...

Passei, gostei, volto se não te importares.

Sophie said...

O texto está muito bom...e nao te esqueças...o mau humor so surge em momentos menos bons e pensamos que se estivermos sempre chateados com o mundo que isso muda mas nao é assim =)
beijos e boa semana

Zélia said...

Todos temos dias destes...

Sabes o que costumo dizer... "incha, desincha e passa..." :)

Bjokas e as melhoras :)

boleia said...

vale um desabafo! era isso que se pretendia, certo?...
beijoca animadora!

Ant said...

Dá-lhes. Dá-lhes.
E acreditas que só hoje vi o texto? Bem podia procurar... hehehe
Tu é que sabes...

Louco de Lisboa said...

eheheheheh

Vale vale, o Cesário sabe o que diz!!

E tu vê lá se esse humor melhora...

Um sorriso para ti, até outro instante!

taxi driver said...

o que vale é que amanha vai ser outro dia...com um lindo amanhecer,sol radiante.....quem sabe nao vai ser o teu dia....

Martha said...

o mau humor assim como o bom humor sao essenciais para formar a nossa personalidade...de sorriso nos labios ou com cara mais séria nunca deixares de ser tu proprio(a)...e quem gosta mesmo de ti sabera separar o humor dos sentimentos...deixo um beijinho com carinho

madalena pestana said...

Sou louca por este poema!

:)