Thursday, July 06, 2006

Lágrimas Ocultas( Florbela Espanca)

Dedico este poema a mim e apenas a mim que me desculpem hoje ter que ser egoista!

Se me ponho a cismar em outras eras
Em que ri e cantei, em que era querida,
Parece-me que foi noutras esferas,
Parece-me que foi numa outra vida...

E a minha triste boca dolorida,
Que dantes tinha o rir das primaveras,
Esbate as linhas graves e severas
E cai num abandono de esquecida!

E fico, pensativa, olhando o vago...
Toma a brandura plácida dum lago
O meu rosto de monja de marfim...

E as lágrimas que choro, branca e calma,
Ninguém as vê brotar dentro da alma!
Ninguém as vê cair dentro de mim!

9 comments:

Dark-me said...

Pk tanta tristeza!??
Essas palavras tão sentidas fizeram-me pensar nos momentos em que tb eu me sinto assim.
Bjo

Sara MM said...

por mim... "é na boa" :oD
nem queria esse para mim :oD

bjss

inBluesY said...

eu quero!



é Lindo

MalucaResponsavel said...

florbela espanca é tao triste... logo, pa sers egoita e o qreres para ti, e pq estas triste tb.. pq? bj

Desassossego said...

Isto de se ser egoista partilhando Florbela Espanca tem que se lhe diga... Sabes disseram-me que não é ser egoista, é ser individuo com vontades, necessidades próprias e muito importantes tais como dedicar-se poemas e que poemas...um xi....

anrasaxa said...

grande florbela... gosto imenso de a ler.. e a ti também :)

diamond said...

Um blog de grande romantismo.

:)

DE PROPOSITO said...

Florbela Espanca, nada a dizer.
Beijinhos para ti.
Manuel

Salvador said...

As vezes tambem estou assim...

bjs