Wednesday, January 31, 2007

..........desabafo..........

Será que nunca sentiram? A sério?
Novamente a minha estranheza e incerteza.
Não me julgo mas realmente nunca fui uma igual a todas as outras/os.Sempre gostei do que os outros por norma não gostam.[Já alguem me disse que compro sempre os sapatos mais horríveis que existem na sapataria...]
Nunca tive o sonho de casar de branco e muito menos de casar...Ter filhos não é a ambição da minha vida.
Vou vivendo como o caracol, devagarinho, dia a dia, sentindo me deslocada no espaço e no tempo.[Só estou bem onde não estou...]Muitas vezes com a sensação que estou de fora, como se fosse um sapo, a que poucos olham e por isso sobre ele, eu caracol vejo o mundo e arrasto me, dia a dia, devagarinho, passando despercebida.
O problema, ou talvez não, é que não sou mesmo alinhada, neste mundo que por vezes me parece um rebanho, e o facto de me sentir deslocada também não é um defeito mas uma consideração.Prefiro viver assim como sou.
O que não quero na realidade, sei eu muito bem, ser um um peso ou preocupação para a minha familia e amigos, o que quero penso ainda estar a descobrir.





o sapo, num salto
cresce
procurando a manhã
quem sabe em honra à lua que se vai deitar
nas águas mansas, parecendo prata
como uma vela acesa,
conduz se a um ar de paz e guerra...
Croc... croc... croc
e lá caminha ele
apressadamente para viver emoções...
para depois...
lutar com uns e outros...
por coisas banais , sem interesse...
sapinhos aos montões!
o caracol
espia e espia o sapo
louva a um deus
semelhante a espinhos de rosas cor de sangue
e aconselha-se com a morte e com a sina
compondo-se dos matizes
de ouro e azul ao cair da tarde
a esmorecer no brilho pálido
então, o caracol
envereda-se ao infinito
ao sol se torna brilhante
o rastro de gosma
ao qual lento arfante
desliza
ao caminhar
denunciando a fuga
esperando o encontro
caracol,
Pára,
andas em cima de ti
carregas sombras demoradas
solta as amarras
desce daí
mostra o que és capaz

42 comments:

PR said...

Este está genial ! Boa noite e bjinho.

Su said...

eu sou exemplo vivo do desalinhado


jocas maradas...sempre

joaninha said...

ai eu sou sempre do contra também...

Jotabê said...

O mais genial desalinhado que conheço, é o Miguel Esteves Cardoso, gosto de desalinhados, defendem esse desalinho com teorias que nos surpreendem sempre e sempre

concordo com o teu desalinho, não é todos os dias que levamos um palmadão no peito da pessoa que acabamos de conhecer...

:)

...joca

Diabba said...

Ora aki está... tb tenho a sensação que eu estou aki por acaso, não pertenço aki, vou tentando passar com o minimo de mossas...

Beijo de enxofre

maria josé quintela said...

Deixo-te apenas um texto que escrevi há tempos.
Beijinho.


EXISTO, LOGO PENSO

«Vem por aqui» - dizem-me alguns com os olhos doces…
José Régio (Cântico negro)

Não nos devemos colocar, à partida, de lado nenhum. A não ser em lugares temporários, tal como as âncoras.
Precisamos da dose de flexibilidade que nos permite olhar num ângulo de 360º para poder captar tudo o que em cada momento é essencial.
Só nos devemos comprometer connosco próprios, olhando com imparcialidade as alternativas e diferenças. Num mundo tão grande como este cabem todas as formas de olhar.
Em cada momento, há um papel que nos espera. Esse papel deve ser acima de tudo, útil.

Existe um défice de autocrítica na nossa sociedade. É mais cómodo. Renega-se a liberdade de ter pensamento próprio a troco de papaguear o que é politicamente correcto.
A ideia de que é correcto estar sempre do mesmo lado, é uma falsa ideia. Não existe um só lado que reúna todas as virtudes. É saudável conhecer, tanto quanto possível, todos os lados que existem. O nosso olhar deve ser suficientemente abrangente e tolerante, se quisermos fazer parte daqueles que constroem ideias próprias e não se resignam a ser simplesmente seguidores de rebanhos.
Não se podem condenar aqueles que decidem não ir sempre pelo mesmo lado. Não me estou a referir, obviamente, aos que se mudam de lado por oportunismo e conveniência pessoal, embora admita que são hoje muitos. Mas destes não reza a história. Não são estes que ajudam a mudar o mundo.
Falo daqueles que, sem preconceitos, têm a abertura de espírito suficiente para avaliar em cada momento qual o melhor lado. E o melhor lado será sempre o que for mais útil para todos.

Colherás aquilo que semeares - diz um velho ditado. Se a semente for boa, a colheita será boa certamente. Este é um princípio universal que não se leva muito a sério.
Semeamos essencialmente através de bons exemplos, nestes tempos em que as palavras estão tão desvalorizadas. Muitas vezes o impacto dos bons exemplos só se faz sentir tardiamente, mas o mundo não se esgota no limite temporal de cada um.
Semeamos também através de maus exemplos e o impacto destes, condiciona decisivamente o desenvolvimento saudável de uma sociedade. Em última análise, há sempre muitos a pagar, ao longo das gerações, os maus exemplos semeados.

É urgente investir no pensamento crítico. De forma construtiva. Utilizando a capacidade que nos distingue de todos os outros animais. O mundo deve ser o que nós queremos que ele seja e não o que os “outros” nos obrigam a aceitar. O mundo seguirá o rumo que cada um de nós quiser, quando cada um de nós for capaz de colocar a sua liberdade de ter opinião ao serviço da utilidade comum.
Parafraseando José Régio, estamos todos a precisar de aprender a dizer: “Não sei por onde vou. Não sei para onde vou. Sei que não vou por aí.”

Maria José Quintela

Miudaaa said...

Como eu t'entendooo!!!
... e muito poderia adicionar, mas este é o teu espaço... mas de uma coisa, podes estar certa... tal como tu, nunca pensei que um dia casaria de branco... ou que entraria de braço dado na igreja com o meu querido PaPá...
Desalinhada?
Alinhada?
...procuro a resposta e sei o quanto a quero encontrar.

Um beijo da miudaaa

Scarlett said...

Fazes alusão a uma letra de uma música bem conhecida.

Acho que ela diz tudo.

"Estou bem onde não estou
Porque eu só quero ir onde não vou ..."

geo said...

grandes textos gostei do blog voltarei!

Dark-me said...

E sabe tão bem sermos consideradas "fora do normal" ou do contra ehehe

Perfeito!

Jocas

Maçã de Junho said...

Velitas:
às vezes, quando não sei bem o caminho (o que acontece mais vezes do que eu gostaria) costume pensar num verso de um poema que diz: "não sei por onde vou, mas sei que não vou por ai"... E depois fico a sorrir porque saber o que não se quer já é uma passo em frente. O mesmo passo que das, ao saber o que não queres! O resto vem por acréscimo!!!


Beijo Grande
Maçã de Junho

amazing said...

"Já alguem me disse que compro sempre os sapatos mais horríveis que existem na sapataria...]"

Quem foi? Quem foi?

Depois de ler isto nem tive coragem de ler o resto.
"O que não quero na realidade, sei eu muito bem, ser um um peso ou preocupação para a minha familia e amigos"

Deves querer apanhar, só pode.
Esmago caracóis e sapos se for preciso.
Raios da miúda!

Memórias de Um Sorriso Luso said...

Fizeste-me pensar que afinal sei bem o que quero e nao ando aos tropecoes.Casar nao era prioridade(agora já é) mas quero ter alguns miudos a fazer aquele barulho saudavel em casa.Tudo o resto que imaginei para mim já tenho.Ser diferente nao me parece que seja desalinho.Se fossemos todas iguais...(risos) quem se evidenciava?

ah! e nao passas despercebida com tantos admiradores.

Kiss

particula-RG said...

És o que és!
Sejas!
:)

Zélia said...

Ás vezes sabe bem ser um caracol, mas por vezes temos de nos abrir para o mundo!

Se ainda não sabes o teu caminho é porque ainda não está a hora!

Se andas desalinhada, é porque tens de o andar, nem todos somos iguais... importante é sentires-te bem... e se não sentes agora vais-te sentir amanhã :)

Encara tudo com um sorriso linda, pois ainda vai fazer muito sol para esses lados :) Eu fico a torcer :)

Bjinhos kida :)

Minerva McGonagall said...

A foto está linda!

Eu também me acho diferente das outras pessoas... e até acho que isso é bom!

Kalinka said...

TODO O SER HUMANO já sentiu isso, acredita e, quem te disser que não sentiu é sinal que mente...porque não o quer admitir...

Firmino lê, declama, exclama
Fez-se do desconhecido bloguer
Um amigo próximo, ali à mesma mesa.
Fez-se da vida uma aventura errante
De repente, não mais que de repente.
Queres espreitar as fotos do jantar?

e, pergunto: para quando um mega almoço-convívio a nível nacional, para os bloggers do norte, centro, sul e ilhas...???
Há alguém com coragem para começar a pensar em organizar um mega-almoço-convívio???

Euzinha said...

Velinhas, eu adoro os teus sapatos(as galochas 2005/2006 são fabulosas)!!admiro a tua imaginação,e comprava muitos dos modelitos marca "velinhas" (a versão XXL óbvio)! tu és assim e pronto!Nada de pesos (só se for pluma) ou preocupações (pq fazem rugas),somos todos diferentes senão isto era uma seca monumental.

Bjs
J

P.S não comento sapos nem caracóis só porque é muita ranhoca junta!

Estranha pessoa esta said...

SALTA
SOLTA
MOSTRA

bono_poetry said...

well...e eu a pensar que talvez ..fosse estranho...ou louco...afinal sou bem normal...ola apenas brinco...a insuspeita regra do tenho de fazer...esta la...como e obvio e a necessidade delas..eu adorei...ainda consigo ser mais equilibrado...(ou dai talvez nao)..beijos..

crispipe said...

Passar despercebida???? quem???tu????
Os sapatos mais feios da sapataria?????
Acho que andas a dar-te com gente estranha!!!!!

És linda....assim.....amarela....
e isto foi um elogio....para que não restem duvidas.

Jokinhas grandes

Eva said...

E viva a diferença! Às vezes, a maioria significa apenas que os errados estão todos do mesmo lado!

Beijocas.

Carracinha linda! said...

Olá Velas!

Gostei muito deste texto, pois idêntifico-me com muito do que escreveste. Gostei de verdade!

Este texto é realmente alusivo à canção daquele que estava muitos anos à frente para o seu tempo (falo de António Variações, claro).

"Só estou bem onde não estou"...É claro que já todos sentimos isso. Falando por mim...sinto isso todos os dias.

És uma desalinhada? Porquê? Por escolheres os sapatos mais horríveis da sapataria? Por não quereres casar ou ter filhos?

Desde quando é que isso faz uma pessoa ser desalinhada?

Queres viver a vida devagarinho com um caracol? Que mal é que tem?

Sabes que há pouco tempo me disseram que há pessoas que não vivem o presente pois pensam demasiado no futuro. Por isso, acho que fazes muito bem em tomares o exemplo do caracol e viveres cada dia devagarinho. Aproveita cada dia ao máximo!

Em relação a não quereres ser um peso para a tua família ou amigos...é assim: as pessoas que gostam verdadeiramente de nós estão sempre presentes quando precisamos e não nos encaram com um peso ou um fardo. Por isso, não penses essas coisas.

Para onde vais, que caminho vais seguir...deixa o tempo fluir e vais ver que as respostas aparecem!

Gostas de Moby...passa lá hoje pelo meu cantinho para veres!

Beijinhos grandes!

sea said...

Prefiro não fazer parte do rebanho mesmo.

Faz-me lembrar aquelas conversas do: " ah e tal, vivemos em sociedade, temos de...".
Mas, temos o quê?
Porque raio é que eu hei-de funcionar como os outros entendem que eu deva funcionar? Porque raio é que eu hei-de agir, como os outros acham que eu devo agir? E como ELES acham que é melhor? Isto, sempre me ultrapassou e continua a ultrapassar. Daí que seja apelidada, muitas vezes, que não funciono bem da cabeça, que tenho um feitio de "merda", etc e tal.

Grau da minha preocupação: 0 (zero).

Grau da minha paxorra para este tipo de argumento/conversa/dar na cabecinha/lição de moral/chamada de atenção: 0 (zero).

Somos como somos e a mais não somos obrigados.
O nosso caminho somos nós que o trilhamos e não quem está à nossa volta. A forma como nos posicionamos no Mundo, tem a ver com a nossa personalidade, convicções, crenças, etc.
Uns não se importam de ir atrás do rebanho e misturar-se com ele. Há os que se importam e não vão, de forma alguma.
Beijo (sorry, mais uma vez, excedi-me :D)

inBluesY said...

acho q quase tudo ja foi dito, excelente divagação Tua e comnts por aqui tb.

graças a deus q sou propria comigo.

qto aos ditos 'normais' passa me ao lado, sinceramente uns dias mais q outros tb é verdade.


bjs

veritas said...

"Só estou bem onde não estou..."

Querida, admiro a tua integridade. Seja onde for que vais, apareça o que aparecer, não deixes de ser tu própria, de gritar a plenos pulmões aquilo em que acreditas, só porque sai for da norma do rebanho...Tem a ousadia de afirmar o que gostas e não de ir a reboque dos outros...Eu casei duas vezes...e nenhuma delas foi de branco!!

Bjs.

veritas said...

Desculpa, o que eu queria dizer era...só porque sai fora da norma...

stela said...

cheguei aqui através de "outros" e ainda bem que cheguei :). gostei muito dos teus textos e especialmente deste, que me define também... "só estou bem onde não estou..." :)

anrasaxa said...

mais uma vez revejo-me num post teu.. mas eu ja me perguntei muitas vezes se eu seria normal.. e tb ja desejei ser como "os outros" muitas vezes.. mas não agora.. agora acredito nos meus valores acima de tudo..

Maçã de Junho said...

PS: Adorei as botas cor de laranja!!!!
Maçã de Junho

PR said...

Boa noite e bjinho.

borrowing me said...

velinha
é muito bom seres como és
és tu
a tua essência e isso deve permanecer assim
e concordo contigo sobre o rebanho
eu também não sou igual a todos os outros
mas para mim pouco me importa
sou eu, e não estou aqui para agradar ninguém para além de mim
sabe bem seremos verdadeiros para nós próprios
nos final de cada dia isso faz nos sentir bem, melhor, mais em paz

não deixes de ser quem és
o resto vem por acréscimo
bjs velinha

P.S. qual é o teu cheirinho? eu adoro velas de cheiro...

Vivis said...

E as velas aqui ardem de uma maneira intensa.

compreendo...

Beijinhos

pn said...

creio que foi o kundera que escreveu "trair é sair da fila".
a fila é a procissão que conduz à ara?
saíamos dela...
sair da fila, da norma, é o mais saudável acto de transgressão.
por vezes, dá em criação...
os desalinhados são os que rompem a linearidade, os que saem da fila, os transgressores.
abençoadas almas penadas do inconformismo... os atópicos, senhores da deriva ou vagabundagem cosmológica.

(obrigado pelas tuas visitas)
pn

elsa nyny said...

Olá!!!

Não te preocupes com isso!
Todos somos únicos e irrepetiveis, por isso é normal que uns sejam assim e outros de outra forma, o que importa é VIVER, o melhor possivel, e viver cada dia como se fosse o último!

Beijinhos!!

:))

Mark Tindo said...

sei bem, muito bem do que falas.. hehe.. mas tou contigo, idiossincrático pra mim é elogio. continua a ser quem és, que tás muito bem assim.

p.s.: tudo bem se eu me identifiquei um pouco com o caracol?

Sem sono como sempre said...

É a marcha dos desalinhados, de quem só sabe que não vai por aí!


Bjs

Mendes Ferreira said...

tu soltas as amarras...todas....mesmo que te prendas....


é esse o teu segredo.





bom dia Vela....




beijo.

sôdona.leide said...

a marcha do desalinhado...
não és a única!

Pierrot said...

E não és...e não és...
És diferente, sensível e quiça sofres por isso pois não permites que a vida te passe ao lado sem lhe tocares, sem lhe tomares o gosto.
Isso faz sofrer, isso faz-te ser diferente.
Mas sabes que mais, aprecia essa diferença porque isso te faz especial e mais dia menos dia, vais ver que vale a pena ser assim, se é que já não viste.
Bjos daqui
Eugénio

Sara MM said...

bolas... lindo!!! fiquei mesmo sem palavras!!
que poderia dizer perante tais constatações... tão verdadeiras, pensadas, sentidas, vividas... e que bem escritas!!

Bjssssssssss
Ps- acho que estás no bom caminho.... mesmo que devagar devagarinho! :o)

Isabel said...

Tenho de te dizer uma coisa miuda:
Presta atenção!

GOSTO MUITO DE TI...

És uma permanente surpresa e conhecer-te aos poucos tem sido uma delicia...

Gosto mesmo de ti...

Isabel