Monday, September 18, 2006

Borboletas violetas




Um dia partirei de madrugada
Enquanto o sol dormir.
Libertar-me-ei do pó, do nada
Que o tempo se encarregou de me cobrir.
Partirei só com a minha alma
Tal como nasci.
Leve como as borboletas,
Sem anéis, as mãos vazias
Para me encontrar com as violetas !
(eu)

7 comments:

little_blue_sheep said...

...bonito!...
*

Teresa Durães said...

no dia certo, quando for a nossa vez, sim, eu também regressarei a casa!

boa noite!

Estranha pessoa esta said...

Essas mesmo que estao ali.
Mesmo ali.
Mas, o pó.
Este pó.
Memo aqui.
Cobre.
Esta.
Mesmo esta.
Dormida.
..





As velas não têm pó.
A cera não tem pó se está a arder.
As velas não têm pó.
O tecido não tem pó se o moinho estiver em movimento.

bjs***

Menina_marota said...

Lindo!
Beijo ;)

zeca said...

Gosto de Violetas,adoro borboletas,adoro gostar, adoro Amar... Tudo e Todos.É esse o segredo...

Muitos e muitos e muitos beijinhos para o Simãosinho, e para Ti um

SOL ENORME PINTADO NUM IMENSO CÉU
AZUL...

Ah, espera que esteja a correr bem este teu novo emprego ;)

brgigas said...

:D bonito

carlos ripado said...

Este é um poema de Fausta Ripado
http://mariaivonevairinho_na_app.blogs.sapo.pt/39068.html