Monday, September 18, 2006

Um sonho como outro qualquer...


Um dia,tenho a certeza e as minhas prioridades invertem-se
.....compro um moinho...e vou viver para lá...


Gostava de ser dinamarquês
viver na luz dinamarquesa
ver da minha janela um prado dinamarquês
onde vacas dinamarquesas pastam
um rio dinamarquês
e ao longe um moinho dinamarquês.

No inverno,
a filosófica neve dinamarquesa
crepitaria sob as minhas solas
e no verão, moscas dinamarquesas
poriam um gordo ponto final
aos meus poemas dinamarqueses.

Emmanuel Moses, poeta israelita.
Poema do livro Le Present (1999).

O vento aqui não pára.
Nem um segundo,
nem um pouquinho.
Ah, se eu fosse moinho...
(Eu)
As memórias são um moinho. Moem, roem. As águas passadas movem este moinho ...

11 comments:

Isabel said...

Em mim há um moinho, um moinho onde as velas não param...
movidas pelo pensamento, não param as velas
Do meu moinho...


Isabel

Cris said...

A água nunca passa duas vezes pelo mesmo sítio, e lamento, as águas passadas não movem moinhos, deixam-lhe apenas a ilusão que ainda retornam.

Deixa o teu moinho ser navio e loucura..

Um bjo

Cris

o lápis said...

São sempre as águas de agora que movem o moinho :))

O trigo esse, pode ser de um outro verão...

Sim???

:)

Teresa Durães said...

desde que se compreendam as águas que passaram, elas deixam de moer.

boa tarde para ti!

Giorgia said...
This comment has been removed by a blog administrator.
Giorgia said...

voltei e gostei muito do poema... espero pelo dia em que as águas passadas deixarão de mover esse moinho! :)

beijinhos grandes

P.S: Adorei o novo visual, gosto definitivamente mais deste!

Desassossego said...

Eu já não vinha cá a MUUUIIITOOOO tempo... mas como sempre gostei, tá bonito.

O que interessa é moverem...

Xi grande.

Louco de Lisboa said...

Gostei do teu moinho...
Um kiss, até outro instante!

TONY, Duque do Mucifal said...

os moinhos são altamente. acredito que em dias de Verão deverá dar um gozo bestial. Em vez de caixotes urbanos, os moinhos levanos mais longe...de encontro à Natureza!

anrasaxa said...

"As memórias são um moinho. Moem, roem.." SO TRUE

Ant said...

Passaram estão passadas, pronto. Imagina-te a passares a mesma camisa vezes sem conta. Nunca mais saías dali... que raio de analogia, livra...