Tuesday, October 17, 2006

Havia um porto.....


havia um porto

ao alcance da vista

um ponto
onde as naus
paravam depois
de uma longa viagem

as velas arfavam
e sonhavam

a lua sobre o mar
dava colo
aparando a água

havia um porto


ao alcance do corpo

um porto
onde hoje atraco
a saudade imensa
e mais nada....por nada ter.
Sentindo a minha vela apagar-se...-
(eu)

10 comments:

inBluesY said...

lindíssimo
e
velas assim, nunca apagam!
nunca
e os portos são pontos de partida e chegada.

jinhos amiga

Ana Luar said...

existe sempre um porto.... sempre!

Fabulosamente belo.....este poema.

Tiago said...

existia um porto de abrigo,
para parar e segurar-me, nas horas de tempestade. não pq parti, mas parti sem olhar e descobri um lugar onde as velas não se apagam, só existe o seu imenso brilhar.

bjs
Tiago

Teresa Durães said...

os portos de abrigo servem para abrigar das tempestades e fazeres-te aomar nos bons dias.

por isso, caça as velas agora, sossega que o bom tempo vem já já

beijo

para além disso está lindo o que escreveste!

Anonymous said...

Lindo.

Mas o porto pode e deve ser o principio de uma nova viagem com um novo destino...

vida de vidro said...

Encontrarás outro porto, a vida é ela própria uma viagem que te levará até lá.
Texto muito bem escrito. :)**

Trivialidados said...

De certeza que a tua vela nunca mas nuca se vai apagar, basta acreditar.

Dark-me said...

Vela apagar-se??? Mas é que tu nem penses!!!
Tb se vive de saudade!
Dark kiss

Giorgia said...

não, não, não... nem penses em apagar a vela, nem penses, agora estou aqui, que nem te passe pela cabeça! :)
acabei o inferno dos exames, finalmente tenho tempo livre e não me esqueci da nossa combinação!

beijinhos

amazing said...

Ok, eu sou o único que te digo APAGA A VELA! Sério, apaga.
Se calhar é mesmo disso que estás a precisar.
Apagar essa vela, e porque não com um vinho do "porto", e deixar arder as outras 3 novinhas em folha.
Sim, estou a ver que tu és 4 velas.